WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia secom saude embasa sesab bahia


Fevereiro 2021
D S T Q Q S S
« jan    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28  






:: ‘Espaço do Leitor’

DECOLORES

A Paz do Ano Novo

Que nesse ano Deus nos ensine a Paz,

e que estejamos todos prontos para ouvir,

Que os nossos erros não sejam o nosso fardo,

Mas a experiência para decisões melhores,

Que nesse ano a religião não seja razão para o ódio,

e que os inocentes sejam sagrados,

Que as diferenças não justifiquem problemas,

Mas que mostrem soluções diferentes,

Que nesse ano toda criança possa brincar,

e que elas tenham brinquedos verdadeiros,

Que seus pais não justifiquem discórdia hoje,

Mas que falem dos sonhos de um futuro feliz,

Que nesse ano a força seja das boas palavras,

e que as palavras sejam ouvidas,

Que o poder não derrube paredes sobre as pessoas,

Mas que destrua barreiras entre elas,

Que nesse ano as nações sejam unidas,

E que a união tenha significado e seja respeitada,

Que os governantes não se esqueçam que a história não eterniza a vida, frágil e passageira,

Mas apenas pensamentos e ações,

Que nesse ano a natureza seja mãe,

E que, como filhos, tenhamos por ela o amor e o cuidado devidos,

Que as ações pelo Planeta não sejam assinadas apenas pelas nações que compreendem os problemas,

Mas também por aquelas que os causam…,

Deseja -lhes,

Luiz Castro

Bacharel Administração de Empresa

PSICOMUNDO <> CONTROLE DO LIVRE DO ARBÍTRIO DA VIDA <>

Em todos os países do mundo, com rara exceção da Indonésia, com a altiva decisão do seu presidente Joko Widodoos, existem outros governantes que apenas se colocam em estado de consternação e indignados, mostrando que são preocupados com os Direitos Humanos, e assim verdadeiramente não é muito fácil encarar a exterminação de tantos vícios que sempre engolem os seus usuários.

Poucos fazem esforços para destruírem esses adeptos e cegos inimigos causadores de destruições humanas. Lamentar o que aconteceu na Indonésia retira da Justiça o direito de julgar e coibir criminosas investidas no mundo dos crimes praticados por um indivíduo com muitos anos de experiência nos caminhos de distribuições das drogas, olhando o seu lado de enriquecimento ilícito, vida fácil em paraísos cheios de mordomias, e enfim, esquecendo quantas famílias foram destruídas violentamente por várias ações criminosas desse famigerado tráfico infame.

Será que não gera nenhuma comoção de governos que não analisam momentos de tristeza e pesar por tantas mortes inusitadas, deixando de ser bastante cruéis ao pai e a mãe ver os seus filhos, parentes e amigos nessas condições, utilizando-se da barbaridade da fumaça da maconha e das outras drogas ingeridas pelo nariz e pela boca que determinam muitas doenças, provocando com maior brevidade muitas dificuldades para alcançar a plenitude da vida, fazendo desaparecer a contundente marca da fé e confiança nos desígnios de Deus.

Existem muitas outras doenças que podem ser causadas pelo uso das drogas, e a sua gravidade vai depender da quantidade de droga ingerida, que com o passar do tempo, tende a ser cada vez maior. Estas doenças geralmente começam a se manifestar após alguns meses do início do uso das drogas.

Segundo o médico Dr. Arthur Frazão, no Site Tua Saúde, vejam algumas das doenças causadas pelo uso das drogas, como maconha, cocaína e crack, são:

* AIDS: doença incurável que se pega através do contato direto com o sangue do indivíduo contaminado, como ao partilhar seringas ou no contato íntimo desprotegido.

* Doenças venéreas: com o uso das drogas, o indivíduo não se lembra de usar o preservativo e pode ser infectado com doenças como gonorreia e sífilis, por exemplo. :: LEIA MAIS »

PSICOMUNDO <> REFLEXÕES NA CRENÇA DO MUNDO RELIGIOSO <

O mundo passa por intensas transformações e a Igreja vive as grandes expectativas da carência de harmonia que traga a realizadora força da Universal fé cristã; afinal “o amor de Cristo nos deixa a maravilhosa mensagem de esperança da união”. Essa expectativa surge a fim de que a criatura “o ser humano”, possa ser comovido ou impressionado para seguir o rumo de boas qualidades morais, bons instintos, boa índole, criando um modo de imaginação de forma absoluta com respeitos recíprocos entre a razão e a verdade para viver na formação de sinceras atitudes. Jamais teríamos as imagináveis condições de enganar a nós mesmos, além do mais não devemos ignorar as nossas qualidades da livre e espontânea capacidade de pensar!

Os acontecimentos entre a fé e a razão de seguir os caminhos religiosos nos mostra que devemos seguir a persistência do amor e da paz. No entanto, observamos anúncios de que “Deus nos concede tanta e tamanha liberdade de pensar, que até nos faculta o direito de negá-lo.” O Papa afirma sempre que cada cristão possa ser um santo: “Existem os santos de cada dia, os santos escondidos, uma espécie de classe média da santidade, a que todos nós podemos pertencer”. Pelo que entendemos, basta entender que a mediocridade das pessoas materialistas são fontes em decomposições humanas e existe uma grande necessidade de transformar em boas ações essas nascentes que nos levam ao convívio com Deus em sua infinita bondade.

A Igreja Católica está presente na história brasileira desde a chegada dos portugueses, contribuindo para a formação cultural, artística, social e administrativa do nosso País. Existe a necessidade urgente nas comunicações entre os homens, à preservação da transparente sinceridade nas palavras que falam ou ouvem, especialmente, nos templos religiosos. São tantos assuntos em favor da paz e não sabemos que será possível o alcance da união entre as pessoas visando à criação da tão almejada força espiritual. O papa Francisco disse que líderes clericais e cristãos não devem trair a palavra de Deus com suas ações ou correm o risco de prejudicar a credibilidade da Igreja Católica. Existe uma grande necessidade de aperfeiçoamento do essencial significado do “sentimento humano”, na capacidade de que cada um possa sentir a sua natural disposição da busca da verdadeira comunhão com a religião. “Religião é um conjunto de sistemas culturais e de crenças, além de visões de mundo, que estabelece os símbolos que relacionam a humanidade com a espiritualidade e seus próprios valores morais”. (Wikipédia).

Precisamos banir o que está se tornando muito difícil “seguir os conselhos de alguns padres”, os quais cometeram deslizes. Eles são chamados representantes da Igreja, não havendo outras condições de idealizá-los sem que se possa ver o seu exemplo extraído nas suas palavras! Quantos sermões, com sentimentos éticos e bem formalizados em favor da moral e do respeito humano recíproco, modificaram a vida de muita gente, transformaram naturezas humanas e provocaram uma nova qualidade na existência de muitas pessoas! Essas ações comportamentais devem ser moderadas para que sejam mútuas e verdadeiras entre as pessoas, principalmente, as religiosas! :: LEIA MAIS »

NATAL – CELEBRAÇÃO E COMPROMISSO DE VIDA

“Natal é sempre um momento forte e muito especial na vida de todas as pessoas e, de um modo todo particular, para nós que somos cristãos. Todos os povos, todas as religiões, todas as culturas, cada um à sua maneira, recordam e celebram o grande acontecimento de Jesus.

Em Jesus, o filho de Maria e de José, é o próprio Deus que se encarna, se faz um de nós, que assume a nossa condição humana, menos o pecado, que vem viver no meio de nós para nos trazer a Vida, a Esperança, a Luz… “o povo que caminhava nas trevas viu uma grande luz. Sobre aqueles que habitavam a terra da sombra, uma luz resplandeceu”(Is.9,1). Jesus vem para nos conduzir à plenitude da vida: “Eu vim para que todos tenham Vida, e vida em abundância (Jo 10,10).

É portanto, a grande festa da Vida que nasce, que vem a nós, assim como é expresso em um dos cantos muito cantado nesse tempo: “Natal é vida que nasce; Natal é Cristo que vem; Nós somos o seu presépio, e a nossa casa é Belém” .

É Jesus que vem, por isso nos preparamos… Porque é um momento tão importante, nós, como comunidades cristãs, o preparamos com carinho durante as quatro semanas do tempo de Advento, que é tempo de espera daquele que está por chegar.

Ele vem e quer morar em cada um de nós (nós somos o seu presépio), em nossa família (a nossa casa é Belém), em nossas comunidades. E nós queremos acolhê-lo. Mas não queremos acolhê-lo de qualquer jeito, com a casa (coração) desarrumada, empoeirada, bagunçada. Por isso preparamos o ambiente: varremos toda a sujeira que foi se acumulando ao longo do tempo, enfeitamos a casa (através da oração e reflexão nos grupos de famílias, nas comunidades…), abrimos as portas para receber a Jesus que vem a nós e quer conosco morar, caminhar, acolhendo-o em todos os nossos irmãos e irmãs, especialmente naqueles com os quais Jesus se identifica e solidariza: os pobres, os doentes, as crianças, os idosos, os marginalizados, os pecadores.

O Natal nos ensina … O nascimento nos ensina muitas coisas que, se levadas para a vida, nos ajudam a ser melhores e a servirmos mais às pessoas. O fato de Jesus ter querido nascer menino, como nascemos todos nós, nos ensina que devemos, como cristãos, viver simplicidade, a alegria, a ternura, a confiança que são próprias das crianças. Viver, em outras palavras, a infância espiritual. O próprio Jesus quis viver aquilo que depois, no seu Evangelho, coloca como condição para fazer parte do seu Reino: ser como criança.

Jesus quis nascer numa estrebaria e ser colocado dentro de uma manjedoura, para nos ensinar que somos chamados a viver uma vida de desprendimento, que precisamos viver uma vida simples, sem apegar-nos às coisas materiais, ao luxo, ao bem-estar, mas confiando sempre em Deus e na sua Providência que nunca falha. Quer nos ensinar que a Vida e a felicidade verdadeiras não estão no ter, nas riquezas, mas aquilo que somos, no saber, a exemplo de Cristo, solidarizar-nos, a comprometer-nos com os

pequenos e marginalizados, partilhar nossos dons e nossos bens com todos. :: LEIA MAIS »

PARA HAVER SENTIDO

A campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro embora com a inseparável presença marcante do economista Paulo Guedes, tido como um ultraliberal de carteirinha (o “Posto Ipiranga” como o identifica para assuntos econômicos o ganhador da disputa), ela se fez mais enfática no combate à violência, ao crime organizado e à corrupção, não deixando muito clara a juízo deste escrevinhador, a política econômica a ser adotada. No entanto, vinculando-me a esta política, a cadeira do referido economista ao ser colocada na arrumação da casa numa das cabeceiras da mesa e a do deputado Onyx Lorenzoni, outro liberal e conhecido pela sua determinação na criminalização do Caixa Dois nas CPI(s) do Congresso, numa outra, indicam proposições neoliberais –significando, como preceitua o neoliberalismo, privatizações em massa, ajuste fiscal, nada de protecionismo econômico e elevação de impostos e tributos etc., etc., enfim, diminuir drasticamente o Estado na economia.

Porém às propostas do Posto Ipiranga de passar para o setor privado o Banco do Brasil e a Caixa Econômica como primeiro prato a ser servido e de cara ‘riscado do cardápio’ pelo gerente do estabelecimento, revela uma certa contradição na preparação.

Tal poda, comenta-se, pode ter a ver com o histórico de estatista de sua excelência. Seus votos –fora deputado federal por quase três décadas consecutivas– contrários às vendas das empresas Vale do Rio Doce em 1997 e Telebrás em 1998 são exemplos emblemáticos. Acerca de sua oposta posição em torrar nos cobres os bens da coletividade muito se foi e se é comentado o jocoso episódio em que o parlamentar promete ‘apagar’ FHC, então mandatário da Republica, por levar a cabo seu plano privatizante. Essas privatizações, vale recordar, ainda que tenham, com referência às telecomunicações, beneficiando de algum modo a vida de milhares de brasileiros no boom dos celulares, na transação –está registrado nos autos da imprensa– houve maracutaia da grossa, resultando em consequência a queda de ministros e autoridades envolvidas; quanto ao negócio com a multinacional mineradora o que se tem é que houve uma verdadeira ‘doação’ do patrimônio público. :: LEIA MAIS »

CLIENTE INSATISFEITO COM OS SERVIÇOS DOS CORREIOS

Ansioso pelo fim do monopólio dos Correios e pela sua privatização, fico mais uma vez indignado com o péssimo serviço prestado há anos por tal empresa. Difícil aceitar que um objeto chegue em Curitiba em 29.11 tenha a taxa de importação paga em 03.12 e ouvir para aguardar mais 45 dias até a chegada em Salvador… Urge a aplicação da Lei Ruaneles!

Portobello Shop aposta em condição de pagamento diferenciada para alavancar as vendas

Portobello Shop aposta em condição de pagamento

diferenciada para alavancar as vendas

Rede de franquias espera crescimento de 15% com a nova medida

Única rede de franquias do país no segmento de revestimentos cerâmicos e soluções para a casa, a Portobello Shop lança uma estratégia comercial diferenciada focada no mercado nordestino: o parcelamento em até 10 vezes, sem valor mínimo de parcela.

O objetivo dessa campanha é atrair mais clientes para as lojas, que atualmente totalizam 16 endereços distribuídos nos nove estados da região. “O mercado do Nordeste é muito pautado na negociação e, em nossas últimas campanhas, apresentou bons resultados. Assim, acreditamos que uma maior flexibilidade nas condições de pagamento impacte positivamente no volume de vendas”, explica José Gonçalves Junior, diretor de franquias da rede.

O resultado esperado é o aumento das vendas em cerca de 15% em um ano. Para isso, a rede desenvolveu um estudo do histórico de condições de pagamento pelo país e, a partir daí o Nordeste foi escolhido como mercado piloto. “Dependendo dos resultados, isso pode ser aplicado em outras regiões do país ao longo de 2019”, detalha o executivo.

Com um vasto portfólio de revestimentos para pisos, paredes, fachadas e elementos decorativos, a Portobello Shop é o endereço certo para quem quer renovar a casa de maneira personalizada e com produtos de qualidade.

SOBRE A PORTOBELLO – A Portobello, líder em revestimentos cerâmicos no Brasil, tem sua fábrica instalada em Tijucas (SC) e produz mais de 30 milhões de metros quadrados anualmente, distribuídos não apenas para o mercado interno, mas também para países dos cinco continentes. Com o design como essência, tem o compromisso de levar ao mercado soluções inovadoras, que transformem ambientes e emocionem pessoas. Seus pilares são compartilhados com suas marcas Pointer, Portobello Shop e Officina Portobello. A primeira, com fábrica instalada em Marechal Deodoro (AL), tem a missão de democratizar o design, com produtos de qualidade e preço acessível; a segunda é a maior rede de varejo do segmento e oferece uma experiência de compra diferenciada, na loja e nos ambientes digitais, para especificação e compra de produtos Portobello; e a terceira, nova aposta da companhia, é a arte da porcelanateria, combina a maestria artesanal com tecnologia de ponta, qualidade e estética, disponibilizando soluções completas aos clientes: desde projetos personalizados, como bancadas e mosaicos, até mobiliários e objetos de decoração.

Hakson Andrade numa merecidíssima homenagem

O atleta Hakson Andrade, faixa preta 3 Dan judô, foi homenageado pelo seus títulos internacionais, pelo 1 lugar no ranking estadual e nacional ,na sua categoria M1 Veterano -66.
“Gostaria de agradecer a todos que me ajudaram nestas conquistas e a todos que me acompanham.
2019 tem mais, conto com apoio de todos vocês!
Feliz  Natal e um Próspero Ano Novo a todos.”
HAKSON ANDRADE

NOTÍCIAS DA AVEP

EQUIPE DO CAPITÃO LUÍS EDUARDO É CAMPEÃ DO TORNEIO HAMILTON ANDRADE

A Associação dos Veteranos de Esporte Praiano –AVEP, entidade de “babas de praia” quase centenária em atividade de Ilhéus, completou domingo(09) a 22ª rodada desta modalidade esportiva de sua Temporada 2018 com o torneio-quadrangular em homenagem ao associado Hamilton Andrade o qual levou seu nome. A equipe do Capitão Luís Eduardo LE7 foi a vencedora da competição; a do Capitão Paulo Gois do Bradesco ficou em segundo lugar. O Torneiro-Quadrangular Hamilton Andrade se desenrolou da seguinte forma: na primeira fase as equipes dos capitães Paulo Gois do Bradesco e Renatinho dos Leais se defrontaram (no Campo Grimaldo) saindo-se vencedora nos pênaltis a do primeiro depois de elas empatarem de 1 a 1 com a bola correndo; no outro campo (o Martial) a do Capitão Luís Eduardo LE7 e a do Capitão Alex de Moises também empataram de 1 a 1 com a redonda em evolução, e nos pênaltis venceu a do primeiro. Na 2ª fase jogaram as vencedoras entre si e igualmente as perdedoras. Resultado: a equipe do Cap. Luís Eduardo LE7 abateu a do Cap. Paulo Gois do Bradesco por 3 a 1 e a do Cap. Alex de Moises goleou a do Cap. Renatinho dos Leais pelo escore de 6 a 0. Desta forma e como visto a do Cap. Luís Eduardo LE7 sagrou-se campeã e a do Cap. Paulo Gois do Bradesco vice-campeã. Os autores dos gols por equipe foram: (Cap. Luís Eduardo): Carlão do Taxi, Jatobá Negocinho, Danilo e Daniel Murta; (Cap. Paulo Gois do Bradesco): Crispa da Galera do Fla e Ralio da Contabilidade; (Cap. Alex de Moises): o próprio Alex de Moises(3), Valdomiro, Charles Reis e Mario Filho(2); (Cap. Renatinho dos Leais): Luís Humberto. Obs. não foram computados os gols de pênaltis para efeito de artilharia na temporada.

Como esta Notícias repete sempre, os babas foram realizados na praia da Av. Soares Lopes, bem defronte do espaço cultural Tenda Teatro Popular de Ilhéus. Juízes do torneiro: Wilson Salviano (no Campo Grimaldo) com atuação de regular para boa e Evanildo Conceição dos Santos (no Campo Martial) com nota boa, avaliações estas de acordo com os observadores de árbitros. Ambos integram a Associação de Árbitros de Futebol de Campo de Ilhéus – AAFCI. Quanto a cartões, ‘amarelou’ para Dilton da Ceplac, Cesinha da Nacional, Alan Firula, Coreia do HSBC e Eldon do Ofertão; ‘azulou’ para Eldon do Ofertão e ‘vermelhou’ para Eldon do Ofertão. O Diretor-do-Dia foi o próprio presidente Djalma Peludo. :: LEIA MAIS »

HÁ EXATOS 40 ANOS 16 DE DEZEMBRO DE1978

Meus Queridos Conterrâneos
Há exatos 40 anos, em 16 de Dezembro de 1978, formei-me em Engenharia Elétrica pela Universidade Católica de Petrópolis, cidade Serrana e Imperial do Rio de Janeiro.
Após 30 anos de serviços prestados na Coelba aposentei-me em Abril de 2009, levando comigo com toda a parte técnica, pois hoje dedico-me ao estudo de piano, a Literatura e a todo tipo de arte. Etapa nova na minha vida.
Nas fotos apresentadas estou com meu saudoso irmão Roberto Rabat (Tinho ), no salão nobre do Hotel Quitandinha em Petrópolis  onde foi realizada a colação de grau e com meus saudosos pais na Escola e Engenharia da UCP ( Universidade Católica de Petrópolis ) na referida cidade.
Forte abraço com carinho e saudade
José Rabat Chame
Vitória da Conquista – Ba

Uma visão do belo

Por Gustavo Kruschewsky

Professor e Advogado.

A beleza das pessoas, vista no ângulo da silhueta, analisando-se apenas o conjunto das linhas, da cor, das formas corporais “perfeitas” e das proporções “harmônicas” é de significação meramente específica e não escapa da relatividade.

Para este articulista a visão do belo é muito mais abrangente, apesar de ser também relativista. Manifesta-se em variadas acepções. Talvez mais nobres e grandiosas que o ser hominal pode ter. A exemplos de a pessoa ser: “agradável, feliz, serena, harmoniosa, formosa, grandiosa, imponente, sublime e de elevado valor moral”. Mas, apesar de certas “imperfeições” que a pessoa carrega nas suas ações não inviabiliza a admiração e o prazer que se sente por ela e ao lado dela. É muito comum determinada “imperfeição” aproximar ainda mais uma pessoa da outra ou de determinados agrupamentos. Da mesma forma que determinadas imperfeições de alguém podem ser causa de separação. É o princípio da aceitação e da não aceitação.

Mas, os estudiosos dizem que o grande inimigo da beleza é o próprio caráter da pessoa. Os filósofos se perguntam: seria possível alterar o próprio caráter? A palavra caráter é oriunda do grego “indica impressão, gravura”. Ele, o caráter, é gravado em cada um de nós pela própria natureza. É a nossa essência. Podemos deletá-lo? Perguntar-se-á.

Certo Dramaturgo da antiguidade externou que: “Naturam expellas furca, tamen usque recurret. Ou seja: Se expulsas com o forcado a natureza, ela mesma, no entanto, voltará”. Neste contexto, tentar mudar a natureza é chover no molhado? É inútil tentar eliminar o que é natural, por quê? Será que ela, a natureza daquele ser, logo voltará? Talvez a expulsão da natureza má do ser hominal deva ser utilizando-se a educação como forcado. Hoje, já existem muitas técnicas educativas para dar traços de beleza ao espírito humano, transformando-o para “melhor”.

Portanto, o temperamento de cada um, a sua essência, aquilo que constitui a natureza da pessoa, considerando-se “o conjunto das suas qualidades (boas ou más) e que lhe determinam a conduta e a concepção moral” pode dotar ou não a pessoa de predicados belos.

Na verdade, o belo em sua essência, o “to kalón”, como diziam os gregos, é relativo. O belo não possui um arquétipo. É também questão cultural. Perguntem a um sapo o que é uma pessoa bela e ele vai responder: É minha fêmea e companheira “com dois grossos olhos redondos quase saltando de sua pequena cabeça, uma goela larga e chata, um ventre amarelo, um dorso chato”. E conclui o anfíbio anuro (sapo): Para mim ela é bela. Admiro muito e tenho prazer em viver com ela.

Para o negro ou a negra da África; o belo é “uma pele negra, oleosa, olhos cravados, nariz achatado”. Uma “burguesinha” brasileira, sem um sentimento maior, certamente vai dizer que é um homem MALHADO ou uma mulher MALHADA com os olhos da cor do céu e os cabelos lisos e loiros. A altura talvez não tenha muita relevância. Nos três exemplos citados, verificar-se-á que no primeiro está o sentimento que causa admiração e prazer. Nos dois últimos apenas a admiração. Sentindo-se ao mesmo tempo a admiração e o prazer alcança-se o belo.

Ter relacionamento com pessoas belas, no nosso viver e conviver cotidiano, é tão importante para o espírito como o oxigênio para o corpo. A falta do oxigênio como da beleza adoecem. Muita gente morreu decepcionada, sem encontrar um mínimo traço do “belo” em muitas pessoas das quais conviveu e que se achavam ”belas”.

Observe-se a agonia destes versos que se seguem nesta composição poética de pequena extensão. A poetisa demonstra a incansável espera de encontrar algo ou alguém. Ela quer concretizar o encontro com o belo. A admiração já existe só resta vivenciar o prazer.

Assim se expressa: “quisera ter asas… quisera ter a audácia dos ventos… quisera ser areia morna para sentir o seu corpo em mim… quisera sorrir o seu sorriso doce e impregnar-me da sua alegria… Mas, onde está você? No colorido das flores? Esconde-se nos caracóis? Permaneço aqui, embebida de saudades… A esperar”.

PSICOMUNDO <> CAMINHOS QUE CONDUZEM OS LIMITES DO MAU <>

A trágica e maldosa estrada dimensionada pela política, hoje, no Brasil o que vemos são os presídios para prisões de políticos envolvidos no Lava Jato e casas de menores infratores cheias de jovens, principalmente, muitos que abandonaram suas famílias e olham como rota de vida as drogas. Muitos homens que administram o nosso País não estão dispostos a imaginar uma Pátria de pessoas dignas e confiáveis! E quantos seres humanos foram elevados ao mundo de crimes diante de tantas famílias pobres financeiramente, com desempregos em massa, e todos sofrem os desconfortos de verificar as agonias dos seus pais. Foram perdidos os mandos disciplinares que ajudem muitas pessoas dignas, decentes e com a merecida paz. Os adolescentes estão sendo as maiores vítimas das crises econômicas do Brasil nas últimas décadas. São colocados no mundo sem nenhuma preparação e responsabilidade de planejamento familiar. Que não seja: – “balsa-familia” uma consequência trágica dessa fatalidade de proporções indesejadas!

Não se observa uma visivelmente posição governamental de forma geral em algo que nos promova a atenção de que estamos seguros em nosso país e os brasileiros em paz para a concretização do futuro no seu pleno direito Constitucional. Estamos vivendo uma expectativa muito perigosa para a situação de vida dos jovens em nosso País. Eles estão se tornando visíveis vítimas de um sistema familiar em que destroem todos os dias seus sonhos, trazendo duras e ásperas realidades. E não sabemos como iniciar uma trajetória que mostre os caminhos de volta para sua garantia, orientando-os para que sejam pessoas felizes, sóbrias e dedicadas a si mesmas. A estatística e noticias dos meios de comunicações anunciam que muitos jovens não trabalham nem estudam. O fato de que os adolescentes geralmente ainda não iniciaram atividades de trabalho mais consistentes é uma das razões da entrada deles na insuportável fase utilizando os crimes para sua resistência.

Lamentavelmente, vão se ampliando essas enfermidades estruturais e sempre surgem pela falta de consciência de temperamento, personalidade e amor próprio. A má conduta de tantos indivíduos que supostamente governam, os responsáveis pela justiça sem condução honesta das leis, os indignos brasileiros que não procuram a honestidade acima de tudo, torna-se muito difícil, no mundo que vivemos modelos para mudança de vida, sem existir a necessária harmonia de bons exemplos extraídos do seio familiar. Esse é o primeiro caminho onde os jovens percorrem e observam na conduta dos seus pais uma estrada direcionada para seguirem o bem ou mal! De qualquer forma, o núcleo do problema está no grupo social dos adolescentes e jovens pobres. A pobreza escraviza por que não se transforma em alimento dos bons costumes educacionais dentro e fora de casa.

A explosão da população faz crescer o contingente de pessoas em busca da sobrevivência para sair da fome e da miséria, e nem todos os meios os levam ao alcance dessa vitória insana e desigual! E só entendem essas ações ou estados de coisas quem passou ou passa dificuldade, e sabe que nasceu, viveu e espera morrer com um pouco dignidade. Eles quase não aparecem na mídia, diferentemente de vítimas pertencentes à classe média, meninos de rua assassinados por grupos de extermínio e cidadãos comuns, de vários grupos sociais, mortos por balas perdidas ou pela brutalidade policial. Assim caminham as catastróficas dores do crescimento populacional e para as pessoas envolvidas profissionalmente com adolescentes que se transformou em criminosos, perder um menor com o qual existia um laço afetivo é um tipo de sofrimento que faz parte do seu trabalho diário, é como se fosse ceifada a vida de um filho.

Todos podem ver com muita tristeza que noticiam um modelo de mundo cheio de exemplos descabidos, manchetes de televisão mostrando quantos adolescentes estão vivendo em presídio com celas que mais parecem cloacas, numa dura realidade que não pediram aos seus genitores! Muito desprezível assistir cenas dessa natureza. Muitos políticos incautos e governantes desse País estão por aí afirmando que o Brasil vai bem, outros dizendo que a Bahia é Terra de todos nós numa enrolada de manifestações em benefícios políticos pessoais! :: LEIA MAIS »





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia