WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia embasa embasa secom bahia secom bahia secom bahia


junho 2022
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  






:: ‘Notícias’

A MÍSTICA DO CACAU

(Do livro em elaboração – O MANJAR DOS DEUSES É DE DAR ÁGUA NA BOCA – Luiz Ferreira & A.C. Moreau).

O cacau desde os primórdios quando da sua apreciação pelos indígenas da América Central, carrega um valor místico. Era consumido, sob forma de bebida preparada a partir das amêndoas pelos reis e nobres das tribos e até chamado de alimento dos deuses. Serviu de moedas para pagamento de impostos das sociedades da época. Foi levado para a Europa por conquistadores como produto exótico para o consumo das elites e nobreza.

Mais tarde, o cacau foi trazido para o sul do Estado da Bahia e cultivado por pioneiros desbravadores das matas primárias ali existentes. Os primeiros plantadores de cacau eram trabalhadores destemidos que migraram de regiões secas do Nordeste do Brasil e se aventuraram pela floresta, desprovidos de ferramentas, de veículos de transportes e de equipamentos adequados de trabalho, lutando braçalmente para criar condições mínimas de vivência.

Com o aumento do consumo e afirmação do mercado, houve uma expansão do plantio de cacau e surgiram as “fazendas de cacau” produtoras das amêndoas para a exportação, pagas em dólares pelas cotações diárias nas bolsas de valores.

As fazendas que produziam cacau, passaram a ter um valor venal diferenciado; os bancos as recebiam como garantias de financiamentos; os frutos “pendentes” dos cacaueiros eram penhorados. As facilidades de crédito rural para cacau, pois, foram enormes.

Os profissionais liberais e pessoas que vinham para a região sonhavam em possuir uma fazenda de cacau e os filhos e filhas dos cacauicultores eram considerados “bons partidos” para o casamento devido as heranças.

Os governos Estadual e Federal criaram órgãos específicos para apoiar a lavoura do cacau em ocasiões de crises de produção e de dívidas que por vezes foram anistiadas.

Os jornais nacionais e estrangeiros noticiavam as riquezas geradas pelo cacau e dezenas de firmas compradoras de cacau se instalaram na região e algumas indústrias de fabricação de chocolate e derivados do cacau vieram para Ilhéus, o maior município de cacau do Brasil.

Estudiosos, cientistas e escritores deram contribuição com análises, projetos, diagnósticos, publicações técnicas, contos literários, poesias sobre diversos aspectos do cacau e do ecossistema regional, tendo como centro, o cacaueiro. Até filmagens e novelas foram montados tomando como tema o cacau.

O Instituto do Cacau da Bahia e a CEPLAC mantidos com taxas sobre a produção do cacau, tiveram um extraordinário crescimento e aplicaram recurso em diversos setores, por meio de centenas de convênios com outras instituições atuantes na Região.

A CEPLAC teve recursos para realizar um forte programa de retorno do cacau às origens, montando um Departamento Especial de incentivo à lavoura de cacau na Amazônia, em especial no Pará.

Todos esses valores, ao longo de aproximadamente 100 anos, criaram uma mística em torno do cacau e do chocolate que se agregou de forma histórica e irreversível à região denominada “Região Cacaueira da Bahia”.

Infelizmente, a região não conseguiu capitalizar e investir de modo mais proveitoso os recursos gerados pelo cacau e até pela sua fama, para empreender um desenvolvimento amplo que beneficiasse toda a sociedade regional com obras e serviços públicos para elevar o ÍDH – Índice de Desenvolvimento Humano, a nível compatível, como aconteceu em outros polos agrícolas, a exemplo do café em Londrina.

 

 

Ação do GAP impede poda de árvore considerada indevida na praça da Catedral em Ilhéus

A atuação de voluntários do Grupo de Amigos da Praia (GAP) impediu mais uma poda de árvores considerada indevida na Avenida Soares Lopes, em Ilhéus. Na manhã desta quarta-feira (22), funcionários da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos tentaram executar uma supressão de galhos considerada crime pelos ativistas ambientais, pois essa atividade está suspensa desde 2020, quando foi impetrada uma ação civil pública de improbidade administrativa contra a prefeitura da cidade, após mobilização do coletivo Preserva Ilhéus que coletou 20 mil assinaturas para a petição.

Conforme a advogada do Preserva Ilhéus e voluntária do GAP, Jurema Cintra, a ação da prefeitura contém várias ilegalidades. “Os servidores não tinham ordem de serviço, não usavam equipamentos de proteção e não seguiam as normas técnicas previstas para poda em áreas urbanas. O que a prefeitura está fazendo não é poda, é mutilação”, explica a ambientalista. Ela chama atenção para o fato de que as árvores da avenida, assim como em outros locais, servem de morada para milhares de aves, embelezam e humanizam a paisagem e proporcionam sombra e ar puro.

O serviço foi suspenso após a intervenção da Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (Cippa), que verificou a falta da ordem de serviço ou autorização ambiental pelos prepostos do Município. Os agentes da Cippa orientaram os servidores sobre a necessidade de obediência aos protocolos previstos em lei para esse tipo de serviço. Estiveram presentes também os secretários municipais de Meio Ambiente, Diego Batista Messias, e de Serviços Urbanos, João Aquino dos Santos.

Imediatamente após o ato, o movimento Preserva Ilhéus solicitou o revigoramento da liminar concedida pela 1ª Vara de Fazenda Pública de Ilhéus, em 2020, que proíbe o corte de árvores na Avenida Soares Lopes e na zona urbana da cidade. O GAP também protocolou uma denúncia no Ministério Público do Trabalho (MPT) para que investigue as condições dos servidores municipais do setor de iluminação pública. “Trabalham sem equipamentos de segurança, colocando suas vidas em risco”, justifica Jurema Cintra.

Robô-drone será uma das atrações tecnológicas da SuperBahia

A maior feira de supermercados do Norte e Nordeste tem expectativa de gerar R$ 300 milhões em negócios

Um robô-drone com um sistema capaz de identificar os produtos com maior saída das prateleiras e permitir a reposição mais rápida será uma das inovações tecnológicas apresentadas na 11ª edição da SuperBahia – Feira e Convenções Baiana de Supermercados, Atacados e Distribuidores, que ocorrerá de 12 a 14 de julho, no Centro de Convenções de Salvador. O equipamento é o principal lançamento do evento, organizado pela Associação Bahiana de Supermercados (Abase). Com o tema “Conheça o Varejo do Futuro”, o evento reunirá mais de 100 expositores de todo o Brasil em uma área total de 4.216 m². A expectativa é gerar R$ 300 milhões em negócios, um aumento de 13,2% em relação à última edição, realizada em 2019, e reunir um público estimado em 15 mil pessoas

Os avanços tecnológicos para o varejo de alimentos são realidade nos principais estabelecimentos do setor. Se, antes, seguir as últimas tendências do mercado era privilégio de poucos, hoje é uma questão de sobrevivência. De acordo com o superintendente da Abase, Mauro Rocha, o robô-drone será um aliado das redes de atacado e varejo sobre a preferência do consumidor. “Este equipamento utiliza um scanner, que faz a conferência do estoque de produtos de forma mais rápida e assertiva. Também serão apresentados vários sistemas de gerenciamento do cliente na loja (preferência de compras), venda online, software de gerenciamento de categoria (controle melhor do produto e da categoria), entre outros”, explica.

Alguns serviços, como o self checkout, app de compras e tela inteligentes, já estão presentes na maioria dos médios e grandes varejistas da capital baiana, cujo objetivo é melhorar a experiência do consumidor no estabelecimento, reduzindo o tempo de espera e garantindo descontos em determinados produtos. O superintendente da Abase acredita que a tecnologia é uma aliada na comunicação com o cliente. “A comunicação visual, como o layout das lojas e a iluminação de LED, além de um software de gestão eficaz, já tem muita tecnologia. O principal é o supermercadista se atualizar, fazer uso daquela que vai agregar mais valor ao seu negócio e ao consumidor”, esclarece Mauro Rocha

Diversas empresas nacionais e internacionais marcarão presença nos três dias da feira, como Ambev, Heineken, Coca-Cola,Grupo Petrópolis, Seara Alimentos, Indústrias Maratá, Eletrofrio, GS1 Brasil, Ecoart Tecnologia, Coopeavi, Brasfrut Frutos, Dampel Indústria, Uau Inglesa, Rgis Brasil, Mais Frio Refrigeração, Nestlé, Sodexo, Dular, Frutecon, Agencia Argentina de Investimentos e Comercio Internacional, RPB S.A, Latifina S.A, Millan S.A, Docta Mills S.A, Metalurgica Kevin, Bodega Quietud, Bodega Horizonte Andino, Chaquepe, El Campo, Scard Administradora, M. Dias Branco, Concessionária Bravo Caminhões e Ônibus, entre outra

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas por meio do site www.abase-ba.org.br ou pelo telefone (71) 3444-2888. Não será permitida a entrada de menores de 18 anos

 

Secretaria da Saúde distribuirá 1 milhão de camisinhas durante o São João da Bahia 2022

Depois de dois anos sem poder comemorar em grandes festas e shows com aglomeração, este ano poderemos matar a saudade. Como forma de instruir a população acerca da importância do sexo seguro, A Secretaria da Saúde – Sesab, junto com a Secretaria de Turismo – Bahiatursa, distribuirá cerca de 1 milhão de preservativos entre eles masculinos e femininos durante o São João da Bahia 2022.

A ação ‘CAMISINHA TÁ NA MÃO’, tem como objetivo principal, alertar milhões de baianos e turistas sobre a importância da prevenção contra infecções sexualmente transmissíveis e a prática do sexo seguro.

Será realizada de 23 de junho a 2 de julho, em Salvador, Amargosa, Ibicuí, Ipiaú, Ilhéus e Itabuna. Na ocasião, além dos preservativos, panfletos informativos também serão distribuídos.

 

PROGRAMAÇÃO

• 23, 24, 25, 26, 30/06, 01 e 02/07/2022 em Salvador.

• 23, 24, 25, 26/06/2022 em Amargosa, Ibicuí e Ipiaú.

• 30/06, 01 e 02/07/2022 em Ilhéus e Itabuna

Aquatro Assessoria de Comunicação

Ornamentação do São João de Santo Antônio de Jesus vai contar com 125 mil metros de bandeirolas nas ruas

Santo Antônio de Jesus – SAJ para os chegados e mais íntimos – como uma caipira faceira, já vem se enfeitando toda para o São João 2022, com 125 mil metros de bandeirolas colorindo o céu, o forrozinho nos bairros, festival de quadrilhas, além da Vila Junina na Praça Padre Matheus, com artesanato e comidas típicas – tudo ficando pronto para realizar uma das maiores festas juninas do Nordeste, após dois anos de interrupção por causa da Covid-19.

“Durante todo o mês de junho estamos desenvolvendo atividades culturais com foco no fomento à tradição junina, além de preparar a grande festa do São João, que conta com uma das maiores estruturas da Bahia. Os trabalhos de montagem da festa contam com empresas especializadas e utilizam muita mão-de-obra local. O São João é a principal manifestação cultural do povo nordestino. Como a cidade tem Santo Antônio como seu padroeiro joanino, a decoração segue a nossa tradição quase sesquicentenária“, explica Genival Deolindo, prefeito de Santo Antônio de Jesus.

“O São João em SAJ sempre foi muito animado, precedido pela trezena de Santo Antônio. Era uma prévia, durante 13 dias, de muito foguetório às 18h, no meio e ao final da reza, além de muitos balões no céu. Em cada noite era homenageada uma categoria: dos artistas, dos motoristas – com mais fogos – dos bancários etc. A festa antonina-joanina se concentrava na Praça Padre Mateus, onde era o Barracão da Feira e a original igreja jesuítica da cidade, derrubada nos anos 1950”, conta o escritor e jornalista Fernando Vita, um dos filhos ilustres de Santo Antônio.

Vita rememora que não existiam os arraiais juninos em praça pública. “Os bailes eram na roça. No Barracão da Feira, duelavam a Sociedade Filarmônica Carlos Gomes e a Sociedade Filarmônica Amantes da Lira, e a festa junina mais animada era na Sete de Setembro, com fogueiras e bandeirolas nas ruas, animada pela família Andrade, com D. Georgina e Seu Zeca, dono da funerária A Adornativa (hoje, Funerária Andrade). Shows de música junina – com Luiz Gonzaga, Zé Gonzaga, Trio Nordestino, Duo Siriema e Adelaide Chiozzo – eram fora do período de São João, na marquise da Loja Paraíso”, relembra o escritor santontoniense.

 

 

 

 

NOTÍCIAS DA AVEP

EQUIPES DOS CAPITÃES ALEX DE MOISES E RENATINHO DOS LEAIS GANHAM NA 9ª RODADA

A 9ª rodada de ‘babas de praia’ realizada domingo pela manhã (12.6.2022) pela Associação dos Veteranos de Esporte Praiano (AVEP), entidade com referência a mencionada modalidade esportiva, quase centenária de Ilhéus, foi marcada pelas vitórias das equipes (Campo Grimaldo) do Capitão Alex de Moises ao vencer a do Capitão Marconi por 5 a 4 e a do Capitão Renatinho dos Leais ao golear (Campo Martial) a do Capitão Zezinho da Baixa Fria por 5 a 1. Os babas aconteceram como de praxe na praia da Av. Soares Lopes, no trecho adjacente aos campos de tênis da Associação Ilheense de Beach Tennis (AIBT). No primeiro campo os gols da vencedora foram de Paulo Cesar, Claudio Assis, Gagarin e Luciano Santana (2), da perdedora Rogério II(2), Fred de Itabuna e Marconi; no segundo Duda Pantera, Fabio Alan(2), Badunga e Charles fizeram os gols da vitoriosa e Junior Murta fez o chorado gol da derrotada. A rodada foi arbitrada pelos juízes Emerson Silva (Campo Grimaldo) e Edson Miranda da Silva que obtiveram atuações de regular para boa, conforme os analistas de árbitros da Associação. Ambos integram a Associação de Árbitros de Futebol de Campo de Ilhéus (AAFCI). Receberam Cartão Amarelo, Carlão do Taxi, Charles Reis, Goleiro Rosivaldo, Goleiro Vando Paiaço, Gagarin, Podão e Paulo Cesar; Cartão Azul, Paulo Cesar. A coordenação da rodada esteve a cargo como Diretor de Baba do Dia do associado Robertão.

COMENTÁRIOS

Esta parte do Notícias ficará em branco por falta de informações dos analistas de baba. ‘Faiaram’ feio na jogada.

Então, quem ganhou, ganhou; quem perdeu, perdeu e, bola pra frente.

NOTAS

Esta ‘Notas’ também ficaria em branco por falta dos colaboradores. Entretanto, de última hora, a redação do Notícias recebeu telefonema do lateral-direto-defensivo-e-‘atacativo’ Everaldo Cabeça de Flande, relatando que a AVEP já possui mais uma dupla de ‘negocinhos’, segundo ele, Goleiro Zeca do Espigão e Ismar Landgol. A respeito nos enviou uma foto do Goleiro Zeca dando um abração no atacante Ismar, e completa que houve a recíproca após o termino da 9ª rodada num barzinho romântico do Malhado.

Cabeça de Flande, também conhecido como a ‘língua ferina avepiana’, comentou ademais que tudo indica que o beque-de-vigor Alvinho Malta tomou os banhos de folhas recomendado por um pai-de-santo da cidade, pois desta vez, ele tirou o pé da lama e ganhou de 5 a 4.

Equipes no Campo Grimaldo conforme súmulas

(Cap. Alex de Moises): Goleiro Rosivaldo, Paulinho da AFC (Luciano Santana), Paulôô da Bit Way, Ubaldo (Gutemberg Trator) e Gagarin; Alvinho Beque-de-vigor, Podão e Paulo Cesar; Danilo, Claudio Assis e Alex de Moises (Ralio da Contabilidade)

(Cap. Marconi): Goleiro Vando Paiaço, Sizinio do Remo (Adauto Negocinho), Djalma Peludo, Dinho Beque-de-avanço, Galletti da Rio de Engenho e Silvio Reis(Fred de Itabuna); Pedro Chama Gol (Isaque), Luís Mario da AGU(Daniel Murta) e Lino; Rogério II e Marconi

Equipes no Campo Martial conforme súmulas

(Cap. Zezinho da Baixa Fria): Goleiro Zezinho da Baixa Fria, Eduardo Japonês, Junior Murta, Gicelio Rã Rã, e Zé Eduardo(Udson da Polícia); Vado do Bradesco(Cícero), Luís Humberto, Robson e Silva; Carlão do Taxi e Pitanga

(Cap. Renatinho dos Leais): Goleiro Zeca do Espigão, Geraldo da Ceplac(José Milton), Prof. Jorge Reis, Gilson do Taxi e Badunga; Charles Reis e Ismar Landgol e Fabio Alan; Renatinho dos Leais, Duda Pantera e Artur ‘Alicate’ Kruschewsky

Texto do associado Heckel Januário. Fotos dos “babas” de Marconi Almeida, fotógrafo oficial e diretor de Divulgação da Avep. O Prof. Jorge Reis é o fotógrafo de momentos etílicos desta entidade e seu Secretário.

 

 

 

 

“Casa de Antônio” segue programação em Santo Antônio de Jesus, com piseiro, arrocha e compromisso de capacitação

A programação da “Casa de Antônio” segue nesta semana, após três dias de inauguração de sucesso, em Santo Antônio de Jesus, um dos principais destinos do São João na Bahia. O projeto leva assinatura do whisky Ballantine’s e conta com produção de Wagner Miau, em parceria com a Agência Gamboa.

Com foco em coquetelaria, com carta assinada pelo mixologista da Pernod Ricard, Dilton Sales, e com gastronomia assinada pelo Buffet Alecrim, o espaço recebeu o cantor Juliano SS com muito piseiro no Ballantine’s Day, já na quarta-feira (15). O arrocha de Stéffano Lemos anima os visitantes na sexta-feira (17), enquanto a cantora Carol Souza fica responsável pela trilha sonora do sábado (18).

Além da programação cultural e da experiência gastronômica, a “Casa de Antônio” segue acolhendo a comunidade local, promovendo capacitação gratuita para bartenders da região, e estimulando ações sustentáveis. Por lá, todo resíduo sólido gerado é tratado e são utilizados biocopos, de menor impacto ambiental.

Movimentando também a economia, o projeto “Vila dos Drinks”, que faz parte das ações 360º de São João da Pernod Ricard, se faz presente no varejo local, com promoções e trocas de brindes, além de parcerias com os principais eventos da região, como o Camarote da Praça de Santo Antônio de Jesus e o Forró do Lago.

A Casa de Antônio atende até 200 pessoas diariamente, em três fins de semana do mês, até 25 de junho, apenas para convidados.

 

Conheça mais da Casa de Antônio!

 

José Mion

COMO Comunicação

Funceb inscreve bandas filarmônicas da Bahia no Festival Dois de Julho até sábado (18/06)

Chamada pública vai selecionar 12 bandas filarmônicas para se apresentarem entre os dias 14 e 16 de julho no Centro Histórico de Salvado

Até 18 de junho estão abertas as inscrições para o Festival Dois de Julho – Filarmônicas da Bahia, que selecionará 12 bandas filarmônicas para se apresentar em Salvador entre os dias 14 e 16 de julho. O chamamento online é realizado pela Fundação Cultural do Estado, junto à Secretaria de Cultura e ao Centro de Cultura Populares e Identitárias do Estado. O cadastro pode ser realizado gratuitamente no site da Secult.

As filarmônicas deverão possuir, no mínimo, dois anos de atuação na área, e as selecionadas receberão prêmio no valor de R$ 20 mil. Nas apresentações, que irão ocorrer nos largos do Centro Histórico de Salvador, serão convidados seis artistas baianos para se juntarem às bandas no shows que serão abertos ao público.

A curadoria para seleção das Filarmônicas será formada pelo Prof. Dr. Adjunto (Trompa) da Universidade Federal da Bahia e professor de Trompa da Universidade Estadual de Minas Gerais, Celso Rodrigues Benedito; pela clarinetista e professora de Música, Indira Dourado Costa; e pelo produtor musical, agente cultural, ex-conselheiro estadual de Cultura e fundador da Frente Cultural de Senhor do Bonfim/BA, Salomão Pedro de Oliveira. Dúvidas sobre o edital podem ser encaminhadas para o email festival2dejulho@cultura.ba.gov.br.

 

 

GAP cria Jardim Ranitla Scaramussa Bonella na BA-001 como símbolo para a segurança no trânsito

Durante manifestação por mais segurança e educação no trânsito realizada na última quarta-feira (15), na Avenida Tancredo Neves, trecho da rodovia BA-001 que corta a zona sul de Ilhéus, o Grupo de Amigos da Praia (GAP) doou 14 mudas de Ipê, Pau Viola, Araçá e Jacarandá para a criação do Jardim Ranitla Scaramussa Bonella, jovem dentista de 23 anos que morreu no último sábado (11), após ser atropelada enquanto atravessava a faixa de pedestre. O plantio foi realizado por familiares e amigos da jovem que vieram de Eunápolis para participar do ato e reivindicar justiça, voluntários, membros de movimentos sociais, estudantes e representantes de entidades da sociedade.

O GAP mobilizou moradores e comerciantes locais para que adotem as árvores plantadas no jardim e cuidem do seu crescimento. Já ocorreram sete adesões voluntárias. “Convidamos as pessoas a integrar a ação e assim contribuir para a arborização da avenida, com o intuito de humanizar o espaço, além de prestar uma homenagem simbólica a Ranitla”, explica a voluntária e engenheira agrônoma, D’avila Maria, uma das idealizadoras do Jardim Ranitla Scaramussa Bonella. Em seguida, serão plantadas mais mudas em outras áreas da cidade, até completar o total de 23 árvores, idade da dentista.

A manifestação com parentes e amigos de Ranitla Scaramussa Bonella aconteceu de forma pacífica e durou cerca de uma hora. Foi organizado pelo coletivo Por Uma Ilhéus Melhor, que tem como objetivo principal cobrar dos governos municipal e estadual intervenções para melhorar a mobilidade e o desenvolvimento urbano da cidade, afim de reduzir o elevado índice de acidentes de trânsito que acontecem diariamente em diversos trechos, especialmente na área de duplicação da BA-001, na zona sul.

No feriado do Corpus Christi (16), as voluntárias do GAP, Jurema Cintra e Silvana Lins, já iniciaram o processo de manejo comunitário das mudas, adubando, fazendo “ninhos” com folhagem e molhando as plantas. Quando adultas, as árvores irão trazer flores e frutos para os pássaros. “Esperamos que a natureza possa dar o conforto que as famílias precisam, e que de uma história trágica de mortes e acidentes, possa florescer a esperança e a mudança de mentalidade pela paz no trânsito”, afirma Jurema Cintra.

Adequação

A professora Peolla Paula Stein, do curso de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), afirma que a via atualmente tem uma velocidade incompatível com área urbana. “É preciso reduzir o limite para 50 quilômetros por hora. Também não está com características urbanas e que ajudam a moldar o comportamento, por exemplo, paisagismo”, alerta.

A especialista diz ser senso comum no meio técnico que pessoas de maior poder aquisitivo não respeitam radares. “Não dói no bolso. As leis de trânsito foram afrouxadas também no último ano de forma que dificilmente uma pessoa perde a licença de dirigir. É uma permissão e poderia ser cassada, muito embora os brasileiros considerem um direito. Com tudo isso, se faz urgente a implantação de lombofaixas. Aí sim, obrigatoriamente, todas as pessoas têm de reduzir a velocidade. Também, de forma simples, você determina que o pedestre tem prioridade. E elimina muito a ocorrência de ‘rachas’. Os radares entram como complemento em locais adequados, muito bem estudados antes, pois quando são mal instalados geram acidentes graves também”, enfatiza Peolla.

_____________________________________________________

Ascom Grupo de Amigos da Praia (GAP)

Jornalista responsável: Vera Rabelo

Contatos: (73)99104-4308 / agenciarabelo@gmail.com

17/06/2022

 

 

MARMITA MENSAL EM ILHÉUS,FAÇA SEU ORÇAMENTO- 988135460 (ZAP)

AO IDOSO, MEXA-SE!.

Luiz Ferreira da Silva, 85

Á medida que se envelhece, o corpo vai requerendo um tratamento especial, para que seus órgãos continuem, em consonância com o sistema cerebral, operando a contento, estipulando as cargas suportáveis.

Somos uma máquina fantástica. Poucos sabem disso e muitos não sabem operá-la. Imagine o nosso coração. Trabalha sem parar, não tem férias e sempre nos informa quando se sente sobrecarregado. O meu tem 85 anos nesta batida.

E o que muitos fazem? Ao invés de cooperar, usam um “óleo” com alto teor alcoólico, “lubrificantes” gordurosos e choques estressantes. Um carro de alta tecnologia, a exemplo de uma Ferrari de 3 milhões de reais, com menos de 3 anos, a depender do uso, carece de recondicionamento do motor.

O tempo é inevitável. A cada dia, fica-se mais velho, até se chegar à faixa dos idosos, convencionada em 60 anos.

Daí, a estrada que era plana, começa a apresentar subidas, exigindo maior esforço que dantes, ao tempo que o corpo vai perdendo o “gás”.

Os dentes se fragilizam, os músculos perdem massa e o ossos se enfraquecem. São sinais da natureza que comanda todo nosso ciclo orgânico. A Mãe Natureza.

É o que acontece com os animais. O poderoso leão, de repente tem fragilizada sua arcada dentária e as suas pernas começam a fraquejar. É uma redução da sua capacidade de vida, pois já não pode mastigar e, ademais, correr atrás de uma presa. É o seu fim.

Assim, somos nós. É o estágio final da vida. E temos que agir.

No ano passado, aos 84 anos e 6 meses, após ficar parado por 18 meses devido a pandemia da covid-19, sem fazer as costumeiras caminhadas e nem frequentar as aulas de pilates, acordei com dificuldades de andar, com muitas dores na virilha e nos quadris. Antevi-me com uma bengala, ao chegar aos 85, ou mesmo em cadeira de rodas. Fiquei triste.

Imediatamente, submeti-me às mãos competentes de um profissional, por 12 sessões, e mais 3 meses adicionais de exercícios específicos de fortalecimento muscular, através da técnica de pilates. “Santo” remédio.

Renasci em termos, pois a força da velhice em conluio com a da gravidade, continua a me exigir o famoso “mexa-se”.

Por outro lado, a natureza sábia nos auxilia quando se aproxima a reta final da vida. Refiro-me ao que se chama de caduquice.

Ainda não cheguei lá. É fundamental que se procrastine com mais tempo, fertilizando os neurônios, mantendo-os sempre “sinapseando”. É outro bom remédio.

Pois é! No meu tempo, nunca ouvi falar de mal de Alzheimer e nem de mal Parkinson. Falava-se em caduquice – o velho está caduco – que era interpretada com o real envelhecimento “one way” (sem retorno).

Eu acredito na misericórdia orgânica, ditada pela natureza que nos rege, de modo que a pessoa humana receba a morte sem saber que ela está chegando.

Em conclusão; não fique em cadeira do papai, como um mero espectador, esperando o fechamento das cortinas, sem participar de nenhum ato. Qualquer atividade, por menor que seja, é salutar. O fundamental é sair do ZERO; mexa-se, pois.

 

 

Escola SESI é finalista com 20 projetos na Feira Brasileira de Jovens Cientistas

Evento será realizado no período de 23 a 26 de junho e reúne estudantes de todo o país

Vinte projetos de pesquisa de estudantes da Escola SESI de Salvador e do interior da Bahia foram selecionados e são finalistas da 3ª edição da Feira Brasileira de Jovens Cientistas (FBJC). Voltado para estudantes de Ensino Médio, o evento tem como objetivo fomentar a produção científica no Brasil e contribuir para dar visibilidade à iniciação científica no Ensino Médio.

Além dos 20 projetos finalistas já confirmados, a Escola SESI tem dois projetos aprovados com ressalva que necessitam de esclarecimentos e ajustes para serem incluídos na lista de finalistas. A FBJC será realizada em ambiente virtual no período de 23 a 26 de junho.

A Escola SESI Reitor Miguel Calmon, de Salvador, é a escola com maior número de projetos finalistas. São 11 no total que tratam de temáticas diversas no campo das ciências sociais. A Escola SESI Anísio Teixeira, de Vitória da Conquista teve seis projetos acolhidos entre os finalistas, um deles aprovado com ressalva. Os projetos identificados como aprovados com ressalvas poderão ser aprovados como finalistas mediante esclarecimentos e/ou alterações.

 

 

 

Na sequência, a Escola SESI José Carvalho, de Feira de Santana, teve três projetos confirmados e um sob ressalva, totalizando 4 projetos finalistas na FBJC e a Escola Sesi Adonias filho, de Ilhéus, com um projeto na lista de aprovados.

A Rede SESI de Educação participa dos principais eventos científicos realizados no Brasil, incluindo a Febrace, Mostratec e, no âmbito estadual, dos eventos pré-universitários promovidos pela Universidade Federal da Bahia.

De acordo com o professor Fernando Moutinho, gerente responsável pelo desenvolvimento da iniciação científica na Rede SESI, investir na formação científica dos alunos é uma prioridade em todas as escolas, dotadas de infraestrutura para o desenvolvimento de atividades em ciência. O SESI Bahia mantém inclusive um programa de incentivo que inclui a concessão anual de 50 bolsas de iniciação científica concedidas aos alunos das escolas da capital e interior.





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia