WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
policlinica itabuna secom bahia teatro itabuna


outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  






:: ‘Notícias’

Sesi Ilhéus apresenta projetos de alunos sobre Bioeconomia e Desenvolvimento Sustentável

A Escola SESI Ilhéus realiza nos dias 18 e 19, no Calçadão Jorge Amado, a apresentação dos  projetos desenvolvidos pelos estudantes durante o ano letivo.

Os trabalhos, que fazem parte da Mostra Sesi de Artes, Ciência e Tecnologia,  que reúne 260 alunos do ensino médio, serão apresentados durante todo o dia no estande montado pelo Sesi com a presença de estudantes e professores. O tema deste ano é “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”.

A mostra é aberta à comunidade,  que poderá conhecer projetos que serão aplicado no dia a dia, com benefícios para a economia e o meio ambiente do Sul da Bahia.

Inscrições abertas para ciclo de capacitações Pratique Inovação em Itabuna

Inovação 4.0, Partida Join e Design Thinking são alguns dos temas oferecidos no programa

Soraia Carvalho/ASN BA

O Sebrae em Itabuna está com inscrições abertas para o programa Pratique Inovação. Interessados em adquirir o pacote de capacitações, já podem se inscrever através do site: http://lojavirtual.ba.sebrae.com.br.

A série de capacitações tem o objetivo de incentivar o processo criativo nas micro e pequenas empresas do munícipio além da competitividade dos pequenos negócios da região. Para isso, serão oferecidas ferramentas práticas e conteúdos focados em criar diferenciais para as empresas que participarão do programa.

O Pratique Inovação é composto por três oficinas. Nos dias 22 e 23/10, acontece a oficina “Gestão na era da Inovação 4.0”. Esta solução tem como objetivo traduzir as mudanças no mundo dos negócios e suas tendências. A exemplo das tecnologias disruptivas e Crowd Economy representadas pela Indústria 4.0, Blockchain e Economia Compartilhada.

Para o dia 24/10, será realizada a oficina “Partida Join – Inovação na prática”, um jogo colaborativo de geração de ideias para os desafios das organizações, baseado no método Design Thinking. Os participantes serão motivados a pensar diferente e inovar de forma participativa e lúdica. O ciclo de capacitações encerra no dia 05/11, com a oficina “Inovando com Design Thinking”, o público será imerso do no universo da inovação, segundo o Manual de Oslo, em seguida, participarão de um jogo colaborativo inspirado no fluxo do Design Thinking.

Todas as capacitações acontecerão na sede do Sebrae em Itabuna. O investimento para aquisição do pacote é de R$120,00 (cento e vinte reais). Para maiores informações e inscrições: 73 3613-9734 ou 99974-2262 ou através do site: http://lojavirtual.ba.sebrae.com.br.

FILHOTES DE AMERICAN BULLY COM PEDIGREE IBC 73988135460

FORNECEMOS MARMITA MENSAL, FAÇA SEU ORÇAMENTO- 988135460 (ZAP)

UFSB Ciência – Pesquisa sugere nova metodologia para fiscalizar termos de ajustamento de conduta na área ambienta

Pesquisa sugere nova metodologia para fiscalizar termos de ajustamento de conduta na área ambiental

 

A fiscalização do cumprimento de normas de preservação ambiental, da prevenção e da reparação de danos é uma das atribuições de diferentes instituições do poder público. A verificação do cumprimento dos Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) de adequação ambiental firmados por proprietários rurais com a Promotoria de Justiça Regional Ambiental de Teixeira de Freitas, bem como uma proposta de metodologia de fiscalização, foram os objetivos da pesquisa desenvolvida pelo promotor de Justiça Fábio Fernandes Corrêa no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologias Ambientais (PPGCTA), ofertado em parceria entre a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA). A sessão ocorreu em 29 de abril deste ano, com a defesa da dissertação O novo Código Florestal e os imóveis rurais no extremo sul da Bahia: uma abordagem metodológica de monitoramento ambiental perante a banca presidida pelo orientador, professor Roberto Muhájir Rahnemay Rabbani, e composta pelos professores João Batista Lopes da Silva, Gabriela Narezi e Patrícia Aurélia Del Nero.

O estudo desenvolvido pelo promotor de Justiça e mestre pelo PPGCTA tratou de compromissos de adequação ambiental firmados por proprietários de 318 imóveis perante a Promotoria de Justiça Regional Ambiental de Teixeira de Freitas em 2012, usando imagens de satélite para verificar se as áreas de preservação permanente (APP) e de reserva legal (RL) que estavam degradadas haviam sido recuperadas. A metodologia proposta na pesquisa permitiu verificar que em quase dois terços dos casos, não houve o atendimento do compromisso de recuperar as áreas degradadas. Uma das conclusões é a necessidade de cogitar outras medidas na atuação do Ministério Público, dentre elas a interação com outros órgãos públicos e iniciativas da sociedade civil.

O promotor de Justiça Fábio Fernandes e o professor Roberto Rabbani detalham o histórico e a relevância do tema e explicam os resultados do estudo.

De que trata a pesquisa?

O estudo tem como marco histórico a atuação do Ministério Público Estadual da Bahia na seara ambiental, especificamente no cumprimento dos Termos de Ajustamento de Conduta (TAC´s) referentes aos imóveis rurais, e seus respectivos cadastros e licenciamentos ambientais, através da revisão bibliográfica e na análise comparativa de imagens de satélite disponíveis no Google Earth Pro.

Em 2005, o Ministério Público do Estado da Bahia criou o Núcleo de Defesa da Mata Atlântica (NUMA), formado por todos os promotores de Justiça atuantes no Bioma, com o objetivo de oferecer uma melhor proteção à sua vegetação nativa. O NUMA conta com uma estrutura de Coordenações Regionais ao longo da costa baiana e cada uma delas traçou estratégias de atuação. A Coordenação Regional da Costa das Baleias, no extremo sul do Estado, decidiu investigar a atividade de silvicultura de eucalipto, especificamente quanto à existência de averbação de área de reserva legal, exigida à época pela Lei nº 4.771/65, nos imóveis rurais com plantações da citada cultura.

Após articulação com o órgão ambiental estadual, em 2008 o Instituto do Meio Ambiente, autarquia vinculada à Secretaria de Meio Ambiente do Estado da Bahia, realizou fiscalizações nos imóveis rurais pertencentes ao Programa Produtor Florestal, cujos proprietários são denominados “fomentados” das empresas de papel e celulose atuantes na região do extremo sul do Estado. Foi constatado que cerca de 60% (sessenta por cento) dos imóveis não tinham licença ambiental ou estavam com a licença vencida. Mais de 70% (setenta por cento) deles apresentavam áreas de preservação permanente degradadas, além de não terem a devida averbação da reserva legal perante o Cartório de Registro de Imóveis.

Provada a responsabilidade das empresas Suzano Papel e Celulose S/A e Fibria Celulose S/A por fomentar atividade econômica em áreas ambientalmente irregulares, logrou-se firmar, no dia 05 de dezembro de 2011, um compromisso de ajustamento de conduta com o Ministério Público Estadual. Entre as obrigações assumidas pelas empresas está a de contribuir com a adequação ambiental dos imóveis rurais fomentados, por meio de uma análise técnica das condições ambientais da propriedade ou posse, a elaboração de seus mapas georreferenciados e dos projetos de recomposição de áreas degradadas e alteradas. Havendo necessidade, também se comprometeram em doar mudas de espécies nativas aos fomentados, em quantidade que varia conforme o tamanho da área de eucalipto plantado.

A partir de 2012, os produtores rurais fomentados também passaram a se comprometer perante a Promotoria de Justiça Regional Ambiental de Teixeira de Freitas com a adequação ambiental de suas propriedades ou posses rurais. No entanto, passados vários anos dos citados compromissos, não se sabe se as disposições do Novo Código Florestal foram realmente observadas, em especial as recomposições das áreas de preservação permanente e de reserva legal.

A Promotoria de Justiça Regional Ambiental de Teixeira de Freitas detém atribuição em 13 municípios do extremo sul do Estado da Bahia e, atualmente, possui 1.529 imóveis rurais, abrangendo uma área total de mais de 418 mil hectares, cujos proprietários estão obrigados com sua adequação ambiental. Neste sentido, a justificativa do trabalho foi a necessidade de avaliar o cumprimento dos compromissos assumidos, por meio de mecanismos que possibilitem realizar um monitoramento das áreas ambientalmente protegidas, com a consequente garantia do direito fundamental ao meio ambiente ecologicamente equilibrado.

Assim, o objetivo geral do estudo foi verificar a adequada regularização ambiental dos imóveis rurais fomentados pelas empresas de celulose, no tocante às áreas de preservação permanente e de reserva legal, cujos proprietários firmaram termos de ajustamento de conduta com a Promotoria de Justiça Regional Ambiental de Teixeira de Freitas, em decorrência da fiscalização realizada pelo órgão ambiental estadual em 2008.

 

Como foi feita a pesquisa?

Foram traçados os seguintes objetivos específicos: 1. Analisar a legislação brasileira, do meio ambiente ecologicamente equilibrado como direito fundamental e o papel do Estado, bem como sua evolução até o Novo Código Florestal e sua relação com a proteção do Bioma Mata Atlântica; 2. Por meio da atuação do Ministério Público frente o dano ambiental no extremo sul da Bahia, comparar a situação da cobertura florestal das áreas de preservação permanente e de reserva legal, por meio de imagens de satélite, dos 318 imóveis rurais cujos proprietários firmaram termos de ajustamento de conduta com a Promotoria de Justiça Regional Ambiental de Teixeira de Freitas no ano de 2012; 3. Avaliar a criação de um mecanismo de auxílio na atuação do Ministério Público na fiscalização de termos de ajustamento de conduta que tenham por objeto a regularização ambiental de imóveis rurais no tocante a áreas ambientalmente protegidas.

A metodologia utilizada consistiu na revisão bibliográfica e na análise comparativa de imagens de satélite disponíveis no Google Earth Pro entre a data dos termos de ajustamento de conduta firmados em 2012, abrangendo 318 imóveis rurais, e a mais recente disponível. Os arquivos vetoriais foram extraídos do Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR) e realizou-se uma avaliação qualitativa da comparação das situações das áreas de preservação permanente e de reserva legal.

Qual a importância do tema de pesquisa?

Os resultados terão importantes implicações práticas em milhares de imóveis rurais, em especial naqueles localizados no Bioma Mata Atlântica, considerando a possível criação de um importante mecanismo de auxílio na própria atuação do Ministério Público, que poderá municiar o órgão na implementação ou correção de políticas públicas, além da destinação de recursos financeiros para o desenvolvimento de projetos. Com o desenho de um sistema de averiguação de cumprimento da legislação de proteção de áreas ambientalmente protegidas realizar-se-á uma aliança entre o Direito Ambiental e as Ciências Ambientais, o que poderá representar um benefício social, por meio do restabelecimento dos serviços ambientais proporcionados pelas áreas de preservação permanente e de reserva legal.

Em busca da possibilidade em dar uma resposta socioambiental à pesquisa, a partir dos resultados alcançados e das conclusões das análises, foi proposto um mecanismo de tomada de decisão que poderá ser replicado em outras Promotorias de Justiça ou mesmo outros órgãos de fiscalização ambiental. Isso porque, a depender da situação, diferentes atitudes poderão ser tomadas, especialmente pelo membro do Ministério Público, que são a notificação do responsável pela área, a solicitação de fiscalização ao órgão ambiental ou a continuidade do monitoramento. Espera-se, a partir dos resultados alcançados, sugerir condutas que possam agilizar a fiscalização dos termos de ajustamento de conduta que tragam obrigações de recomposição de áreas ambientalmente protegidas nos imóveis rurais.

Ao longo do estudo procura-se demonstrar que o cumprimento dos termos de ajustamento de conduta, especialmente no tocante à recuperação das áreas de preservação permanente e de reserva legal, é um importante parâmetro para se atingir o direito fundamental ao meio ambiente ecologicamente equilibrado. Para tanto, são analisadas a legislação correlata e a atuação do Ministério Público. Mesmo que o Código Florestal atual tenha previsto menos obrigações que o anterior, questiona-se a falta de empenho na sua integral aplicação, seja pela falta de cobrança aos detentores dos imóveis rurais seja pelo desinteresse ou omissão dos órgãos de controle.

O que os resultados informam?

Considerando apenas as análises realizadas, os resultados demonstram que mais da metade das propriedades e posses rurais (58,98%) mantiveram as suas situações referentes às áreas ambientalmente protegidas. As áreas degradadas e parcialmente degradadas continuam a existir nos imóveis rurais, mesmo depois da assinatura de termos de ajustamento de conduta com o Ministério Público. Ainda que mais de um terço (34,56%) das análises tenha mostrado um incremento da cobertura florestal e mesmo que as recomposições estejam dentro do prazo previsto na legislação, a grande quantidade de manutenções das situações das áreas de preservação permanente e de reserva legal pode indicar que outras ações precisam ser adotadas, para além dos termos de ajustamento de conduta, para a correta adequação ambiental de imóveis rurais.

A demora no julgamento, pelo Supremo Tribunal Federal, das ações diretas de inconstitucionalidade e da ação direta de constitucionalidade envolvendo dispositivos do Novo Código Florestal, pode ter causado uma insegurança jurídica e afetado as ações de adequação ambiental.

Ainda assim, o termo de ajustamento de conduta, por si só, não é um instrumento suficiente para o cumprimento da Lei nº 12.651/12. Constatou-se na pesquisa que o Ministério Público precisa repensar a sua forma de atuação para que, juntamente com os compromissos assumidos pelos proprietários e posseiros rurais, outras medidas venham a reboque para auxiliar a sanear o passivo ambiental dos imóveis rurais. A articulação para uma conjunção de esforços com órgãos públicos, entidades do terceiro setor e empresas privadas, como o desenvolvimento do Programa Arboretum, é um caminho a ser seguido.

 

Qual a contribuição dos resultados obtidos?

Espera-se que o presente estudo contribua para que o Novo Código Florestal seja, de fato, observado nos imóveis rurais, em especial no tocante à proteção e à recomposição das áreas de preservação permanente e de reserva legal. De igual modo, que a fiscalização dos termos de ajustamento de conduta seja facilitada pela metodologia de análise de imagens de satélite ora proposta, e que as providências confiram agilidade as ações adotadas pelo Ministério Público.

Lactec inaugura unidade no Parque Tecnológico da Bahia

Empresa de pesquisa dará suporte a projetos de inovação no setor produtivo

O Lactec, um instituto privado de tecnologia, inaugura nesta quarta-feira (16) uma nova unidade, dentro do Parque Tecnológico da Bahia, em Salvador, espaço administrado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação. O estabelecimento irá dispor de uma base física para dar suporte aos projetos de pesquisa que são desenvolvidos junto ao setor elétrico e expandir sua atuação neste e em outros segmentos da indústria. A empresa irá somar seu conhecimento técnico-científico ao know-how tecnológico dos atores locais, reforçando o ecossistema de inovação das regiões Norte e Nordeste do país.

A empresa já é parceira da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), do grupo Neoenergia, com a qual mantém um histórico de projetos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Uma das iniciativas mais emblemáticas, em razão do forte componente socioambiental, é a de implantação de microrredes para eletrificação rural, que integra as ações da concessionária para a universalização do acesso à energia. Cerca de 300 famílias dos municípios de Remanso, Abaré e Campo Formoso, que residem em regiões isoladas do sertão baiano, serão beneficiadas com a instalação de usinas de geração solar fotovoltaica, associadas a sistemas de armazenamento de energia e redes de distribuição.

A proposta do projeto em andamento é fornecer energia com qualidade e potência suficientes para que cada família possa dispor de, pelo menos, uma geladeira, uma bomba d’água para o poço artesiano e um dessalinizador, o que irá melhorar substancialmente a qualidade de vida daqueles moradores. “A responsabilidade socioambiental é um dos valores institucionais mais presentes em nossas iniciativas. Nós nos identificamos com esse projeto, pois, além do desenvolvimento tecnológico, vamos promover mudanças para melhorar a vida das pessoas”, declarou o presidente do Lactec, Luiz Fernando Vianna. A previsão é que as microrredes entrem em operação no segundo semestre de 2020.

A CEPLAC SE ESQUECEU DO SEU PRÓPRIO LEMA: “SÓ CRESCE QUEM RENOVA”.

Luiz Ferreira da Silva, 82

Pesquisador aposentado e ex-diretor da CEPLAC/CEPEC

[email protected]

Na década de 1970, a CEPLAC implantou o PROCACAU – Programa de expansão da Lavoura Cacaueira, contemplando não só a implantação de novas áreas cacaueiras, tanto na Bahia/Espírito Santo, quanto na Amazônia, como metas de renovação dos cacauais velhos.

E o chamamento a essa empreitada inovadora, convocando todos os produtores, encetando uma campanha exitosa, foi através de um bordão, “Só cresce quem renova”.

E como escreveu recentemente (abril/2018), Walmir Rosário, no “Bahia On Line”, tal slogan foi responsável pela recuperação e transformação da lavoura cacaueira da Bahia e, consequente, da nossa região, por tornar a cacauicultura uma atividade produtiva e rentável. Os resultados, apesar da resistência inicial em voltar a investir na lavoura, nos fez conhecer um período dos mais ricos da nossa história, com o cacau alcançando US$ 5 mil a tonelada no mercado internacional.

Por todos os 4 cantos sul-baianos, outdoors foram espalhados impregnando na cabeça de todos a feliz frase criada por Tony Castro, funcionário da CEPLAC, que inteligentemente traduziu o sentimento do próprio Órgão, um exemplo da criatividade, fator de renovação constante.

Para crescer é preciso estabelecer metas, preparar-se para os novos desafios e exercitar a capacidade criativa do ser humano. A CEPLAC nasceu sob esse estigma, renovando-se por 30 anos iniciais.

E neste contexto, a importância dos Recursos Humanos, cujo investimento possibilitou inteligências voltadas ao desenvolvimento da região do cacau.

O Professor Zeferino Vaz (im), Reitor da UNICAMP já dizia que uma “Instituição de P&D se faz com cérebros, cérebros, cérebros”. E o Roqueiro baiano, Raul Seixas: “Prefiro ser uma metamorfose ambulante”.

E não é que a CEPLAC rasgou o seu Decálogo gerencial, enterrou o seu Mote e passou a viver um presente de passado, sem visão de futuro!?

Não houve renovação, sobretudo no seu capital social, e, como ela mesma sabia, teria que fazê-la sempre, sob pena de decrescer, de se apequenar, de perder a sua utilidade à medida de novos requerimentos demandados.

Foi o que aconteceu. Nos últimos 32 anos não contratou ninguém à medida que o quadro funcional esvaziava por aposentadorias, mortes e saídas incentivadas. Logicamente, os programas foram reduzindo e a Instituição murchando.

E o “Hoje” da CEPLAC? De quase 5 mil servidores em seu apogeu, exercendo atividades de desenvolvimento regional, conta com menos de 20%, com o agravante da “pole position” previdenciária, com a maioria com mais de 40 anos de serviços.

A continuar essa ignomínia, o Órgão caminha a passos largos a se transformar numa nova FEB – Força Expedicionária Brasileira- que, a cada ano

decresce a participação dos bravos soldados nos desfiles de 7 de setembro, já todos senis.

E, nessas condições, o que se fazer para a recuperação da CEPLAC? Mudar de sigla, sair de um quadrinho para outro penduricalho no MAPA, entregar a EMBRAPA, juntar-se à UESC e outras “químicas”? Tudo isso converge à procrastinação do problema, seja por ignorância ou por estratégia de fechar as suas portas sorrateiramente, de modo covarde ante aos produtores que a criaram

Qualquer solução passa pela renovação imediata do quadro funcional, a exemplo do grupo de pesquisadores, cujo reforço vai exigir a contratação de 20 pesquisadores, já com treinamento ao nível de mestrado, que seriam “tutorados” pelos experientes da Casa, antes de se aposentarem, por um período mínimo de 6 meses, numa transição racional e producente. (Maceió, AL, 09-10-19)

Inscrições abertas para as Conferências Macroterritoriais de C,T&I

Já estão abertas as inscrições para quem deseje participar das etapas regionais da IV Conferência Estadual de CT&I, realizada pelo Governo da Bahia, através da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), com o objetivo de elaborar a nova política estadual do setor. Onze cidades baianas recebem entre os dias 21 e 31 de outubro as chamadas conferências macroterritoriais, quando será possível discutir ideias, iniciar debates, entender as demandas locais, bem como eleger os delegados para o evento estadual.

Os interessados podem se inscrever por meio de formulário de inscrição disponível no site da Secti. De acordo com a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Adélia Pinheiro, a necessidade da Conferência surge do impacto das mudanças tecnológicas que fazem parte da contemporaneidade. “A Conferência acontece em um momento de novo paradigma com a reestruturação das relações produtivas, tanto no âmbito do crescimento econômico como de vida social”, disse.

Os municípios de Feira de Santana, Ilhéus, Eunápolis, Vitória da Conquista, Seabra, Irecê, Barreiras, Juazeiro, Senhor do Bonfim, Salvador e Serrinha recebem as Conferências Regionais, a fim de eleger 20 delegados para cada macroterritório, através de grupos formados por 4 integrantes que ficarão responsáveis por apresentar as demandas de cada região, representando os seguimentos empresarial, Institutos de Ciência e Tecnologia (universidades, centros de pesquisa), poder público,  sociedade civil organizada e entidades de representação setorial, como, por exemplo, Fieb, Sebrae, Ibametro, dentre outros.

Entre os temas que serão discutidos estão: integração do ecossistema estadual de CT&I; temas estratégicos para pesquisas cientificas e tecnológicas; infraestrutura de CT&I; formação de pessoal para a sociedade 5.0; inovação tecnológica; financiamento de CT&I; tecnologias sociais para o desenvolvimento sustentável; e difusão de conhecimento e popularização da ciência.

Mais informações e submissão de inscrições podem ser feitas clicando neste link: http://bit.ly/2p2kCxH.

Cronograma das Conferências Macroterritoriais

Barreiras: 31/10 – UNEB

Eunápolis: 24/10 – UNEB

Feira de Santana: 30/10 – UEFS

Ilhéus: 29/10 – UESC

Irecê: 31/10 – UNEB

Juazeiro: 30/10 – UNEB

Salvador: 25/10 – UNEB

Seabra: 30/10 – UNEB

Senhor do Bonfim: 31/10 – UNEB

Serrinha: 22/10 – UNEB

Vitória da Conquista: a confirmar – UESB

Missa marca um ano do adeus a Helenilson Chaves

Será realizada  no próximo sábado, 12 de outubro, uma missa em homenagem ao empresário Helenilson Chaves, que  completa um ano de falecimento.

A celebração acontece às 18 horas, na Catedral de  São José, em Itabuna.

Helenilson Chaves foi um dos grandes empreendedores de do Sul da Bahia, responsável, entre outras ações, pela implantação da TV Santa Cruz/Rede Globo e o Shopping Jequitibá, além de um importante trabalho na área social, como a Fundação Manoel Chaves, mantedora a Escola Ação e Cidadania, responsável pela formação e capacitação de estudantes carentes e seus familiares, na área da Bananeira/Mangabinha.

Concurso vai eleger o melhor pão francês de Ilhéus, Itabuna e região

Sebrae premia panificadores e padeiros na primeira edição da competição

Panificadoras localizadas em Ilhéus, Itabuna e nas cidades da Região que possuam fabricação própria de pão francês já podem se inscrever no concurso do Sebrae que vai eleger o melhor entre os inscritos. Os estabelecimentos podem realizar as inscrições até o dia 19 de outubro pelo site da competição.

As 40 primeiras panificadoras inscritas irão participar do concurso, seguindo o critério da ordem de inscrição. A equipe de avaliação visitará as empresas para o diagnóstico e primeira coleta do pão francês no período de 21 de outubro a 1 de novembro. A segunda coleta será realizada apenas nas 10 panificadoras melhores colocadas, no período de 11 a 15 de novembro.

Ao final, será selecionado o melhor pão francês de Ilhéus, Itabuna e região que mais se aproximar dos critérios oficiais estabelecidos na Norma Brasileira ABNT NBR 16170: Panificação – Pão tipo Francês.

Premiação

Serão premiados os três primeiros colocados, tanto o panificador quanto o padeiro. Para o panificador, o 1 lugar ganhará 10 sacas de farinha de trigo de 25 Kg, quatro caixas Adipan C, uma caixa de Zarpan e um fardo de Docepan Gordurina em Pó 2 x 5 kg; o 2° lugar levará seis sacas de farinha de trigo 25 Kg, duas caixas Adipan C, dois galões de Zarpan e um fardo de Docepan Gordurina em Pó 2 x 5 kg. Já o terceiro lugar ficará com quatro sacas de farinha de trigo 25 Kg, uma caixa Adipan C, um galão de Zarpan e um fardo de Docepan Gordurina em Pó 2 x 5 kg.

O padeiro ganhará uma bicicleta, um celular e um tablet, respectivamente no primeiro, segundo e terceiro lugar.

As informações completas sobre o concurso podem ser obtidas diretamente na sede do Sebrae em Ilhéus, localizada na Av. Osvaldo Cruz, 74, Ed. Premier Business Center, Cidade Nova; ou em Itabuna, na Rua Paulino Vieira, 175, Ed. Lizete Mendonça, Centro. A Central de Relacionamento Sebrae atende pelo telefone 0800 570 0800.

Inseticida natural desenvolvido na Bahia promete eficácia contra o Aedes Aegypti

Há tempos que a luta contra o mosquito Aedes, transmissor da dengue, zyka e outras doenças, perpetua em todo o cenário estadual e nacional. Preocupada com o aumento de 667% no número de casos de dengue, entre janeiro e agosto deste ano, uma cientista baiana buscou formas de combater as larvas do mosquito. Em seus estudos, foi desenvolvido um novo tipo de inseticida, feito a partir uma planta conhecida como Nim.

O objetivo principal é intensificar a luta contra as doenças transmitidas pelos mosquitos que acometem principalmente as regiões mais pobres da Bahia e que, muitas vezes, não podem pagar pelo inseticida devido ao custo. Segundo a criadora do novo “bioinseticida”, Layse Lima, concluinte do mestrado em ecologia e evolução da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), para desenvolver este produto, bastou triturar 400g da semente e acrescentar um litro de água. “Dessa forma, qualquer um pode ter um bioinseticida em casa, de forma prática e barata. Outras partes desta mesma planta já são utilizadas com o mesmo viés, entretanto, a partir da criação de um óleo, do qual é necessário um processo mais longo e que custa mais caro.”, explicou.

A pesquisadora conta que a inspiração para o trabalho veio das visitas domiciliares que realizava pelo Centro de Controle de Zoonoses de Santo Amaro, onde a maioria dos moradores acumulava água que gerava focos de pragas dos mosquitos. “A situação é mais complicada do que parece, nessa região não basta somente remover os acúmulos de água, pois realmente há a necessidade de mantê-los em determinados reservatórios, visto que o local não possui abastecimento diário”, alertou.

Layse conta que o produto já foi testado e teve uma eficácia de 76,6% de morte de larvas após a exposição ao extrato das sementes. Além da eficácia e da praticidade, o produto tem outro adicional que é o fato de não ser tóxico. “A princípio, a quantidade utilizada em formulados para eliminar as larvas de mosquito não é tóxica para nenhum mamífero, mas estamos aprimorando os estudos para nos certificar da quantidade adequada para que a substância continue sendo inofensiva aos humanos”, afirmou.

O projeto recebeu apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e foi desenvolvido em parceria com o professor Gilberto Mendonça, também da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

Bahia Faz Ciência

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Fapesb estrearam, no dia 8 de julho, o Bahia Faz Ciência, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros. As matérias serão divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estarão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria. Se você conhece algum assunto que poderia virar pauta deste projeto, as recomendações podem ser feitas através do e-mail [email protected].

NOTÍCIAS DA AVEP

17ª RODADA DE VITÓRIA DOS CAPITÃES ALEX DE MOISES E VALDOMIRO

2 a 1 e 3 a 2 foram os placares dos ‘babas’ respectivamente nos campos Grimaldo e Martial, aliás escores de dois bons jogos, e fizeram parte da 17ª rodada da Associação dos Veteranos de Esporte Praiano –AVEP, entidade de ‘babas de praia’ quase centenária de Ilhéus, da mencionada modalidade esportiva realizada dia 29 de setembro de 2019. No Grimaldo (o de 2 a 1) a vitória foi da equipe do Capitão Alex de Moises ao vencer a do Capitão Eldon do Ofertão com 2 gols do próprio Alex de Moises; Charles Reis fez para a perdedora; no Martial com gols de Luís Claudio(2) e Mario Sergio o time do Capitão Valdomiro venceu o do Capitão Renatinho dos Leais; Fabio Alan e Alan Firula marcaram para o perdedor. Os juízes Werlem Lima (Campo Grimaldo) e Wilson Salviano arbitraram os ‘babas’ sem reclamações mais contundentes, conforme os olheiros de árbitros, contra eles por parte dos ‘babistas’. Ambos integram a Associação de Árbitros de Futebol de Campo de Ilhéus –AAFCI. Levaram Cartão Amarelo: Valdomiro, Luciano Santana, Ismar Landgol, Gutemberg e Eldon do Ofertão. Dirigiu a rodada como Diretor de Baba do Dia, o beque-um tanto ‘atacativo’ Dinho da Van.

COMENTÁRIOS

Na mesma linha desta Notícias, os olheiros também foram de acordo que houve dois ‘babas’ bem disputados. No Grimaldo o quadro do Cap. Eldon do Ofertão saiu na frente do placar e entrou no vestiário ganhando de 1 a 0 pro de Cap. Alex de Moises que, mesmo sofrendo pressão até os 20’ da 2ª etapa, resistiu, empatou aos 25’ e aos 30’ selou a vitória por 2 a 1. No Martial o time do Cap. Renatinho dos Leais vencia o baba de 1 a 0 até os 10’ da 2ª etapa, sofreu o empate para o adversário aos 15’, botou vantagem novamente fazendo 2 a 1 aos 20’ mas daí em diante cedeu a posse de bola para o time do Cap. Valdomiro que igualou o placar de 2 a 2 aos 30’ e a vitória de 3 a 2 aos 35’.

Além desses comentários escolheram Alex de Moises, Luciano Santana, Marconi, Gutemberg Trator, Charles Reis, Daniel Murta, Fabio Alan, Junior Murta, Correia do HSBC, Luís Claudio, Mario Sergio e Valdomiro destaques da rodada.

Equipes que atuaram, conforme súmulas, no Campo Grilmaldo:

(Cap. Alex de Moises): Goleiro Marcelo(Claudio Assis entrou no intervalocomo quebra-galho), Gutemberg Trator, Djalma Peludo, Prof. Jorge Reis e Gilson; Danilo, Paulo Cesar, Luciano Santana, Marconi, Wendel da Autoescola e Alex de Moises.

(Cap. Eldon do Ofertão): Goleiro Ricardo, Sizinio do Remo(Ismar Landgol entrou aos 35’ da 1ª etapa), Luís Mario Garotinho, Rogério ‘Boca Preta’ Midlej e Silva; Souza da Polícia, Daniel Murta e Charles Reis; Eldon do Ofertão, Crispa da Galera do Fla e Garrancho 100 Anos de Praia(Nilton do BB entrou no intervalo). :: LEIA MAIS »





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia