prefeitura ilheus
pm ilheus

Editoria ‘Cultura’

Arthur Campelo expõe telas na Casa dos Artistas

A exposição do conjunto de 10 telas do artista plástico Arthur Campelo foi lançada no último sábado (26) e fica até o final de fevereiro, na Casa dos Artistas de Ilhéus. Figuras femininas e faces humanas são os principais temas de seus quadros, cujas influências são Picasso, Carybé e Pollock. A visitação é gratuita e as obras de arte estão à venda.

Exposição de Arthur Campelo - foto Karoline Vital (2)

Exposição de Arthur Campelo – foto Karoline Vital (2)


Nascido em Ipiaú e estudante da Escola de Artes Plásticas da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Arthur Campelo faz sua primeira exposição individual. Segundo o artista, ele já havia participado de outras duas coletivas. Em sua estreia, traz obras produzidas entre 2011 e 2012, com pinturas a óleo, mista e acrílica. Seu trabalho pode ainda ser conferido no site pessoal: www.arthurcampelo.com.br.
O artista baiano começou a pintar em 2009 e deixou o curso de engenharia em 2010 para investir exclusivamente em seu talento. “Quando saí da faculdade, viajei e vi muita arte”, declarou o jovem pintor de 21 anos, que disse ter enfrentado certa resistência de amigos e familiares. Em 2011, ingressou na Escola de Artes Plásticas da Ufba a fim de conhecer outras técnicas e aprimorar seu estilo.

Mondrongo Livros lança novas obras em Itabuna

Heitor Brasileiro, Ramon de Freitas Ribeiro, Rodrigo Melo e Jorge de Souza Araújo - foto Karoline Vital

Heitor Brasileiro, Ramon de Freitas Ribeiro, Rodrigo Melo e Jorge de Souza Araújo  – foto Karoline Vital

A editora do Teatro Popular de Ilhéus, Mondrongo Livros, lança suas cinco obras mais recentes em Itabuna. A cerimônia acontecerá nesta quinta-feira (24) às 18h30min, no Teatro Zélia Lessa, localizado na Praça da Bandeira. As novas publicações são de gêneros variados, trazendo contos, poesias e até mesmo novelas de terror cósmico, escritas por renomados e novos autores baianos.

Os cinco novos livros da Mondrongo foram lançados em Ilhéus, no último dia 12, em comemoração ao primeiro aniversário da editora. As obras são: Essa esquiva e dilacerada fauna (contos), de Jorge de Souza Araujo; Um rio nos olhos (poesia), de Aleilton Fonseca, em edição bilíngue português/francês, já lançada na França e Canadá e O chão & a nuvem (poesia), de Heitor Brasileiro Filho. Os estreantes são O sangue que corre nas veias (contos), de Rodrigo Melo e O túmulo agonizante (novelas), de Ramon de Freitas Ribeiro.

Para o coordenador de literatura do Teatro Popular de Ilhéus, Gustavo Felicíssimo, a intenção é que a Mondrongo se transforme em referência para a literatura sulbaiana. “Cada vez mais descobrimos novos talentos que nos surpreendem com seus textos. Alem de dar espaço para os talentos da atualidade, pretendemos recuperar obras de importantes escritores falecidos”, complementa.

Publicado na Itália

História Infantil de Cyro de Mattos
Que Acontece Durante o Carnaval
Da Bahia É Publicada na Itália

O livro “O Menino e o Trio Elétrico”, do escritor baiano Cyro de Mattos acaba de ser publicado na Itália, pela Editora Romar, de Milão, com ilustrações da brasileira Petra Elster e tradução da poetisa italiana Mirela Abriani. O livro foi publicado no Brasil pela Editora Saraiva, coleção Mindinho e Seu Vizinho, e já se encontra disponível em forma digital (eBook). “O Menino e o Trio Elétrico” conquistou em 2008 o Prêmio Maria Alice de Lucas, da União Brasileira de Escritores, Seção do Rio do Janeiro.
A narrativa infantil “O Menino e o Trio Elétrico” conta a história de Chapinha, um menino negro, de oito anos de idade, que vende amendoim torrado nos ônibus de Salvador para ajudar no sustento a mãe e a avó, que moram numa casa pobre perto do Dique do Tororó e vivem com dificuldades. Ele sonha em brincar um dia o carnaval em um desses blocos de arromba que saem atrás do trio elétrico, com seus astros famosos, mas não consegue porque não tem dinheiro para comprar seu abadá.
Essa história do autor baiano trata pela primeira vez na literatura infantil brasileira do tema que aborda o carnaval baiano com seus famosos trios elétricos, que virou hoje coisa para turista e rico, e dos que não podem participar da festa. Para um menino pobre como Chapinha, o seu sonho é algo quase impossível de se realizar, porque um abadá a vestimenta que identifica um bloco, chega a custar muito dinheiro. Na história de Chapinha e o trio elétrico cabem todos os cheiros de Salvador, com suas ladeiras e becos, santos e orixás, alegria de seu povo no agito de uma festa que faz a cidade trepidar por todos os cantos.
È o próprio autor que conta como foi motivado para escrever a história:
“Certa vez eu estava dando um passeio pela orla de Salvador quando vi um menino negro entrar no ônibus para vender amendoim torrado aos passageiros. A festa do carnaval ia acontecer dali a uma semana. Ia mexer, como sempre, na “alma” da cidade de todos os santos e orixás, transformando-a numa onda de alegria, feita de ritmos e cores vibrantes, com os foliões pulando, cantando, abraçando e beijando… na maior felicidade..
“Ao retornar ao hotel à noite, imaginei como seria a vida daquele menino durante o carnaval, vendendo amendoim enquanto a cidade se divertia. Foi assim que começou a nascer esta história dentro de mim. Não vou contar se a história de Chapinha termina com a vitória da tristeza e a derrota da alegria. Bem, isso eu deixo para você ler e sentir comigo todos os lances marcantes do primeiro livro que escrevi para meninos de todas as idades, ambientado na cidade de Salvador, Bahia, com seus dias embalados na folia.”

Teatro, artes plásticas e música nesta semana na Casa dos Artistas

O Teatro Popular de Ilhéus traz uma programação eclética para esta semana. Na quinta-feira (24), tem Auto do Boi da Cara Preta a partir das 18 horas, em frente à Casa dos Artistas. Às 20 horas de sexta-feira (25), será a vez da sátira em cordel Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito. No sábado (26), o artista plástico Arthur Campelo abre sua exposição de pinturas, às 18 horas. E, mais tarde, tem dois shows de bandas independentes no projeto Sábado Sim.

A alegria dos festejos populares sempre contagia quem assiste ao musical da Cia. Auto do Boi da Cara Preta. Apesar de ser voltada ao público infanto-juvenil, Auto do Boi da Cara Preta agrada todas as idades com a dinamicidade e colorido do festejo do bumba meu boi. O texto é de Romualdo Lisboa, direção musical de Elielton Cabeça e direção geral de Tânia Barbosa. A apresentação desta quinta-feira será gratuita.

Em cartaz desde 2006, Teodorico Majestade nunca perde seu caráter atual. Mostrando o lado ridículo dos bastidores da corrupção política, a comédia do Teatro Popular de Ilhéus diverte e provoca reflexão no público. O texto e a direção são assinados por Romualdo Lisboa. A classificação indicativa é 14 anos e os ingressos custam R$ 10 e R$5.

A partir deste sábado e durante o mês de fevereiro, o estudante da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, Arthur Campelo, apresenta um conjunto de 10 quadros, na Casa dos Artistas. As pinturas abordam a figura feminina e faces humanas. Segundo o artista, suas principais influências são Picasso, Carybé e Pollock. O coquetel de lançamento será restrito a convidados, mas a visitação a partir da próxima semana será gratuita.

Após o lançamento da exposição de pinturas, acontece o projeto Sábado Sim, com shows de duas bandas independentes da região. Às 20 horas, Dr. Imbira e Mendigos Blues garantem um rock de primeira qualidade. As entradas custam R$ 10 e R$5.

Festival de Serra Grande reúne 12 bandas neste final de semana

A música alternativa regional tem espaço garantido neste final de semana, no Festival de Serra Grande. No sábado e domingo (19 e 20), 12 bandas passarão pelo palco montado na Praça Pedro Gomes, sempre a partir das 17 horas. Intercalando os shows, haverá ainda batalha de rap e hip hop, exibição de vídeos e outras artes integradas. A iniciativa é gratuita, realizada pelo Teatro Popular de Ilhéus e Movimento Vila Aprendiz, com apoio do Instituto Arapyaú e Prefeitura de Uruçuca.

O Festival de Serra Grande conciliará estilos musicais diversos, como reggae, rock, forró, samba e metal, através das bandas de Ilhéus, Itabuna, Uruçuca e Itacaré. “Este evento é um sonho antigo, que tem a cara da música independente regional”, declarou um dos organizadores, Elielton Cabeça. O objetivo é que a iniciativa não se limite a esta primeira edição e aconteça anualmente no distrito praiano.

A abertura do Festival de Serra Grande contará com shows das bandas Manzuá, Ethiopia Federation, Improviso Nordestino, Maturu, Kirimurê e Serra Elétrica. No dia seguinte, será a vez de O Quadro, Dr. Imbira, Mortífera, Rogério de Luca, Bruta Raça e Estação 39. Mais detalhes sobre o evento estão disponíveis no site: festivaldeserragrande.com.br.

Além de garantir música de alta qualidade, o Festival de Serra Grande vai ainda provocar a consciência ecológica do público. Todo lixo reciclável produzido ao longo do evento será transformado em obras de arte pelos jovens que fazem parte do Movimento Vila Aprendiz. Ao final, o material recolhido servirá para construir uma grande mandala, símbolo da integração e harmonia.

Editora Mondrongo comemora aniversário com cinco novos livros

O Teatro Popular de Ilhéus comemora o primeiro aniversário de sua editora, a Mondrongo Livros. A solenidade acontece neste sábado (12), às 18 horas, na Casa dos Artistas, quando serão lançadas cinco novas publicações de gêneros variados, com poesia, novelas e contos. A comemoração reunirá autores e leitores para discutir o cenário literário regional e como a editora vem colaborando para dar ainda mais espaço aos autores sulbaianos.

Para marcar o primeiro ano de existência da Mondrongo, serão lançadas as seguintes obras de dois autores baianos consagrados: Essa esquiva e dilacerada fauna (contos), de Jorge de Souza Araujo; Um rio nos olhos (poesia), de Aleilton Fonseca, em edição bilíngue português/francês, já lançada na França e Canadá. O espaço para os novos escritores está garantido com as aguardadas O chão & a nuvem (poesia), de Heitor Brasileiro Filho e O sangue que corre nas veias (contos), de Rodrigo Melo (Caetitu). Outra novidade será O túmulo agonizante, de Ramon de Freitas Ribeiro, que traz duas novelas de terror, estilo inusitado para a região.

Até o momento, a Mondrongo já publicou 22 livros. Sua estreia aconteceu com os textos para teatro das peças Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito e O Inspetor Geral, de Romualdo Lisboa. No ano em que o Teatro Popular de Ilhéus completa 18 anos de existência, a comemoração dos êxitos de sua editora marca a vocação do grupo para o estímulo de diferentes modalidades artísticas na região, não restringindo sua atuação às artes cênicas.

Para o coordenador de literatura do Teatro Popular de Ilhéus, Gustavo Felicíssimo, a intenção é que a editora se transforme em referência para a literatura sulbaiana e para o haikai na Bahia, forma poética de origem japonesa que valoriza a concisão. Felicíssimo, que teve um de seus ensaios premiados pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. O estudo será publicado juntamente a obras de haikaístas de destaque no estado, como Piligra, George Pellegrini, Carlos Verçosa e Jorginho da Hora. “Também temos a pretensão de começar a recuperar a obra de importantes escritores já falecidos”, complementa o escritor.

Festival de Serra Grande reúne música alternativa e artes integradas

Música alternativa de primeira e artes integradas são as atrações do Festival de Serra Grande, que acontece nos próximos dias 19 e 20, no distrito praiano. O evento é realizado pelo Teatro Popular de Ilhéus e o Movimento Vila Aprendiz, com apoio do Instituto Arapiaú e Prefeitura de Uruçuca, e reunirá 12 bandas alternativas de Ilhéus, Uruçuca, Itacaré e Itabuna, além expressões artísticas como grafite, batalha de rap e cinema. O ponto de encontro será a Praça Pedro Gomes e os shows gratuitos acontecerão a partir das 17 horas.

Segundo um dos organizadores, Elielton Cabeça, o Festival de Serra Grande não ficará restrito apenas aos dois dias e, ao longo da semana, serão realizadas outras atividades. “O evento agrega parte desta grande diversidade de bandas e artistas que não têm espaço na mídia tradicional, mas desempenham um trabalho sério e de alta qualidade”, complementou. A intenção é que a iniciativa não fique restrita à primeira edição e seja realizada anualmente.

A abertura do Festival de Serra Grande contará com shows das bandas Manzuá, Ethiopia Federation, Improviso Nordestino, Maturu, Kirimurê e Serra Elétrica. No dia seguinte, será a vez de O Quadro, Dr. Imbira, Mortpifera, Rogério de Luca, Bruta Raça e Estação 39. Mais detalhes sobre o evento estão disponíveis no site: festivaldeserragrande.com.br.

Visita com presente

Hoje, no final da tarde, recebí a visita do presidente do Sindicato dos Radialistas de Ilhéus, Elias Reis. Foi um papo amistoso que girou em torno da radiofonia e jornalismo regional.
Elias participou de um congresso internacional em Salvador e trouxe, autografado (com dedicatória e tudo) o Livro AS DUAS GUERRAS DE VLADO HERZOG do autor e grande companheiro Audálio Dantas.
O livro trata da perseguição nazista na Europa à morte sob tortura no Brasil.

livro audálio 02
dedictória livro audálio 02

Fiquei muito feliz e agradecido ao lider dos radialista por esse presente e, mais ainda, pela lembrança já que tenho uma estreita relação com esse turbuleto período pelo qual passou o nosso País…

Valeu, Elias Reis!

Grande abraço e fique com DEUS (Sempre!).
Rabat.

TPI inicia programação 2013 a partir desta terça

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) dá boas vindas a 2013 com uma programação dinâmica para celebrar o auge do verão. A partir desta terça-feira (07), o público poderá desfrutar das primeiras atrações de 2013. Às 19 horas, o Cineclube Équio Reis exibe dois curtas-metragens dos alunos do curso de Comunicação Social da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Serão projetados Ilhéus é Surf e Bangalô North Shore. E, na quarta-feira (09), às 18h30min, acontece a sessão do Cinema Incidental, em frente à Casa dos Artistas. As atrações são gratuitas.

O TPI comemora ainda nesta semana o primeiro ano de sua editora, a Mondrongo Livros, lançando mais cinco novas publicações: Essa esquiva e dilacerada fauna, de Jorge de Souza Araujo; Um rio nos olhos, de Aleilton Fonseca; O chão & a nuvem, de Heitor Brasileiro Filho; O sangue que corre nas veias, de Rodrigo Melo (Caetitu) e O túmulo agonizante , de Ramon de Freitas Ribeiro. A solenidade acontecerá neste sábado (12) às 18 horas, logo antes dos shows do projeto Sábado Sim, que traz as bandas Plano Inclinado e Dominick às 20 horas.

Nos dias 24 e 31, a Cia. Boi da Cara Preta apresenta o musical Auto do Boi da Cara Preta às 18 horas, em frente à Casa dos Artistas. E, às 20 horas do dia 25, o Teatro Popular de Ilhéus encena a comédia Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito, no Teatro Pedro Mattos, no interior do espaço cultural com ingressos a R$ 10 e R$5. O Cinema Incidental, que mistura teatro, música e cinema, executando ao vivo novas trilhas sonoras para filmes mudos de Chaplin, volta ainda nos dias 23 e 30, às 18h30min.

O Teatro Popular de Ilhéus também intensifica os ensaios para seu novo espetáculo, 1789 – Engenho de Santana – Uma Revolução Histórica. Os artistas imergem ainda mais no universo da primeira greve do Brasil, que aconteceu em Ilhéus, organizada pelos escravos do Engenho de Santana, entre 1789 e 1781.

E quem quiser aproveitar o tempo livre das férias para investir em sua veia artística, estão abertas inscrições para cursos de bateria, percussão e violão. A oficina de dança afro também é outra excelente pedida, com aulas avulsas para quem quiser experimentar a intensidade do tempero africano. Para mais detalhes, basta procurar a administração do TPI na Casa dos Artistas em horário comercial ou pelos telefones (73) 4102-0580 e 3634-4818.

Livro “Fragmentos de um Lobo Solitário” será lançado nesta quarta-feira em Ilhéus

Nazir Maron

Nazir Maron

Uma coletânea bem humorada de poemas que relatam desde as pitorescas praias de Ilhéus aos sentimentos mais íntimos como a solidão, amores, encontros sensuais e abandonos de desamar. Assim é o livro “Fragmentos de um Lobo Solitário” do poeta, escritor, artista plástico, filósofo e empresário Nazir Maron, que será lançado nesta quarta-feira, dia 09 de janeiro, às 18h30min, na Academia de Letras de Ilhéus. “Fragmentos de um Lobo Solitário” é uma obra escrita em 25 anos de arte e reúne quase 50 poemas e oito fragmentos que fazem uma viagem ao coração, seguindo do amor ao desamor, da política a questões sociais, da tristeza ao humor e da solidão humana inerente à vida de cada um.

O livro tem prefácio do professor de Literatura Brasileira Jorge Alessandro, que fará uma breve apresentação da obra durante o lançamento. Acontecerá também na noite desta quarta-feira a apresentação do ator Germano Lopes, que recitara, a caráter, dois poemas de “Fragmentos de um Lobo Solitário”, além de outros artistas que farão um pequeno sarau literário durante o lançamento do livro. E na quinta-feira (10), a partir das 16 horas, acontecerá a tarde de autógrafos na Livraria Papirus, no Shopping Itart, situado no calçadão da Rua D. Pedro II, centro da cidade.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Nazir Maron lança livro dia 09 na Academia de Letras de Ilhéus

Nazir Maron

Nazir Maron

O poeta, escritor, artista plástico, filósofo e empresário Nazir Maron lançará no próximo dia 09 de janeiro, às 18h30min, na Academia de Letras de Ilhéus, o livro “Fragmentos de um Lobo Solitário”, uma obra escrita em 25 anos de arte, resultando numa coletânea humorada das pitorescas praias de Ilhéus e de sentimentos como a solidão, amores, encontros sensuais e abandonos de desamar. O livro reúne quase 50 poemas e oito fragmentos que fazem uma viagem ao coração, seguindo do amor ao desamor, da política a questões sociais, da tristeza ao humor e da solidão humana inerente à vida de cada um.

“Fragmentos de um Lobo Solitário” vem com apresentação da jornalista, escritora e poeta Janete Badaró, que revela toda a sensibilidade, o sentimento e a inspiração transmitida pelo autor. “Nazir Maron deixa passar nos poemas de Fragmentos de um Lobo Solitário toda a sensibilidade que possui. Nos seus versos intimistas passeiam a dor e o amor, saudades, liberdade, enfim, Nazir expressa seus dilemas existenciais em versos livres, às vezes românticos, às vezes saudosistas, descortinando no horizonte uma chama de esperança”. Janete Badaró chama a atenção ainda que a solidão presente nos versos que dão nome ao trabalho de Nazir Maron perpassa sutilmente todas as páginas do livro.

Artista plástico e poeta, Nazir Maron conta que nesse livro ele transcreve poemas que antecedem os quadros e que, vez por outra, deles se resultam. “Da solidão que mora em cada um fluem sentimentos de filósofo, sociólogo ou empresário de vida feliz. A solidão a que me refiro parece ser por contada minha total entrega, de verdade e intimidades sem igual”, revela o autor. Editado pela Scortecci Editora, “Fragmentos de um Lobo Solitário” traz um lado romântico e sonhador do autor, onde o lobo vez por outra rompe a ilusão frente à realidade, espreitando o amor com curiosidade, falando da vida de um artista a vencer sobre fracassos de amar e até de amor.

Natal com Drummond e Valdelice

por Cyro de Mattos

Há tempos venho enviando em dezembro para pessoas de meu círculo afetivo, parentes, amigos e escritores,  minha mensagem de Natal acompanhada de um  poema. Penso que já decorreram mais de trinta anos quando fiz o primeiro poema motivado pelo Natal com essa intenção.  Lembro do primeiro poema que enviei.  Manjedoura – O que mais encanta/ é acontecer o menino/ nas migalhas/ deste chão sonoro/ e ganhar grãos azuis/ na manjedoura dos ares.

Certa vez ousei enviar para o poeta Carlos Drummond de Andrade a mensagem com  um desses poemas.  Era um soneto, um pobre soneto, com versos de cinco sílabas, que contava a alegria de bichos e gente com o nascimento do menino pobre nas palhas,   que depois viria ser o bem-amado salvador da humanidade. Assim era o sonetinho: Historinha do Menino Jesus – O galo cantou,/ A vaca mugiu, / O burro zurrou,/ A ovelha baliu.// A rosa acordou, / O peixe sorriu, / A cabra contou/ Que a cobra sumiu.// Foi tanto balão/ que subiu ao céu,/ Foi tanta canção// Que ventou ao léu/ Que até hoje luz/ Do menino a cruz. 

Não demorou, um milagre aconteceu quando recebi do poeta Carlos Drumonnd de Andrade, como retribuição à minha mensagem de Natal, o poemeto seguinte: A Cyro de Mattos no Natal – Uma notícia irrompe desta árvore/ e ganha o mundo: verde anúncio eterno/ Certo invisível pássaro presente/ murmura uma esperança a teu ouvido. Depois de receber esse rico presente de um poeta grandão, de minha predileção, que poderia um  poeta sem expressão, desconhecido, morando e vivendo no interior da Bahia, querer mais naquele Natal?

•| MATÉRIA COMPLETA »

Última semana da programação 2012 do Teatro Popular de Ilhéus

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) encerra sua programação 2012 na Casa dos Artistas nesta semana. O recesso acaba no dia 07 de janeiro, com a volta das atividades regulares. Na terça-feira (18), das 14 às 18 horas, acontece o encontro A cultura da crítica de artes cênicas no jornalismo, com o jornalista Valmir Santos. Às 18 horas, será apresentado musical Auto do Boi da Cara Preta, em frente ao espaço cultural. E, às 19 horas, tem Cineclube com os curtas-metragens O Cobertor, de Artur Freitas, e O maldito ladrão de memórias, de Roberto Cotta.Além de fechar as atrações anuais da Casa dos Artistas, O Teatro Popular de Ilhéus pausa os ensaios de sua próxima montagem, 1789 – Rio do Engenho – Uma Revolução Histórica. Os ensaios acontecem quatro vezes por semana, às segundas e quartas-feiras na Casa dos Artistas e àsterças e quintas-feirasno Terreiro Matamba Tombenci Neto. A preparação do elenco volta também a partir da segunda semana de janeiro.

O encontro de jornalismo na cobertura de artes cênicas pretende trocar informações sobre o exercício do jornalismo na cobertura de artes cênicas nos veículos impressos ou virtuais.  A turma foi fechada com os 25 primeiros inscritos, cuja lista está disponível no endereço: http://migre.me/cq1J9. Os participantes aproveitarão a apresentação do Auto do Boi da Cara Preta para colocarem em prática o conteúdo trabalhado nas palestras. As críticas deverão ser entregues até às 15 horas do dia seguinte.

O Cineclube Équio Reis desde outubro vem acontecendo através da parceria entre o Núcleo de Produção Audiovisual do TPI e o curso de Comunicação Social da Universidade Estadual de Santa Cruz. Semanalmente, são exibidos materiais produzidos por alunos ou ex-alunos da instituição. Na semana passada, foram exibidos os vídeos Do goleiro ao ponta esquerda, de Leandro Guimarães, e Do 50 ao Centenário, de Ana Luísa Coimbra, Leonardo Bião e Poliana Alves. Após as projeções, há sempre debates sobre os temas dos filmes. No último encontro, além dos envolvidos no projeto, estiveram presentes o professor André Rosa Ribeiro e a ex-aluna Júlia Virgínia. A entrada é franca.

A Cia. Boi da Cara Preta despede-se de 2012 com o retorno de sucesso do musical Auto do Boi da Cara Preta. Depois de ficar mais de um ano fora de cartaz, o espetáculo voltou repaginado, com novos integrantes, canções e elementos cênicos. Mas, mantendo o espírito de festa popular, que encanta públicos de diferentes idades. Além da apresentação desta terça-feira, a peça retorna na quinta-feira (20), também às 18 horas, na porta da Casa dos Artistas. Para maior comodidade do público, o grupo disponibiliza um número reduzido de cadeiras, destinadas prioritariamente a idosos, gestantes, deficientes e pessoas com crianças de colo.

Grandes nomes da música independente se apresentam nesse fim de semana em Itacaré

ITACARÉ

O Programa Conexão Vivo apresenta, nesse fim de semana (sábado e domingo) em Itacaré, a terceira edição do Festival Stereo Sul, que traz na sua grade de programação alguns dos mais prestigiados nomes da nova música brasileira. As apresentações acontecem na Praia da Tiririca, a partir das 18 horas, com entrada franca.

No sábado, sobem ao palco Karina Buhr (PE) , Lurdez da Luz (SP), Coletivo di Tambor (BA), e um dos grandes destaques do Hip-Hop nacional na atualidade, a banda ilheense OQuadro.

No domingo, as apresentações ficam por conta da banda Scambo (BA), Eddie (PE), Curumin (SP) e a banda local Mago e Ogan Hits (BA)

Além dos shows, o festival também promove debates nos dois dias, com convidados locais e nacionais discutindo os temas: “Plataformas Permanentes Para Circulação Artística”, no sábado (15), e “Comunicação, Redes de Identidade e Produção de Novos Conteúdos”, no domingo (16). Os encontros acontecem na Casa do Boneco, às 16 horas.

CONEXÃO VIVO – Mais de uma centena de projetos musicais de todo o país fazem parte do Programa Conexão Vivo, que reúne shows, festivais independentes, gravação de CDs e DVDs, produção de videoclipes, programas de rádio, oficinas e seminários, compondo uma rede nacional e permanente de atividades culturais, que envolve artistas, gestores e produtores culturais, iniciativas públicas e privadas.

O Conexão Vivo realiza ao longo do ano um circuito próprio de eventos onde toda essa diversidade de ações acontece conjuntamente. Além disso, o programa está presente em muitas das mais importantes iniciativas da cena musical brasileira, seja com o patrocínio de projetos ou parcerias artísticas em eventos de destaque no calendário nacional, e outros festivais independentes.

Teatro, música e cinema na Casa dos Artistas de Ilhéus

Nesta semana, a Casa dos Artistas traz espetáculos com teatro, música e cinema. O musical Auto do Boi da Cara Preta puxa a fila de atrações a partir das 17 horas desta quinta-feira (13), em frente ao espaço cultural. Em seguida, haverá uma aula aberta de dança afro. Na sexta-feira (19), tem a sessão-show Cinema Incidental a partir das 19 horas, também em frente à Casa. E, no sábado, a comédia Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito fecha a semana de atividades às 20 horas.

O Auto do Boi da Cara Preta ficou fora de cartaz por mais de um ano e, desde seu retorno no último dia 23, agradou ainda mais o público. O musical da Cia. Boi da Cara Preta traz a alegria do bumba meu boi para contar a história do vaqueiro Mateus e sua mulher Catarina, que está grávida e cheia de desejos. Com elementos, ritmos e personagens típicos da cultura nordestina, o espetáculo é um animado auto de Natal, cujo elenco canta, dança e executa a trilha sonora. Além desta quinta-feira, a peça será reapresentada nos dias 20 e 27 às 19 horas.

O Cinema Incidental emprega novos sons para filmes mudos de Charlie Chaplin. Os músicos Elielton Cabeça e Pablo Lisboa se revezam em vários instrumentos para tocar ao vivo uma nova trilha sonora original. A sessão-show dura apenas 20 minutos, mas consegue deixar o público extasiado ao reviver a genialidade cômica do eterno Carlitos junto com a criatividade musical dos artistas ao lado do projetor.

Diferente dos políticos corruptos tradicionais, Teodorico Majestade promete e cumpre: diversão garantida para o público adulto. A sátira do Teatro Popular de Ilhéus está em cartaz desde dezembro de 2006 e continua atual, mostrando o lado ridículo da política suja. Inspirada na literatura de cordel e xilogravura, a comédia será apresentada novamente no dia 29 deste mês também às 20 horas. A classificação indicativa é recomendada para maiores de 14 anos e as entradas custam R$ 10 e R$5.

CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA DE ILHÉUS

Prezados Conselheiros e Conselheiras,

Conforme combinado anteriormente, nossa reunião ordinária foi antecipada para 12 de dezembro, quarta-feira, às 16h30, no auditório da Fundação Cultural de Ilhéus.

Em tempo estará na pauta:

1. Aprovação do Projeto Fomento para os editais da SECULT e futuros editais municipais de apoio;
2. Critérios de Reconhecimento do Artista Profissional para as eleições de 2013;
3. O que ocorrer.

Atenciosamente,

Gilsoney Rodrigues
Presidente

Jornalista Valmir Santos ministra encontro de crítica de artes cênicas

Jornalista Valmir Santos

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) está com inscrições abertas para a oficina sobre jornalismo na cobertura de artes cênicas. A capacitação será ministrada por Valmir Santos, jornalista cultural há 20 anos e colaborador da revista Bravo! e do jornal Valor Econômico.  A oficina acontecerá nos próximos dias 18 e 20 das 14 às 18 horas e será gratuita. As vagas são destinadas a estudantes e profissionais da área de comunicação. Os interessados devem preencher formulário no endereço: http://migre.me/ckpr1.

Intitulada A cultura da crítica de artes cênicas no jornalismo, a oficina tem como objetivo trocar informações sobre o exercício do jornalismo na cobertura de artes cênicas nos veículos impressos ou virtuais.  Serão trabalhadas introdução à história e ao exercício da crítica, os principais elementos constitutivos da cena teatral segundo procedimentos jornalísticos, as categorias reportagem, crítica e análise.

Após assistirem as palestras, os participantes farão um exercício do conteúdo trabalhado, escrevendo uma crítica sobre o musical Auto do Boi da Cara Preta, que será apresentado às 20 horas. A crítica deverá ser entregue, por e-mail, até às 15h do dia seguinte. Os participantes deverão enviar seus dados com nome, email e área de atuação até esta sexta-feira (14) para que recebam o material de apoio.

Para o diretor do TPI, Romualdo Lisboa, a oficina será uma oportunidade única para a formação profissional daqueles que atuam na área de comunicação. “Nossa região tem carência de profissionais que façam críticas fundamentadas nas técnicas das artes cênicas. A troca de experiências com Valmir Santos será uma oportunidade única para aprimorar o cenário do jornalismo cultural”, afirmou.

Páginas: Anteriores 1 2 3 ... 14 15 16 17 18 19 20 ... 38 39 40 Próximas