WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom saude embasa sesab bahia


Janeiro 2021
D S T Q Q S S
« dez    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  






:: ‘Notícias’

Ilhéus passa a integrar rede nacional de políticas públicas voltadas à primeira infância

POR SECOM

Após análise criteriosa, a cidade de Ilhéus passa a integrar a Rede Urban95 Brasil, iniciativa desenvolvida pela fundação holandesa Bernard Van Leer em parceria com o Instituto Cidades Sustentáveis e a Rede Nossa São Paulo. A inserção se deu principalmente pelo fato do município possuir uma liderança comprometida com a agenda, apresentar ações e priorizar políticas públicas voltadas à primeira infância.

Com a participação, a secretaria executiva da Rede Urban95 Brasil apoiará tecnicamente a cidade no diagnóstico detalhado sobre a primeira infância; consultoria para aprimoramento de políticas e programas oferecidos por especialistas e suporte para uma campanha de mudança de comportamento, com foco na melhoria da qualidade das interações entre cuidadores, bebês e crianças pequenas.

A cidade também passa a contar com o apoio para a construção, implementação e monitoramento de planos municipais direcionados à primeira infância e formação e desenvolvimento de narrativas de comunicação com grupos locais de jornalistas e comunicadores da sociedade civil para fomentar e estimular pautas relacionadas à proposta.

“A inclusão de Ilhéus na rede é o reconhecimento do trabalho que visa condições materiais propícias ao desenvolvimento infantil. A Prefeitura é aberta ao diálogo e dentro dessa perspectiva temos avançado com engajamento dos segmentos na tomada de decisões favoráveis a toda comunidade, com atenção redobrada às nossas crianças”, frisou Mozart Aragão, secretário municipal de Meio Ambiente e Urbanismo.

O número 95 faz referência à altura média de uma criança saudável aos três anos de idade, período denominado como primeira infância. As cidades de Boa Vista (RR), Recife (PE) e São Paulo (SP) são pioneiras da Rede Urban95 Brasil. Agora, se juntam a elas Ilhéus (BA), Aracaju (SE), Brasileia (AC), Campinas (SP), Caruaru (PE), Crato (CE), Fortaleza (CE), Jundiaí (SP), Niterói (RJ), Pelotas (RS) e Ubiratã (PR).

Empreendedores têm até dia 6 de setembro se inscrever na aceleração de negócios da economia criativa

Programa vai selecionar 15 projetos para aprimorar ou desenvolver ideias de produtos ou serviços do segmento

Empreendedores que desejam desenvolver ou aprimorar produtos e serviços com modelo de negócios inovadores nos diversos segmentos da economia criativa no estado da Bahia tem até o dia 6 de setembro para realizar a inscrição no programa ACELERA+ CRIATIVO, por meio do site www.aceleramaiscriativo.com.br.

Podem se inscrever para concorrer à participação no programa microempreendedores individuais (MEI), micro e pequenas empresas que atuam no segmento de economia criativa e, ainda, potenciais empreendedores com um projeto ou ideia de negócio criativo. Ao todo, serão selecionados 15 (quinze) negócios criativos para o programa de aceleração.

No Brasil, a Secretaria de Economia Criativa, criada em 2012 e vinculada ao Ministério da Cultura, considera 20 setores dentro da economia criativa: artes cênicas, música, artes visuais, literatura e mercado editorial, audiovisual, animação, games, software aplicado à economia criativa, publicidade, rádio, TV, moda, arquitetura, design, gastronomia, cultura popular, artesanato, entretenimento, eventos e turismo cultural.

O programa é uma iniciativa do Sebrae Bahia, em parceria com o Sebrae Nacional, e busca impulsionar o crescimento do número de empreendimentos neste segmento, ampliando também a qualidade de produtos e serviços inovadores nos nove estados da região Nordeste. Serão 12 semanas de atividades, com capacitações online com facilitadores especialistas em diversas áreas como negócios e inovação, marketing digital, gestão financeira, jurídico para setor criativo, modelagem e validação de negócios entre outras.

Além dos encontros de conteúdo, os negócios participantes contarão ainda com acompanhamento individual semanal com mentores que ajudarão nos desafios específicos de cada projeto. Ao final do programa, os negócios participarão de um Demoday, evento de encerramento com apresentação dos negócios para possíveis investidores do setor.

Webinários

Como forma de apresentação e preparação para os concorrentes ao programa, será realizada uma série composta por quatro webinários gratuitos com temas relacionados ao setor criativo. Os encontros virtuais contarão com diversos especialistas e formadores de opinião do segmento de economia criativa.

Dois eventos da programação já foram realizados, com os temas “Novas tendências para a Economia Criativa” e “Modelo e Validação de Negócios no setor Criativo”, no dia 25 de agosto, e “Gestão de Projetos Criativos”, dia 27 de agosto. Os próximos eventos acontecem nos dias 1º e 3 de setembro, sempre às 19h, e tratarão sobre “Gestão Financeira aplicada ao segmento criativo” e “Comunicação e Marketing”. Os interessados podem se inscrever também pelo site do programa.

Para mais informações e conteúdos, siga o perfil @sebraebahia nas redes sociais: Instagram, Facebook, Twitter, Youtube, Linkedin, e faça parte do canal no Telegram, que pode ser acessado pelo link t.me/sebraebahia.

SERVIÇO

O quê: Programa Acelera+ Criativo
Inscrições abertas: até 6 de setembro de 2020
Onde: Online
Quanto: Gratuito
Informações: www.aceleramaiscriativo.com.br

 

Sebrae divulga recorte de pesquisa sobre o impacto da pandemia para os empreendedores negros

O Sebrae Bahia divulgou o relatório da 6ª edição da pesquisa “O impacto do Coronavírus nos micro e pequenos negócios”, com recorte de raça. No estado, mais de 68% dos entrevistados se declararam negros (pretos e pardos), sendo 45% mulheres e 55% homens.

A pesquisa apontou que os negros estão entre os empreendedores com menor percentual de dívidas (27,8%), em relação aos que se declararam de outras raças (branca, amarela e indígena), que somam 29,7%.

Outro ponto abordado foi a situação dos estabelecimentos durante o processo de isolamento social. O levantamento constatou um percentual praticamente similar para empreendedores de todas as raças no fechamento parcial (78%), havendo percentuais mais elevados para raça preta/parda com o fechamento total (9,7%) e sem restrições (1,9%).

O relatório mostrou ainda a mesma incidência entre todas as raças quanto à interrupção temporária (39,4%) e suaves diferenças de incidência para as demais situações, recaindo uma maior parcela para os empresários de raça negra na decisão de fechar a empresa (5,6%), enquanto as demais raças juntas somou-se 4,4%.

No que se reporta à adoção de alternativas para o enfrentamento do isolamento social e restrição de circulação de pessoas, houve um a maior prevalência de não ter condições de atuar no período entre os empresários das raças preta ou parda (40,7%). Consequentemente, os percentuais dos que estão utilizando ferramentas digitais também é mais elevado entre as demais raças (30,6%), enquanto pretos pardos chegam a 26,9%.

Enquadramento

Dentre os entrevistados, os empresários da raça negra são, em sua maioria, enquadrados como Microempreendedores Individuais (MEI), chegando a 68,5%. Os empreendedores de outras raças, neste mesmo perfil, atingiram 61,2%.

Quanto aos que declararam ter enquadramento jurídico de Microempresa (ME), os valores se invertem. O relatório mostra que há uma maior predominância das demais raças para os enquadramentos ME (27,8%) e Empresa de Pequeno Porte (EPP), com11%, enquanto os negros somam 24,5% para os ME e 6,9% para EPP.

Vendas e faturamento

As principais ferramentas utilizadas, pelos empreendedores negros, para as vendas, durante o período de isolamento social foram as redes sociais, aplicativos ou internet (WhatsApp, Facebook, Instagram, site etc.). Há uma proximidade de respostas entre todas as raças para a maioria das situações, havendo uma incidência um pouco maior para as demais raças nas opções “Sim, passei a vender por causa da crise” e “Não, são sei como se aplica ao meu negócio”.

Em referência à média mensal do faturamento nos seis meses anteriores ao início das medidas de restrições, há uma maior incidência do faturamento até R$ 6 mil/mês para os entrevistados que se declararam das raças preta ou parda (45%), enquanto nas demais raças o número atingiu 42%. Essa tendência se repete para a faixa de R$ 7 mil a R$ 15 mil: negros (10,1%) e demais raças (8,8%). Nos demais extratos acima de R$ 16 mil, prevalece uma maior participação das demais raças em detrimento à preta/parda.

A pesquisa

Realizada entre os dias 30 de maio e 2 de junho deste ano, a pesquisa ouviu 7.403 empresários brasileiros, de todos os estados e Distrito Federal, sendo 317 deles baianos.

A pesquisa levou em conta o universo de 17,2 milhões de pequenos negócios e, para cálculo estatístico, utilizou erro amostral de 1% para mais ou menos, e intervalo de confiança de 95%.

O relatório completo do recorte da pesquisa do Sebrae pode ser acessado neste link. Para mais informações e conteúdos, siga o perfil @sebraebahia nas redes sociais: Instagram, Facebook, Twitter, Youtube, Linkedin, e faça parte do canal no Telegram, que pode ser acessado pelo link t.me/sebraebahia.

UFSB já trabalha com acordos de pesquisa e inovação com parcerias externas

Um projeto de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) é um processo que pode envolver a pesquisa básica (pesquisa científica) e a pesquisa aplicada (pesquisa tecnológica), mais o desenvolvimento experimental, e que pode incluir um contrato de confidencialidade, se for preciso, por ter a inovação como objetivo – seja essa novidade uma tecnologia, um produto ou um processo. Uma inovação certamente gera a expectativa de um resultado que pode requerer proteção da propriedade intelectual para, entre outros motivos, preservar o direito da exploração comercial. A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) se qualifica para essa colaboração com a sociedade e a comunidade empresarial, inclusive com projetos de parcerias em pesquisa, desenvolvimento e inovação já em tramitação.

Com as recentes resoluções aprovadas no Conselho Superior, a instituição se habilitou para firmar colaborações entre parceiros externos, como empresas privadas e associações da sociedade civil, por exemplo, e integrantes da comunidade acadêmica, dedicados a projetos de PD&I. É uma forma acessível de investir em pesquisa e contribuir para que novas tecnologias cheguem à sociedade e, ao mesmo tempo, beneficiar o seu empreendimento, como afirma o coordenador de Criação e Inovação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFSB, professor Matheus Ramalho de Lima: “Toda parceria tem que ser igualmente vantajosa. Assim, o primeiro contato é interessante para que as partes, em comum acordo, vejam o que pode ser feito e de que forma para que os acordos sejam efetivados. É uma prática muito comum, vantajosa para a universidade e para o parceiro, justamente porque amplia as formas de captação e investimento de recursos, bem como em contribuição com a sociedade de modo geral”. Esse modelo amplia as formas de colaboração mútua entre Universidade, Indústria e Sociedade, construindo um ecossistema saudável de inovação.

Os pesquisadores ou as empresas podem contactar a Coordenação de Criação e Inovação (CCI UFSB). Além de ser o setor responsável por etapas importantes da tramitação dos acordos de parceria, a CCI pode ajudar na construção de uma parceria com base na conciliação de interesses de eventuais parceiros externos com a produção científica e tecnológica dos pesquisadores institucionais. “Podemos fazer esse elo direcionando aos pesquisadores, muito embora, esse contato também pode ser feito direto com os pesquisadores da UFSB. Ou seja, não importa muito os meios, mas o fim”, explica o professor Matheus. Passado esse momento, o Acordo de Parceria em PD&I é organizado.

As oportunidades potenciais são tão amplas quanto a variedade de ramos de atividade de parceiros externos e a diversidade de áreas de conhecimento na UFSB. Atualmente, a instituição conta com oito Centros de Formação (CF), que são unidades acadêmicas voltadas aos cursos de perfil profissionalizante, atuando cada um nas seguintes áreas: ArtesCiências Ambientais e Ciências Humanas e Sociais em Porto Seguro; Ciências da Saúde e Desenvolvimento Territorial, em Teixeira de Freitas; Ciências Agroflorestais,  Tecno-Ciências e Inovação e Políticas Públicas e Tecnologias Sociais, em Itabuna. É muito provável que um parceiro externo encontre motivos para uma colaboração em um objetivo já desenvolvido na universidade ou que um novo tema seja pensado em conjunto para um projeto de PD&I. “Vai depender da parceria. As partes podem combinar as metas e as responsabilidades de cada um, e os produtos ou processos gerados em relação à propriedade intelectual, caso ocorra uso comercial da tecnologia desenvolvida, de um modo que ambos tenham os ganhos almejados, base de um acordo de PD&I”, afirma o professor Matheus Ramalho de Lima.

Mais novidades sobre o assunto devem aparecer em breve. Já existem alguns projetos de acordos de parceria tramitando na UFSB, conforme o coordenador da CCI. O setor está trabalhando para aprimorar as informações sobre o que o professor Matheus chama de “portfólio do capital intelectual” da universidade para facilitar essa apresentação para a comunidade externa. Além disso, a CCI tem trabalhado, em conjunto com outros setores da universidade, para tornar o fluxo o mais rápido e eficiente possível, respeitando a legislação. Um terceiro front está na exposição dessas oportunidades “da porta para dentro”, com diversos eventos online promovidos pelo setor com especialistas sobre propriedade intelectual, acordos de parceria, PD&I e as normas mais atuais sobre esses temas, incluindo o novo Marco de Ciência, Tecnologia e Inovação.

página da CCI UFSB (https://ufsb.edu.br/proppg/dpci/cci) reúne diversas informações, desde a legislação pertinente, definições, orientações até os documentos requeridos para a elaboração de projetos de parceria em PD&I. O contato direto com o setor pode ser feito com mensagem para [email protected], aos cuidados do coordenador, professor Matheus Ramalho de Lima.

 

Secti entrega Espaço Colaborar de Cruz das Almas

Ambiente de coworking idealizado pela Secti potencializa o empreendedorismo local

A Bahia está construindo a maior rede pública de espaços de empreendedorismo e inovação do Brasil com a entrega de unidades do Espaço Colaborar em todo o estado. O projeto, que é capitaneado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), tem por objetivo potencializar empreendedores e pequenos negócios voltados para a área de inovação. Cruz das Almas inaugura o seu espaço nesta sexta (28), às 10h, em transmissão virtual pelo YouTube, com a participação de autoridades locais e estaduais. Até o final de agosto, a expectativa é que as cidades de Itaparica e Santo Antônio de Jesus também inaugurem seus ambientes.

O lançamento do Espaço Colaborar marca a requalificação dos antigos Centros Digitais de Cidadania (CDC), que chegará em 24 cidades na primeira etapa, e mais 17 na segunda, tendo sido a unidade de Irecê a primeira a ser inaugurada em 16 de agosto de 2019. O local, que funciona como um ambiente de coworking, está disponível para toda a população do município, com foco no ecossistema de inovação, composto por pesquisadores, empreendedores, donos de micro e pequenos negócios, etc, onde eles podem realizar reuniões de trabalho, encontros profissionais, entrevistas, treinamentos, palestras, entre outros.

O Espaço Colaborar traz ferramentas para trabalho como computadores, mobílias de escritório, como mesas e cadeiras, além de televisão e aparelho de videogame para momentos de descontração entre compromissos profissionais e acesso à internet. Em cada lançamento, a equipe responsável pela inauguração realiza um processo chamado “ativação do ecossistema de inovação”, quando diversos entes como a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a Associação Comercial da Bahia (ACB), além de universidades, Institutos Federais, empresas e escritórios do Sistema S como Senai, são acionados e comunicados sobre o lançamento, a fim de direcionar o uso e a ocupação para o público-alvo.

A secretária da Secti, Adélia Pinheiro, destaca a importância da construção de parcerias com os agentes de inovação para que possam potencializar ainda mais o local. “Parceiros como o Sebrae, o Iel, as prefeituras, organizações sociais, ou quaisquer prestadores de serviço que fomentem a cultura empreendedora no município serão sempre bem-vindos para buscarmos as melhores formas de promover o projeto”, disse. Vale ressaltar que o Espaço Colaborar faz parte de uma ação da Secti, denominada Espaços Dinamizadores, com o objetivo de oferecer à população locais de coworking, pesquisa e desenvolvimento de projetos. Além do Colaborar, outros equipamentos estão previstos no projeto, como, por exemplo, os espaços Fazer, Inovar e Fortalecer.

Para acompanhar a inauguração do Espaço Colaborar de Cruz das Almas, basta acessar, nesta sexta (28), às 10h, o canal da Secti no YouTube. A transmissão estará disponível através do endereço www.youtube.com/sectibahia

. O cronograma de implantação de espaços Colaborar prevê que outras cidades devem ser contempladas ainda nessa primeira fase de implantação, a exemplo de Porto Seguro, Feira de Santana, Ilhéus, Itapetinga, Jacobina, Jequié, Juazeiro, Lauro de Freitas, Madre de Deus, Paulo Afonso, Seabra, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista.

Comitê Emergencial da UFSB divulga 22º boletim semanal sobre a pandemia de covid-19 no Sul da Bahia

O Comitê Emergencial de Crise da Pandemia de Covid-19 liberou o 22º Boletim do Observatório da Epidemia do Novo Coronavírus no Sul da Bahia nesta terça-feira (25). Referente ao período observado entre 15 e 21 de agosto de 2020 nos territórios do Sul e Extremo Sul do estado da Bahia, o boletim semanal traz os seguintes destaques:

–>Análise do panorama semanal nos municípios do Sul e Extremo Sul: Do total de 229.743 casos e 4.757 óbitos confirmados na Bahia, 24.001 casos (10,4%) e 483 óbitos (10,2%) são de residentes em municípios onde a UFSB tem Unidade Acadêmica (UA) e/ou colégio universitário (CUNI), um incremento de 2.606 casos (12,2%) e 50 óbitos (11,5%) em relação ao acumulado da semana anterior (21.395 casos e 433 óbitos). Quanto ao risco de adoecer, apenas Porto Seguro (1.528,7/100 mil hab.) e Nova Viçosa (917,6/100 mil hab.) apresentaram Coeficiente de Incidência (CI) inferior à média estadual (1.544,7/100 mil hab.), enquanto todos os demais apresentaram risco de infecção superior à taxa nacional (1.674,9/100 mil hab.), com destaque para os municípios de Itabuna (3.806,8), Ilhéus (2.941,8) e Itamaraju (2.675,0). No intervalo de 14 a 21/08, apenas Teixeira de Freitas (97,9%), Ilhéus (25,5%) e Coaraci (7,3%) apresentaram variação positiva da incidência (número de casos novos na semana de 15 a 21/08 foi maior do que na semana de 8 a 14/08), mas a variação média dos 10 municípios onde a UFSB tem UA ou CUNI foi positiva (5,0%).
Quanto ao risco de morrer por COVID-19, Ilhéus (90,6 óbitos/100 mil hab.), Itabuna (78,3/100 mil hab.) e Ibicaraí (55,3/100 mil hab.) apresentaram coeficientes de mortalidade (CM) superiores à taxa nacional (53,7/100 mil hab.), enquanto Itamaraju (38,8/100 mil hab.), Teixeira de Freitas (36,8/100 mil hab.) e Santa Cruz Cabrália (32,4/100 mil hab.) apresentaram CM inferiores à média nacional, mas superiores à média estadual (32,0/100 mil hab.). Os demais apresentaram risco de morrer inferior à média estadual. Trata-se de indicador que permite avaliar a qualidade da assistência, mas que sofre grande influência do perfil demográfico e da cobertura da testagem, que define o denominador (número de pessoas infectadas). Veja mais detalhes do período observado no boletim.

–>Recomendações para a região:

A recomendação para os governos se mantém a mesma: adoção de medidas de redução de fluxo de pessoas, ampliação da oferta de leitos de UTI, políticas emergenciais de mitigação dos efeitos sociais da pandemia e máxima transparência na divulgação das informações relativas à epidemia e à capacidade do SUS de atendimento à população (número de leitos clínicos e de UTI para Covid-19 disponíveis e ocupados), cuja falta de transparência impede uma avaliação precisa da oportunidade e adequação das medidas de flexibilização que estão atualmente em curso. Recomenda-se aos médicos muita cautela na prescrição da cloroquina ou da hidroxicloroquina, tendo em vista o risco de efeitos colaterais graves (principalmente arritmia cardíaca) se em associação com um macrolídeo (azitromicina).
Recomenda-se a todos os indivíduos a manutenção das medidas de higiene, do auto-isolamento domiciliar e a utilização de máscaras faciais (caseiras) sempre que precisar sair de casa.
:: LEIA MAIS »

PSICOMUNDO <> REFLEXOS DO MUNDO E SUAS FANTASIAS <>

Diante de tantas fórmulas que surgem no mundo em que vivemos, notamos que Deus costuma usar a solidão para nos ensinar sobre o valor da vida em sociedade, nos obrigando a ter um imenso olhar em busca da boa convivência. Os verdadeiros componentes da paz estão dentro das nossas aspirações pessoais e na nossa conduta em qualquer lugar que estejam reunidos milhões de seres humanos comuns, pois todos nós somos iguais perante Deus. Torna-se difícil viver no desconhecimento de que a vida continua, pois surgirão na vida de todos uns novos dias, outra ocasião dando outra oportunidade para quem não acertou no dia anterior, corrigir o que faltou para tudo ficar bem, deixando para as pessoas em nosso mundo terrestre a paz e a prosperidade de forma simples e espontânea.

A ignorância desses fatos vão nos proporcionar somente uma felicidade falsa e perigosa. A inabalável paz nasce do conhecimento que derrota e dos temores da presença da infelicidade diante de nós. E ser sabido, usar espertezas visando exibições pessoais, usar a inteligência para enganar os outros, não valoriza nenhum acontecimento humano, é apenas uma má iniciativa que deixam as pessoas que agem dessa forma em condições desprezíveis e sozinhas no nosso Universo.

É preciso que cada um descubra que não está morto para as ações em favor do bem-estar de si e das outras pessoas que estão ao seu lado, sobretudo, verificar que tem dentro de si todos os dons dos sentimentos humanos. Não importa que seja rico ou pobre, feio ou bonito, preto ou branco, diretor de empresa ou um simples operário. Todos, sem exceção, possuem qualidades dignas, são pessoas cheias de coisas boas. E a ausência destas coisas boas é que deixa lugar para o surgimento de banalidades destruindo, aniquilando e desqualificando as espécies humanas.

Muito embora passe despercebido, sentimos que precisamos acordar de vez, para poder lutar com mais afinco, sentindo o quanto é bom o trabalho e a vida em solidariedade. Deve sempre ser algo que devemos carregar em nossa existência, de que necessitamos e jamais alguém conseguirá destruir, porque é a própria confiança em nós mesmos. É a fé presente em nossos corações. É uma resistência inalada e não nos deixa ficar acomodados onde estamos, nem conformados com o que temos. E aí, começamos a pensar, a despertar para as coisas essenciais e melhores, que nos trarão conforto e harmonia.

É na perseverança que está à força de vencer. Só consegue realmente vencer na vida aquele que luta com fé e segurança pelo seu ideal. Às vezes este ideal está tão perto, tão junto de nós, e não sentimos nem notamos a sua presença. É que estamos dormindo, sem querer acordar e viver o ideal da felicidade. E nós só amamos verdadeiramente nosso ideal, quando sentimos que estamos perto de perdê-lo. E perder um ideal, ao qual consagramos todas as nossas esperanças, não é nada bom. Existe muita gente que quer negar a existência de duras realidades, de verdades patentes e se perdem nas suas boas qualidades, e assim, se enveredam nas praticas de coisas ruins que fazem mais mal a si próprias. São inteligentes, acumularam tantos conhecimentos, às vezes acham que sabem de tudo, porém, só procuraram seguir caminhos tortuosos e cheios de tramas visionárias.

Querem muitas vezes negar a presença da confiança, do amor e da fé. Mais adiante querem negar que dentro de cada um de nós exista uma força, que invisivelmente, sem que a percebamos, nos empurra e nos leva para frente, a buscar melhores condições de vida, querendo uma comodidade mais segura e um bem-estar mais tranquilo. É chegada a hora de sentirmos o que somos, porque acreditamos que não é destino desta geração viver com uma luta que não criaram, em um mundo que não fizemos.

A paz é uma bandeira branca, é uma alma limpa, porque nem sempre as pressões da vida são atribuídas por escolha. Hoje, o mundo moderno, vive crises de consciências. Vivemos em busca da fé, da caridade e da esperança, e esquecemos-nos de verificar se nos conhecemos para conhecer as necessidades dos outros. E no mundo considerado delicadamente “moderno”, falta à compreensão nos lares, falta o amor, falta à amizade robusta e sincera, falta à confiança mútua. Como seria diferente tudo se houvesse mais comunicação, mais diálogo, mas abertura em torno de determinados assuntos que fizesse bem a todos. Observamos que existem pessoas que se trata com desprezo e que cruelmente se maltratam, por motivos fúteis e até mesmo sem motivo algum.

Estão sempre prontas estas pessoas e armadas na busca da agressão, da vingança, da cólera, da inveja, do egoísmo, às vezes encoberto por aparências, desprezando as regras de cortesia, da atenção e de humanidade. Existem pessoas que não gostam de acertar, poucos fazem questão de ouvir. São ávidas, frívolas, imprudentes ao falar, e, quando se abrem para um diálogo, à sua boca só surgem palavras de rivalidades, mentiras e blasfêmias. Nessa fase são criados os atritos provocados da autodefesa das outras pessoas agredidas por gente assim, surgindo o desconforto de traições, morrendo assim a força da confiança que deveria existir no cotidiano da vida. PENSEM NISSO!!!

Eduardo Afonso – Ilhéus-Bahia

Covid-19: cidades do sul e extremo sul da BA têm mais de 80% dos leitos de UTI ocupados; Teixeira de Freitas alcança 100%: POR G1

Cidades do sul e extremo sul da Bahia seguem com alto número de pacientes infectados pelo coronavírus e os leitos de UTI da maior parte dos hospitais das cidades da região estão com quase a totalidade da ocupação, conforme dados dos municípios.

As equipes municipais fazem o levantamento dos números e divulgam boletins diários. Nos mais recentes, divulgados entre o final da noite de segunda-feira (29), os leitos de UTI de Ilhéus, por exemplo, chegava a 91% de ocupação. [Veja dados detalhados dos leitos ao final da matéria]

No início deste mês de junho, o governador Rui Costa já tinha informado sobre a ocupação de 100% dos leitos de algumas cidades do sul da Bahia.

Em Teixeira de Freitas, no extremo sul, 100% dos leitos de UTI estão ocupados, assim como os leitos clínicos.

A cidade do extremo sul da Bahia possui 20 leitos de UTI disponibilizados em um Hospital de Campanha montado pelo governo do estado. Atualmente, 15 estão em funcionamento e cinco desativados temporariamente por falta de medicamentos que devem ser encaminhados pelo governo do estado, informou a prefeitura. Não há detalhes da data do envio dos medicamentos e reativação desses leitos.

Dos 15 leitos ativos, todos estão ocupados. Teixeira de Freitas também conta com leitos clínicos no Hospital Municipal. São 10 e todos estão com pacientes. A cidade ainda conta com atendimento na UPA, mas apenas para atendimento clínico

A expectativa da prefeitura é na inauguração do Centro Municipal da Covid-19, que vai focar no atendimento para quem mora em Teixeira de Freitas, já que nos hospitais de Campanha e Municipal, o atendimento é voltado também para moradores da região vizinha. A unidade já está em fase de implantação, com o espaço físico pronto, e é realizada a seleção de profissionais, informou a prefeitura.

Teixeira de Freitas, conforme o último boletim da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), registrou mais de 1,2 mil casos de pacientes com Covid-19, com 20 óbitos. O coeficiente de incidência por 100.000 habitantes é de 783,86.

Outras cidades da região

Itabuna é uma das cidades da Bahia com maior coeficiente de incidência do coronavírus por habitantes — Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Os municípios do sul e extremo sul da Bahia estão entre aqueles com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes, como, por exemplo, Itajuípe (1.800,79), Ipiaú (1.506,33), Uruçuca (1.203,76), e Itabuna (1.164,98).

Uruçuca, Itajuípe e Ipiaú são cidades que não possuem UTIs para tratamento da Covid-19, pois segundo as prefeituras desses municípios, elas não são centros de tratamento do novo coronavírus.

Essas cidades têm atendimento de enfermaria e, em caso de necessidade, fazem a transferência dos pacientes para cidades da região como Ilhéus e Itabuna, que também operam com capacidade quase completa.

Em Ipiaú, são nove leitos voltados para o tratamento da Covid-19 e por lá ainda há dois leitos que, segundo a prefeitura, integram uma área intitulada “vermelha”. Esses leitos possuem respiradores e monitor, mas não têm médico intensivista, por isso não pode ser chamado de UTI.

Dos nove leitos, além dos dois da área vermelha, seis são área amarela (leito clínico) e um leito de isolamento. Desse total, apenas o leito de isolamento está ocupado, informou a prefeitura.

Itajuípe possui 15 leitos de baixa complexidade. São leitos que têm por objetivo oferecer tratamento estabilizador aos pacientes que apresentam sintomas da Covid-19. Quando há algum caso grave, os pacientes são regulados para Itabuna e, quando não há vagas, são regulados para Salvador.

Já em Uruçuca, em caso de gravidade, os pacientes são transferidos para Ilhéus, a cerca de 40 km da cidade. O município possui um Centro de Covid que funciona também como atendimento para casos de baixa complexidade e triagem.

Leitos de UTI

Leitos de UTI de hospitais do sul da Bahia estão cheios — Foto: Divulgação/Governo da Bahia

Conforme os dados do boletim de segunda-feira, Ilhéus está com 91% dos leitos de UTI ocupados. Ao todo são 104 leitos na cidade, 55 de UTI e 49 clínicos. Do total de vagas da unidade de terapia intensiva, 50 estão ocupados. Não há detalhes do número de leitos clínicos ocupados.

Porto Seguro, no extremo sul, tem 10 leitos de UTI e 8 estão com pacientes, ou seja, 80% de ocupação. Já leitos clínicos são 34, com 11 ocupados.

Itabuna tem 23 leitos de UTI, 21 estão com pacientes internados, o que representa 86% de ocupação. Leitos clínicos somam 78, com 42 ocupados e 36 disponíveis, conforme último boletim da prefeitura da Itabuna na noite de segunda-feira.

Em toda a Bahia, de acordo com o boletim da Sesab de segunda-feira, são 2.284 leitos. Desses, 1.385 possuem pacientes, ou seja, uma ocupação de 61%.

Do total de leitos, 916 são de UTI, sendo que 705 deles estão ocupados, o que representa uma taxa de 77%. Já os leitos clínicos totalizam 1.368, onde 680 têm pacientes internados (50% de ocupação).

Confira abaixo o número de casos, óbitos registrado nas cidades, segundo a Sesab, além dos dados de ocupação, conforme informaram as prefeituras.

  • Itabuna: 2.484 casos, com 56 óbitos. Taxa de ocupação da UTI: 86%
  • Teixeira de Freitas: 1258 casos com 20 óbitos. Taxa de ocupação da UTI: 100%
  • Porto Seguro: 540 casos, com seis óbitos. Taxa de ocupação da UTI: 80%
  • Ilhéus: 1251 casos, com 43 mortes. Taxa de ocupação da UTI: 91%

Serviço de Abordagem realiza atendimento diário às pessoas em situação de rua em Ilhéus: Por Secom

Programa da Prefeitura de Ilhéus realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), o Serviço de Abordagem Social vinculado ao Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro Pop) presta atendimento diário ao público assistido. O trabalho consiste em mapear a população, apresentar o serviço e inseri-la na rede de proteção social do município.

A aceitação, contudo, deve ter caráter voluntário. “Realizamos um trabalho humanizado, disponibilizando um serviço que visa devolver a cidadania dessas pessoas e restabelecer o vínculo familiar”, destacou Rubenilton Silva, titular da SDS. A equipe de acompanhamento é composta por assistentes sociais e psicólogos. O espaço oferece café e almoço, ambiente para higiene pessoal, lavagem e secagem de roupas.

Também são realizadas atividades de convivência, voltadas à reinserção comunitária e ao resgate de vínculos familiares. De acordo com Gustavo Pestana, coordenador do Serviço de Abordagem Social, as equipes mapearam 238 pessoas em situação de rua no território ilheense nos últimos dois meses. Desse total, cerca de 150 pessoas estão cadastradas no Programa Bolsa Família/Auxílio Emergencial e aproximadamente 80% vieram de outras cidades e estados. As capacitações, cursos e oficinas estão suspensos em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A coordenação do Serviço de Abordagem explica que a dependência química é uma das principais causas de rompimento de vínculos e da saída de casa. Uma em cada 10 pessoas encaminhadas para instituições de acolhimento conclui a proposta estabelecida; sete saem com menos de três dias. Cinco em cada cem pessoas têm comprometimento psiquiátrico severo. Inexiste adesão às propostas no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps-AD).

 

Cerca de 40% dos alunos da rede estadual já foram testados para a Covid-19 em Ilhéus

A Prefeitura de Ilhéus, em parceria com o Governo do Estado, segue com a testagem dos servidores e alunos da rede estadual de ensino para identificar e mapear casos assintomáticos da Covid-19 na cidade. De acordo com a Secretaria de Educação do Estado da Bahia (SEC), a meta é testar 12 mil pessoas até o final do mês. O secretário municipal de Saúde, Geraldo Magela, destaca que a testagem em massa resultará em um aumento significativo dos casos positivos da doença.

“Queremos ampliar a investigação epidemiológica e para isso, colocamos nossas equipes de saúde à disposição, a fim de contribuir com o trabalho desenvolvido”. A SEC informa que 18 unidades escolares integram a rede estadual em Ilhéus. Atualmente, o público é composto por 661 professores, 296 servidores e 11.370 estudantes, totalizando 12.327 pessoas.

Gustavo Cunha, infectologista da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), explica que a análise por amostragem é uma das formas mais adequadas para investigar o percentual de pessoas infectadas. Até a última quinta-feira (20), foram testados 4.384 dos 12.327 indivíduos, o que resulta em aproximadamente 40% do público-alvo. Desse total, 989 apresentaram diagnóstico positivo para a doença

“Um dado que merece atenção refere-se ao fato de os indivíduos estarem positivos e assintomáticos. Quando colocamos Ilhéus como um todo, o percentual de pessoas testadas que tiveram resultado positivo fica em torno de 3%. É bem possível que a cidade já esteja chegando ao que chamamos de imunidade de rebanho e com isso, a tendência será os casos diminuírem paulatinamente. Partindo desse ponto, há dois caminhos a serem seguidos: ou a epidemia desaparece ou ela se torna uma endemia, que é quando o número de casos da doença permanece, mas de forma reduzida”.

Cunha observa que houve uma redução da ocupação de leitos hospitalares e isso pode significar que o município já tenha passado pelo pior momento da epidemia. Sobre a reinfecção, ele ressalta que não existem estudos que assegurem a possibilidade. “Até o momento não existe confirmação científica que corrobore com a possibilidade de reinfecção pela Covid-19. Nas últimas pesquisas não foi identificada alteração do material genético do vírus que justificasse mudanças na sua estrutura capazes de causar reinfecção nos pacientes”, concluiu.

O gestor responsável por cada unidade escolar realiza a convocação do alunado para que compareça no dia e horário agendados. O Estado informou que ainda não há uma data definida para a volta às aulas.

 

Comitê Emergencial da UFSB divulgou 21º boletim semanal sobre covid-19 no Sul da Bahia

O Comitê Emergencial de Crise da Pandemia de Covid-19 atualizou as informações sobre a pandemia de Covid-19 com a 21ª edição do Boletim do Observatório da Epidemia do Novo Coronavírus no Sul da Bahia nesta terça-feira (11). Referente ao período observado entre 8 e 14 de agosto de 2020 nos territórios do Sul e Extremo Sul do estado da Bahia, o boletim semanal traz os seguintes destaques:

–>Análise do panorama semanal nos municípios do Sul e Extremo Sul: Os municípios de Itabuna (3.401,1 casos/100 mil hab.), Itamaraju (2.495,1/100 mil hab.), Ilhéus (2.483,3/100 mi hab.), Eunápolis (2.014,5/100 mil hab.), Ibicaraí (1.950,3/100 mil hab.), Santa Cruz Cabrália (1.659,6/100 mil hab.) e Teixeira de Freitas (1.604,5/100 mil hab.) apresentam risco de infecção superior à taxa nacional (1.553,0/100 mil hab.), enquanto Porto Seguro (1.299,4/100 mil hab.) apresenta coeficiente de incidência (CI) inferior à média nacional, mas superior à média estadual (1.418,3/100 mil hab.). Apenas Coaraci (1.418,2/100 mil hab.) e Nova Viçosa (834,6/100 mil hab.) apresentam CI inferior à média estadual. Na média, os 10 municípios onde a UFSB tem unidade acadêmica e/ou colégio universitário apresentaram variação positiva da mortalidade (número de óbitos na semana de 8 a 14/08 foi menor do que na semana de 1º a 07/08) de +50,0%, com destaque para Itamaraju (300,0%), Ilhéus (275,0%) e Itabuna (187,5%).
Quanto à “taxa de letalidade”, apenas Ilhéus (3,5%) apresentou valor superior à média do Brasil (3,3%) em 14/08, enquanto Teixeira de Freitas (2,2%) e Coaraci (2,1%) apresentaram valores superiores à média da Bahia (2,0%), mas inferior à do Brasil. Os demais municípios apresentaram taxa de letalidade semelhante ou inferior à média estadual. Destaque para a baixa letalidade observada em Santa Cruz de Cabrália (0,7%), Eunápolis (0,9%) e Porto Seguro (1,0%). Trata-se de indicador que permite avaliar a qualidade da assistência, mas que sofre grande influência do perfil demográfico e da cobertura da testagem, que define o denominador (número de pessoas infectadas).

–>Recomendações para a região:

A recomendação para os governos se mantém a mesma: adoção de medidas de redução de fluxo de pessoas, ampliação da oferta de leitos de UTI, políticas emergenciais de mitigação dos efeitos sociais da pandemia e máxima transparência na divulgação das informações relativas à epidemia e à capacidade do SUS de atendimento à população (número de leitos clínicos e de UTI para Covid-19 disponíveis e ocupados), cuja falta de transparência impede uma avaliação precisa da oportunidade e adequação das medidas de flexibilização que estão atualmente em curso. Recomenda-se aos médicos muita cautela na prescrição da cloroquina ou da hidroxicloroquina, tendo em vista o risco de efeitos colaterais graves (principalmente arritmia cardíaca) se em associação com um macrolídeo (azitromicina).
Recomenda-se a todos os indivíduos a manutenção das medidas de higiene, do auto-isolamento domiciliar e a utilização de máscaras faciais (caseiras) sempre que precisar sair de casa.

–> Mapeando iniciativas de enfrentamento: O Comitê Emergencial de Crise/Covid-19 da UFSB (CEC) em parceria com as Coordenações de Apoio Administrativo e os Setores de Saúde dos campi, realizará, na próxima quarta- feira (19/08), encontro de orientação a respeito das recomendações de biossegurança e autocuidado em atividades presenciais. A iniciativa tem como objetivo divulgar o compilado de “Orientações sobre Biossegurança para a Realização de Atividades Presenciais no Contexto da Covid-19”, além de tirar dúvidas a respeito das medidas de segurança a serem implementadas nos campi quando da realização de atividades presenciais. O encontro começará às 9h pelo linkhttps://meet.google.com/nmy-eyvf-szo

–> Ações em Pauta – Extensão: O Grupo de Apoio Mútuo para Ansiedade (GAMA) ofertará curso de capacitação sobre a prática da escuta sensível no acolhimento e saúde mental no período de isolamento. A iniciativa integra as ações de enfrentamento da pandemia e de suas consequências apoiadas pela instituição por meio do Edital Prosis 07/2020 – atualmente vinculado à Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proex) da UFSB. O objetivo do curso é capacitar profissionais da área da saúde e demais interessados (professores/as das redes pública e privada, estudantes, líderes comunitários/as) em incorporar técnicas da Escuta Sensível em suas práticas, com ênfase no acolhimento de pessoas em sofrimento psíquico, por via remota – interação mediada pelas tecnologias de informação e comunicação (TIC’s). Todos os encontros e atividades serão realizadas à distância (remotas). Serão oito sessões realizadas todas as quintas-feiras através da plataforma Google Meeting: a turma 1 com início em 27/08, das 9h às 11h; e a turma 2 a partir de 22/10, das 14h às 16h.

Inscrições:https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdZsPjlUFK7wRcAHBvOQsu_eK4d4O5LOWOoSuW0Lf73_nBsFg/viewform.

–>Recomendações de prevenção:  A identificação na China de traços do coronavírus em embalagens de congeladas de frango de origem brasileira trouxe à tona o medo de novos surtos da Covid-19 e novos questionamentos em relação à disseminação do vírus SARS-CoV-2 através do consumo de alimentos.
Os representantes da Organização Mundial de Saúde (OMS) reforçaram que é importante esse monitoramento e que não existem evidências de que a cadeia alimentar esteja participando da transmissão do vírus SARS-CoV-2: “não temos exemplos do vírus sendo transmitido como alimento consumido”. O órgão acredita que o vírus se comporte de maneira semelhante a outros tipos da família que precisa de um hospedeiro (animal ou humano) para se multiplicar e é sensível às temperaturas normalmente utilizadas no cozimento dos alimentos (aproximadamente 70ºC).
A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, pelo contato próximo com um indivíduo infectado ou por contato indireto com superfícies e objetos contaminados, principalmente secreções respiratórias expelidas pela tosse e espirro de pessoas infectadas, e depois o toque na boca, nariz ou olhos.
O SARS-CoV-2 pode permanecer por horas ou vários dias, a depender da superfície, da temperatura e da umidade do ambiente, mas é eliminado pela higienização adequada. O vírus pode ser facilmente inativado de superfícies com o uso de água e sabão ou álcool 70%. Os cuidados básicos na manipulação, higienização e preparo dos alimentos previnem a Covid-19 e várias doenças veiculadas/transmitidas por alimentos.

 

Documento relacionado

Boletim nº 21 do Observatório da Epidemia do Novo Coronavírus no Sul da Bahia (18/08/2020)

 


Heleno Rocha Nazário
Jornalista – Mestre em Comunicação Social (PPGCOM/PUCRS)

UFSB adota medidas de biossegurança para atividades presenciais

A retomada das aulas na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) ocorre na modalidade intermediada por Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) desde a segunda-feira (17), em função da pandemia de Covid-19. É no intuito de garantir a preservação da saúde quando da realização de atividades presenciais que a instituição preparou um Manual de Orientações de Biossegurança. O documento apresenta as boas práticas e medidas de autocuidado a serem seguidas pela comunidade acadêmica no ambiente da universidade quando da realização de atividades presenciais. As orientações foram compiladas a partir das diretrizes do manual de biossegurança publicado pelo Ministério da Educação (MEC) e foi produzido pelo Comitê Emergencial de Crise/Covid-19, em parceria com as Coordenações de Apoio Administrativo (CAAd) dos campi.
Embora decisão tenha sido a de realizar as aulas com intermediação tecnológica, algumas ações presenciais serão necessárias para garantir o andamento das aulas em modo remoto. No caso de atividades que venham a ser realizadas no espaço físico institucional, essas deverão seguir normas rígidas de segurança visando minimizar os riscos à saúde de docentes, técnico-administrativos e estudantes. O compilado de orientações de biossegurança pretende contemplar medidas de autocuidado e de cuidados coletivos como: a desinfecção dos ambientes, uso de equipamentos de proteção individual (EPI), além da implementação de medidas que evitem a aglomeração de pessoas e mantenham reduzido o fluxo de pessoas nos espaços compartilhados.

As CAAd realizaram o mapeamento das atividades presenciais nos campi e encaminharam o resultado ao CEC, que elaborou as orientações compiladas em formato de manual. Vale ressaltar que na última semana foi realizada reunião conjunta entre os setores (CAAD e CEC) com o objetivo de instruir os(as) servidores a respeito das medidas de segurança a serem adotados. Nova sessão será realizada na quarta-feira (19), a partir das 9h, contando também com a presença e o apoio dos Setores de Saúde dos campi. A pauta abordará as orientações de biossegurança e espaço para solução de eventuais dúvidas sobre as medidas a serem adotadas em caso da realização de atividades presenciais. O encontro será virtual e quem tiver interesse pode participar por meio do link https://meet.google.com/nmy-eyvf-szo.

Outras atividades de orientação para a comunidade acadêmica sobre as normas de biossegurança devem ocorrer no decorrer do quadrimestre 2020.1.

 


Heleno Rocha Nazário
Jornalista – Mestre em Comunicação Social (PPGCOM/PUCRS)





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia