itacare

Editoria ‘Cultura’

Hoje e dia de circo abre programação de março

Hoje é dia de circo é a atração que vai abrir a programação de março do Teatro Popular de Ilhéus (TPI), que traz ainda música, cinema, exposição fotográfica e literatura.  O pocket show do Grupo Teatro/Circo Maktub será nesta sexta-feira (1º) às 18h30min e no sábado (02) às 17 horas, na Casa dos Artistas de Ilhéus. O espetáculo traz os principais personagens do universo circense na figura do palhaço, resolvendo desafios, cada um a seu modo. Texto e direção de Fábio Nascimento. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5.

Hoje é dia de circo - foto Divulgação Grupo Maktub

Hoje é dia de circo – foto Divulgação Grupo Maktub

O Núcleo de Produção Audiovisual do Teatro Popular de Ilhéus mantém a parceria com o curso de Comunicação Social da Universidade Estadual de Santa Cruz. As projeções dos vídeos dos acadêmicos acontecem no Cineclube Équio Reis, todas as terças-feiras às 19 horas. No dia 05, será exibido o documentário “A Contrapartida”, de Mariana Ferreira. E, às 19 horas do dia 19, acontecerá a Mostra Mondrongo Filmes, com obras produzidas ou apoiadas pelo Núcleo do TPI. A entrada é franca.

•| MATÉRIA COMPLETA »

DJ e Realejo fazem shows em frente à Casa dos Artistas

O Teatro Popular de Ilhéus abre espaço para a livre apreciação da música, trazendo duas atrações de gêneros diferentes, mas que imortalizam sons e ritmos ao longo de gerações. Nesta quarta-feira (27) às 17 horas, o DJ Jef Rodriguez discoteca suas pesquisas musicais recentes no projeto Transeunte. E na quinta-feira (28), o músico e cantor francês Jean-Marie Olive apresenta Realejo de Paris, executando clássicos da música francesa. Os shows são gratuitos e acontecem em frente à Casa dos Artistas de Ilhéus.

TEATRO POPULAR DE ILHÉUS

Sobre um tablado e manuseando sua pick up, Jef Rodriguez apresenta um repertório eclético, marcado pela presença obrigatória do soul e funk music. O vocalista da banda ilheense de hip hop OQuadro deu início ao projeto Transeunte na Casa dos Artistas em janeiro deste ano, renovando a trilha sonora da Rua Jorge Amado.

Remetendo ao som dos antigos carrosséis, o Realejo de Paris atrai olhares surpresos e curiosos. Na semana passada, Jean-Marie Olive emocionou o público com o instrumento que aprendeu a tocar com seu avô. Seu repertório traz 190 canções que fazem parte das raízes da música francesa. A mais antiga é de 1794 e outras ganharam o mundo na voz de artistas como Edith Piaf e Charles Aznavour.

Anivesário do Dilazenze

Grupo de Preservação da Cultura Negra Dilazenze

Fundado em 22-02-86

 INFORMATIVO

O grupo DILAZENZE está comemorando 27 anos de existência no dia 22 de fevereiro e como parte das comemorações estará realizando uma serie de atividades neste final de semana em sua sede social no alto da conquista. A programação inclui a inauguração da biblioteca comunitária “Ponto de Leitura Mamêto Mucalê” contemplada pelo edital Mais Cultura de Pontos de Leitura da Fundação Pedro Calmon, apresentações artística do corpo de balé afro do grupo, show musical com as bandas Dilazenze e Entropia alem de vários convidados entre eles o poeta Gustavo Felicíssimo e o cantor Claudio vieira com o afro-samba. Finalizando a festa o bloco afro Dilazenze realizará um cortejo afro pelas ruas do bairro da conquista e logo após o desfile será servido o tradicional amalá para os foliões.

PROGRAMAÇÃO:

•| MATÉRIA COMPLETA »

2º Grito Rock de Ilhéus será no próximo dia 02

O Coletivo Chocolate Groove faz os ajustes finais para a segunda edição do Grito Rock de Ilhéus. O festival acontecerá no dia 02 de março, a partir das 22 horas, no Vagão, em Olivença. Estão confirmados as bandas regionais Dr. Imbira, Mendigos Blues, Plano Inclinado e Infected Minds. Ainda tem Nute, grupo de Alagoinhas. A iniciativa será aberta ao público, reunindo outras modalidades artísticas, como audiovisual, dança e eletrônica. Além do entretenimento, serão abordadas questões sociais e ambientais.

Grito Rock Ilhéus 2013.jpg Grito Rock Ilhéus 2013

Grito Rock Ilhéus 2013

O primeiro Grito Rock Ilhéus aconteceu em 10 de março de 2012, no mesmo local que a edição 2013. Na ocasião, um público de aproximadamente 600 pessoas conferiu os shows das bandas grapiúnas Dr. Imbira, Mendigos Blues, Infected Minds e Mortifera, além da carioca Eden Bordel. Neste ano, os organizadores pretendem superar o sucesso anterior, assegurando qualidade de som e segurança.

Para um dos coordenadores do evento, Elielton Cabeça, o Grito Rock Ilhéus pretende ser incluído no calendário de eventos do município. “A intenção é que seja uma realização contínua, a fim de dar maior visibilidade à produção artística autoral e independente”, explica.

ILHÉUS / Últimas semanas de inscrições para cursos e oficinas artísticas

Jeff Rodriguez no projeto Transeunte - foto Karoline Vital

Jeff Rodriguez no projeto Transeunte – foto Karoline Vital

Faltam duas semanas até o fim das inscrições para cursos e oficinas artísticas, organizadas pelo Teatro Popular de Ilhéus (TPI). Atualmente, há vagas para os cursos de bateria e percussão, dança criativa para crianças e jovens, canto popular, violão e guitarra, instrumentos de sopro e dança afro. As turmas serão fechadas até o final deste mês e as aulas começam em março. Os interessados devem se dirigir à Casa dos Artistas, de segunda a sexta-feira, das 14 às 18 horas. Mais detalhes pelo telefone (73) 4

Ministrado pelo mestre Sabará, o curso de bateria e percussão acontece todas as sextas-feiras em dois horários: das 9 às 11 horas e das 14 às 16 horas. A mensalidade custa R$ 40. E quem quiser aprender técnicas de aperfeiçoamento vocal, pode se inscrever na oficina de canto popular, com Eloah Monteiro. As aulas acontecerão durante as segundas e quartas-feiras a partir das 18h30min, custando R$50 ao mês.

•| MATÉRIA COMPLETA »

TPI retoma programação após liberação de alvará

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) retoma a programação de fevereiro após a Prefeitura liberar o alvará de funcionamento. Até então, o grupo que administra a Casa dos Artistas respeitava o Decreto Municipal 025/2013, que suspende a permissão para casas de shows da cidade. O retorno das atividades artísticas será neste sábado (16), às 20 horas com o espetáculo de palhaçaria Homens ajudam homens?, do Grupo de Teatro e Circo Maktub. A peça é livre para todos os públicos e as entradas custam R$ 10 e R$5.

A programação de fevereiro segue na próxima semana com o Cineclube Équio Reis, organizado pelo Núcleo de Produção Audiovisual do TPI. Na terça-feira (19), a partir das 19 horas, serão projetados curtas-metragens de Georges Méliès, na porta da Casa dos Artistas. Os filmes de curta duração foram produzidos entre 1898 e 1909 pelo precursor dos efeitos especiais cinematográficos, trazendo encantamento, magia e histórias fantásticas. Em caso de mau tempo, as projeções acontecerão gratuitamente no interior do espaço cultural.

Outras atividades seguem na Casa dos Artistas de Ilhéus. A exposição das telas do artista plástico Arthur Campello continua em cartaz e com entrada franca. Ainda há vagas para os cursos de bateria e percussão, dança criativa para crianças e adolescentes, aulas de dança afro-brasileira e oficina de canto popular. As inscrições são feitas das 14 às 18 horas e, para mais detalhes, os interessados podem ligar para (73) 4102-0580.

Um Grapiúna em Frankfurt

                       por Cyro de Mattos

Para quem não sabe, grapiúna é  palavra de origem indígena. Usada pelos índios do Sul da Bahia, no início da conquista da terra, significava pequena ave preta que vive às margens do rio.  Os meninos de minha cidade chamavam essa ave de “viuvinha” porque tinha o pequeno corpo  coberto de penas pretas. Mas há quem ache que grapiúna tem sua origem na expressão  “igarapé-una”, que quer dizer riacho preto. Este  pequeno curso d’água era muito encontrado antigamente nas fazendas de cacau e nas matas do Sul da Bahia.

Perdendo a vogal inicial, grapiúna passou a significar os que vieram para o Sul da Bahia no período do desbravamento e povoamento. Grapiúna assim diz respeito a uma civilização forjada por homens simples. Com o machado e o facão na bainha foram derrubando  as matas, penetrando a selva hostil, fundando vilas e pequenas cidades. Com o passar dos anos estabeleceram uma civilização com sua forma singular de vida, proveniente da implantação da  lavoura do cacau por léguas e léguas de terras férteis.

Eu nasci neste chão grapiúna, cresci respirando o cheiro do cacau, correndo com os outros meninos nas manhãs e tardes desse  mundo, que trago dentro de mim e amo.

Meu livro Vinte poemas do rio e outros poemas foi traduzido para  o alemão por  Curt Meyer-Clason. A editora Projekte-Verlag, de Halle,  reservou-me espaço para em seu stand participar de uma tarde de autógrafos na Feira do Livro de Frankfurt. O país  que seria homenageado na Feira do Livro de Frankfurt em 2010  era a Argentina. Confiando em meu inglês que dava para o gasto corriqueiro, permitindo que eu não passasse fome, tomei ânimo e fui participar da Feira do Livro de Frankfurt, considerada como o maior encontro mundial no setor editorial.

•| MATÉRIA COMPLETA »

GALERIA DE ARTE PARISIENSE MOSTRA EM MARÇO TELAS DA ILHEENSE JANE HILDA BADARÓ, EM EXPOSIÇÃO COLETIVA.

 

 ARTE BRASILEIRA CONQUISTA MAIS UM  ESPAÇO EM PARIS!

 

MONT / R2CPRESS

MONT / R2CPRESS

Em 11 de março acontece a inauguração de mais um trabalho da curadoria de Heloiza de Aquino  Azevedo, na França, desta vez na Galeria Art et Events de Paris. A exposição denominada “Connexion Art Mondial” vai contar com a participação de 10 artistas que estarão representando o Brasil dentre outros artistas internacionais renomados no mundo: Cibele Pilla (Pintura sobre lona de Caminhão, SP), Denise Pitagoras (Gravura, BA), Heloiza Azevedo  (Pintura, Paris, França), Jane Hilda Badaró (Pintura Naif, Ilhéus-BA), João de Oliveira (Pintura, RJ), Julia Dijkstra (Pintura, Holanda),Marilda Dib (Escultura, SP), Morenu (Pintura, DF), Nato L. (Pintura, SP), Rose Schauerte (Pintura, Alemanha).

•| MATÉRIA COMPLETA »

A Poesia Espiritual de Alfredo Pérez Alencart

                        Cyro de Mattos

 O poeta Alfredo Pérez Alencart  nasceu em Puerto Maldonado, Peru (1962), mas está radicado há anos  em  Salamanca, Espanha, onde é professor universitário desde 1987. Tradutor e ensaísta. Membro da Academia Castelhana e Leonesa da Poesia. Recebeu, pelo conjunto da obra, o Prêmio  Internacional de Poesia Medalha Vicente Gerbasi, do Círculo de Escritores de Venezuela, e o Prêmio de Poesia Juan Baños, de Valadoli. .
Como poeta publicou   La voluntad enhechizada  (2001),   Madre selva  (2002),  Ofrendas al tercer hijo de Amparo Bidon  (2003),  Pájaros bajo la piel del alma  (2006),  Hombres trabajando  (2007),  Cristo del alma  (2009),  Estación de las tormentas  (2009),  Savia de las Antípodas  ( 2009), Aquí hago justitia (2010) e Cartografia de las revelaciones (2011). Sua poesía tem sido traduzida para o portugués, alemão, inglês, russo, italiano, francês e outros idiomas.

Teve publicado no Brasil, em 2011, o livro Cristo da alma (1), com tradução  e prefácio de  Cláudio Aguiar, posfácio de Carlos Nejar. A obra é dividida em  duas partes. A primeira,  Tenho Deus, compõe-se de  Em Nome do Filho, Em Nome do Pai e Em Nome do Espírito. A segunda,  Cristãos de Todos os Lugares, compõe-se de  Ocupação do Reino e Certificando a Partida. No final do livro há um poema no qual o poeta adverte: “Havia que disolver toda mazela/ enaltecida às vãs soberbas/ou sobre máscaras cheias de impiedade”.

Na primeira parte como na segunda o poeta utiliza dez versos para cada poema.  A linguagem arma-se de metáforas, entonação bíblica, reflexões e alusões para a  abordagem do tema suscitado: a corrente do existir em Cristo pulsando na alma ante a precária  realidade da humanidade, A  dicção poderosa que emerge  desses poemas de forte fulguração espiritual é formada de versos agudos, alguns com a feição de versículos,  para expressar com firmeza  as tramas do mistério e seus unânimes exemplos, numa travessia capaz de  sangrar pela abundância do caos.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Sol da Bahia Esquentando o Inverno Londrino

"Sol Dourado"

“Sol Dourado”


Pintura a têmpera sobre tela do artista ilheense G. Albagli ( 2007, 80x90cm), integrando a coleção da Lady R. Al Rassasse de Chelsea.
Em Março 2013, o artista inaugurará uma nova exposição em Ilhéus:”Personagens de Jorge Amado”, dez telas de grande formato, a óleo sobre tela, em espaço ainda a ser definido, organizada pelo jovem curador grapiúna Rafael Pita.

TPI aguarda vistoria para espetáculos de fevereiro

Em respeito ao Decreto Municipal 025/ 2013, que suspende o alvará de todas as casas de espetáculos da cidade, o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) aguarda vistoria da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo para dar início aos espetáculos do mês. “A programação de fevereiro está pronta, com atrações de teatro, música, cinema. Mas, acatamos a decisão do governo municipal e, assim que recebermos a sinalização positiva, as atividades serão retomadas imediatamente”, declarou o diretor do grupo, Romualdo Lisboa.

Mesmo com shows musicais, peças de teatro e exibições de filmes temporariamente suspensos em função do Decreto, outras atividades seguem na Casa dos Artistas de Ilhéus. A exposição das telas do artista plástico Arthur Campello continua aberta à visitação gratuita. Os cursos e oficinas também estão mantidos. Ainda há vagas para bateria e percussão, dança criativa para crianças e adolescentes, aulas de dança afro-brasileira e oficina de canto popular. As inscrições são feitas das 14 às 18 horas e mais detalhes podem ser obtidos pelo telefone (73) 4102-0580.

Inscrições abertas para cursos e oficinas artísticas

Aprender a tocar um novo instrumento musical, dançar, cantar faz bem para a mente e espírito. E o Teatro Popular de Ilhéus facilita o investimento no potencial criativo de cada um, independente da faixa etária. Ainda há vagas para cursos de bateria e percussão, dança criativa, aulas de dança afro-brasileira e oficina de canto popular. As inscrições são feitas na Casa dos Artistas de Ilhéus, das 14 às 18 horas. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (73) 4102-0580.

O curso de bateria e percussão é ministrado pelo mestre Sabará. As aulas acontecem todas as sextas-feiras em dois horários: das 9 às 11 horas e das 14 às 16 horas. A mensalidade custa R$ 40. Mas, quem tiver interesse em técnicas de aperfeiçoamento vocal, deve procurar a oficina de canto popular, com Eloah Monteiro. As aulas acontecem às segundas e quartas-feiras a partir das 18h30min, custando R$50 ao mês.

A professora Érica Ocké, diretora da Cia. A-RRISCA, ministra o curso de dança criativa para crianças de 6 a 9 anos e outra turma de 10 a 15 anos, todas as sextas-feiras. As aulas são oferecidas pela manhã e tarde, com vagas limitadas. A mensalidade custa apenas R$ 10. Já as aulas de dança afro-brasileira, oferecidas por Neide Rodrigues, acontecem às terças e quartas-feiras a partir das 14h30min. A mensalidade é R$ 50 e aulas avulsas R$ 20.

Espaço para Adolescentes funciona no Teotônio Vilela

1ª Gincana dos Adolescentes do Teotônio Vilela - foto Karoline VItal (3)

O primeiro Espaço de Convivência para Adolescentes de Ilhéus já está em funcionamento no bairro Teotônio Vilela. As atividades foram abertas no último sábado (26) com uma Gincana voltada para os jovens. O evento contou com 64 inscritos, com idade entre 12 e 18 anos. A partir desta semana, o projeto inicia seus trabalhos regulares, com atividades às terças e quintas-feiras das 9 às 11 horas e das 14 às 16 horas. A sede provisória é a Associação de Moradores.

A Primeira Gincana dos Adolescentes foi o pontapé inicial para integração entre a equipe do Espaço de Convivência e os adolescentes. O evento contou com o apoio da escola Emília de Brito Correia, que disponibilizou espaço para ponto de apoio. A estrutura de som, palco e os lanches foram conseguidos com a ajuda de parceiros.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Arthur Campelo expõe telas na Casa dos Artistas

A exposição do conjunto de 10 telas do artista plástico Arthur Campelo foi lançada no último sábado (26) e fica até o final de fevereiro, na Casa dos Artistas de Ilhéus. Figuras femininas e faces humanas são os principais temas de seus quadros, cujas influências são Picasso, Carybé e Pollock. A visitação é gratuita e as obras de arte estão à venda.

Exposição de Arthur Campelo - foto Karoline Vital (2)

Exposição de Arthur Campelo – foto Karoline Vital (2)


Nascido em Ipiaú e estudante da Escola de Artes Plásticas da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Arthur Campelo faz sua primeira exposição individual. Segundo o artista, ele já havia participado de outras duas coletivas. Em sua estreia, traz obras produzidas entre 2011 e 2012, com pinturas a óleo, mista e acrílica. Seu trabalho pode ainda ser conferido no site pessoal: www.arthurcampelo.com.br.
O artista baiano começou a pintar em 2009 e deixou o curso de engenharia em 2010 para investir exclusivamente em seu talento. “Quando saí da faculdade, viajei e vi muita arte”, declarou o jovem pintor de 21 anos, que disse ter enfrentado certa resistência de amigos e familiares. Em 2011, ingressou na Escola de Artes Plásticas da Ufba a fim de conhecer outras técnicas e aprimorar seu estilo.

Mondrongo Livros lança novas obras em Itabuna

Heitor Brasileiro, Ramon de Freitas Ribeiro, Rodrigo Melo e Jorge de Souza Araújo - foto Karoline Vital

Heitor Brasileiro, Ramon de Freitas Ribeiro, Rodrigo Melo e Jorge de Souza Araújo  – foto Karoline Vital

A editora do Teatro Popular de Ilhéus, Mondrongo Livros, lança suas cinco obras mais recentes em Itabuna. A cerimônia acontecerá nesta quinta-feira (24) às 18h30min, no Teatro Zélia Lessa, localizado na Praça da Bandeira. As novas publicações são de gêneros variados, trazendo contos, poesias e até mesmo novelas de terror cósmico, escritas por renomados e novos autores baianos.

Os cinco novos livros da Mondrongo foram lançados em Ilhéus, no último dia 12, em comemoração ao primeiro aniversário da editora. As obras são: Essa esquiva e dilacerada fauna (contos), de Jorge de Souza Araujo; Um rio nos olhos (poesia), de Aleilton Fonseca, em edição bilíngue português/francês, já lançada na França e Canadá e O chão & a nuvem (poesia), de Heitor Brasileiro Filho. Os estreantes são O sangue que corre nas veias (contos), de Rodrigo Melo e O túmulo agonizante (novelas), de Ramon de Freitas Ribeiro.

Para o coordenador de literatura do Teatro Popular de Ilhéus, Gustavo Felicíssimo, a intenção é que a Mondrongo se transforme em referência para a literatura sulbaiana. “Cada vez mais descobrimos novos talentos que nos surpreendem com seus textos. Alem de dar espaço para os talentos da atualidade, pretendemos recuperar obras de importantes escritores falecidos”, complementa.

Publicado na Itália

História Infantil de Cyro de Mattos
Que Acontece Durante o Carnaval
Da Bahia É Publicada na Itália

O livro “O Menino e o Trio Elétrico”, do escritor baiano Cyro de Mattos acaba de ser publicado na Itália, pela Editora Romar, de Milão, com ilustrações da brasileira Petra Elster e tradução da poetisa italiana Mirela Abriani. O livro foi publicado no Brasil pela Editora Saraiva, coleção Mindinho e Seu Vizinho, e já se encontra disponível em forma digital (eBook). “O Menino e o Trio Elétrico” conquistou em 2008 o Prêmio Maria Alice de Lucas, da União Brasileira de Escritores, Seção do Rio do Janeiro.
A narrativa infantil “O Menino e o Trio Elétrico” conta a história de Chapinha, um menino negro, de oito anos de idade, que vende amendoim torrado nos ônibus de Salvador para ajudar no sustento a mãe e a avó, que moram numa casa pobre perto do Dique do Tororó e vivem com dificuldades. Ele sonha em brincar um dia o carnaval em um desses blocos de arromba que saem atrás do trio elétrico, com seus astros famosos, mas não consegue porque não tem dinheiro para comprar seu abadá.
Essa história do autor baiano trata pela primeira vez na literatura infantil brasileira do tema que aborda o carnaval baiano com seus famosos trios elétricos, que virou hoje coisa para turista e rico, e dos que não podem participar da festa. Para um menino pobre como Chapinha, o seu sonho é algo quase impossível de se realizar, porque um abadá a vestimenta que identifica um bloco, chega a custar muito dinheiro. Na história de Chapinha e o trio elétrico cabem todos os cheiros de Salvador, com suas ladeiras e becos, santos e orixás, alegria de seu povo no agito de uma festa que faz a cidade trepidar por todos os cantos.
È o próprio autor que conta como foi motivado para escrever a história:
“Certa vez eu estava dando um passeio pela orla de Salvador quando vi um menino negro entrar no ônibus para vender amendoim torrado aos passageiros. A festa do carnaval ia acontecer dali a uma semana. Ia mexer, como sempre, na “alma” da cidade de todos os santos e orixás, transformando-a numa onda de alegria, feita de ritmos e cores vibrantes, com os foliões pulando, cantando, abraçando e beijando… na maior felicidade..
“Ao retornar ao hotel à noite, imaginei como seria a vida daquele menino durante o carnaval, vendendo amendoim enquanto a cidade se divertia. Foi assim que começou a nascer esta história dentro de mim. Não vou contar se a história de Chapinha termina com a vitória da tristeza e a derrota da alegria. Bem, isso eu deixo para você ler e sentir comigo todos os lances marcantes do primeiro livro que escrevi para meninos de todas as idades, ambientado na cidade de Salvador, Bahia, com seus dias embalados na folia.”

Teatro, artes plásticas e música nesta semana na Casa dos Artistas

O Teatro Popular de Ilhéus traz uma programação eclética para esta semana. Na quinta-feira (24), tem Auto do Boi da Cara Preta a partir das 18 horas, em frente à Casa dos Artistas. Às 20 horas de sexta-feira (25), será a vez da sátira em cordel Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito. No sábado (26), o artista plástico Arthur Campelo abre sua exposição de pinturas, às 18 horas. E, mais tarde, tem dois shows de bandas independentes no projeto Sábado Sim.

A alegria dos festejos populares sempre contagia quem assiste ao musical da Cia. Auto do Boi da Cara Preta. Apesar de ser voltada ao público infanto-juvenil, Auto do Boi da Cara Preta agrada todas as idades com a dinamicidade e colorido do festejo do bumba meu boi. O texto é de Romualdo Lisboa, direção musical de Elielton Cabeça e direção geral de Tânia Barbosa. A apresentação desta quinta-feira será gratuita.

Em cartaz desde 2006, Teodorico Majestade nunca perde seu caráter atual. Mostrando o lado ridículo dos bastidores da corrupção política, a comédia do Teatro Popular de Ilhéus diverte e provoca reflexão no público. O texto e a direção são assinados por Romualdo Lisboa. A classificação indicativa é 14 anos e os ingressos custam R$ 10 e R$5.

A partir deste sábado e durante o mês de fevereiro, o estudante da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, Arthur Campelo, apresenta um conjunto de 10 quadros, na Casa dos Artistas. As pinturas abordam a figura feminina e faces humanas. Segundo o artista, suas principais influências são Picasso, Carybé e Pollock. O coquetel de lançamento será restrito a convidados, mas a visitação a partir da próxima semana será gratuita.

Após o lançamento da exposição de pinturas, acontece o projeto Sábado Sim, com shows de duas bandas independentes da região. Às 20 horas, Dr. Imbira e Mendigos Blues garantem um rock de primeira qualidade. As entradas custam R$ 10 e R$5.

Páginas: Anteriores 1 2 3 ... 14 15 16 17 18 19 20 ... 39 40 41 Próximas