itacare

Editoria ‘Saúde’

Novembro Azul: homens conquistam vida saudável pós câncer de próstata

Urologista do Einstein explica que a recuperação é rápida e os possíveis efeitos colaterais são tratáveis com tecnologias cada vez mais acessíveis

A prevenção e a detecção precoce são os melhores caminhos para evitar os efeitos graves do câncer de próstata, como alerta a campanha do Novembro Azul,  mês dedicado à conscientização sobre a doença. Apesar de tanta informação disponível, por que alguns homens ainda são resistentes a procurar ajuda médica? Especialistas alertam que – além do preconceito do exame – muitos ainda temem os efeitos do tratamento da doença, acreditando que podem ficar debilitados pela cirurgia.

A verdade é que o tratamento de câncer de próstata tem rápida recuperação e todos os possíveis efeitos colaterais são tratáveis de forma cada vez mais acessível no Brasil. “O câncer de próstata é uma doença muito frequente e pode ser curada, desde que diagnosticada precocemente. O homem não deve deixar de procurar seu urologista por medos infundados. As consequências do tratamento do câncer podem ser tratadas adequadamente, mas a evolução do tumor, sem tratamento, pode levá-lo a uma situação de impossibilidade de cura”, alerta o urologista Luis Seabra Rios, do Hospital Israelita Albert Einstein.

O médico explica que a recuperação tem duas fases. Na primeira, que dura de sete a 14 dias, é mantida uma sonda uretral de proteção. “Retirada esta sonda, o paciente volta a urinar espontaneamente e fica em observação, para saber se está tudo bem”, explica. Se não houver efeitos colaterais na cirurgia, o paciente volta a vida normal em quatro semanas.

Sem efeitos

•| MATÉRIA COMPLETA »

Mês do doador de sangue

No mês do doador de sangue – dia 25 de novembro é o Dia Nacional do Doador  Voluntário de Sangue – o curso de Idiomas Yázigi e o Banco de Sangue de Ilhéus, estão promovendo uma campanha de incentivo a doação voluntária de sangue. Até 28 de novembro qualquer pessoa que doar sangue no Hemocentro de Ilhéus pode passar na escola, retirar um brinde e depositar o atestado de doação numa urna para participar de um sorteio de uma bolsa integral do curso de inglês para o 1º
semestre de 2015.

A campanha faz parte da gincana da escola, Passaporte Yázigi Ilhéus, que premiará um de seus alunos com uma viagem com acompanhante para Miami. Assim os alunos também são incentivados a levar doadores para conseguir pontos para a
gincana.

Cada doação de sangue pode salvar até 3 vidas e o Banco de Sangue precisa de uma média de 800 bolsas por mês (número dificilmente alcançado). Todos com boa saúde, com mais de 50 kg, maiores de 16 anos (com autorização dos pais) e menores de 69 anos, que não tenham histórico de malária ou hepatite, podem doar sangue. Não é necessário jejum e o procedimento é seguro e indolor.

O Banco de sangue promove vários eventos neste mês para poder conseguir mais doadores, pois com a proximidade do fim de ano há um aumento da necessidade de  doações.

O  Banco de Sangue de Ilhéus fica na Ladeira do Café e o Yázigi, na Avenida Soares Lopes  1460. Maiores informações 3231-8299.

Att
José Morais
Gestor
Yázigi Ilhéus

Infertilidade masculina é responsável por cerca de 40% dos casos de dificuldade para engravidar

Infertilidade masculina é responsável por cerca de 40% dos casos de dificuldade para engravidar
Varicocele é uma das principais causas de infertilidade masculina

Se até pouco tempo a infertilidade conjugal era considerada um problema exclusivamente feminino, hoje se sabe que cerca de 40% dos casos de infertilidade de um casal são atribuídos à mulher, 40 % aos homens e em 20% dos casos o problema está presente em ambos os parceiros. “É de fundamental importância que o homem tenha acompanhamento médico e participe junto com a sua parceira da investigação para diagnóstico e tratamento da infertilidade”, afirma o médico Joaquim Lopes, especialista em Reprodução Humana e diretor do Cenafert – Centro de Medicina Reprodutiva, em Ondina. Segundo o médico, a varicocele (varizes na bolsa escrotal) é uma das causas mais comuns da infertilidade no homem e consiste na dilatação anormal das veias que drenam o sangue na região dos testículos.

A doença, que ocorre principalmente a partir dos 15 anos, compromete o fluxo venoso, causando o acúmulo de substâncias nocivas no órgão e o aumento da temperatura local, o que pode acarretar diminuição na produção e na qualidade dos espermatozóides, conseqüentemente, comprometendo a capacidade de fertilização do óvulo. Podem acontecer dores e inchaços na região, mas em grande parte dos casos a doença é assintomática, não afeta a vida sexual, e, muitas vezes, só é descoberta quando o paciente não consegue engravidar sua parceira. O espermograma (exame de análise laboratorial do sêmen) é indispensável na avaliação do fator masculino no casal infértil.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Medula Óssea

Diabetes não controlado pode ocasionar Doença Renal Crônica

Hospital Alemão Oswaldo Cruz alerta para os riscos de doenças que atacam silenciosamente

São Paulo, 27 de outubro de 2014 – A crescente prevalência do diabetes no Brasil e no mundo tem tornado mais frequente também a ocorrência de Doença Renal Crônica. Quando associado ao diabetes, esse problema se desenvolve de maneira silenciosa e gradativa, podendo ocasionar a perda de função renal e a necessidade de tratamento com diálise ou transplante, impactando na qualidade de vida e aumentando o risco de morte prematura. Nos Estados Unidos, o diabetes melito é a principal causa para iniciar o tratamento dialítico e no Brasil, a segunda causa, perdendo apenas para hipertensão arterial.

Também conhecida como nefropatia diabética, a Doença Renal Crônica em pacientes com Diabetes é resultado da longa exposição à glicemia elevada, associada ao mau controle da pressão arterial, dos níveis do colesterol, do hábito de fumar, do aumento do peso e também de fatores genéticos. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, a chance de um portador de diabetes ter algum grau de nefropatia diabética é cerca de 30%.

Segundo o Dr. Américo Cuvelo Neto, Coordenador do Centro de Nefrologia e Diálise e Membro do Corpo Clínico do Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, a insuficiência renal em estágio avançado nos pacientes com diabetes é caracterizada por aumento dos níveis de creatinina e uréia no sangue, e por sinais e sintomas como falta de apetite, fraqueza geral, náuseas, anemia, inchaço no corpo devido à retenção de água no organismo, aumento da pressão arterial, do potássio e acidose metabólica. “Neste quadro, o rim é incapaz de controlar a concentração de vários sais vitais para o corpo, do volume de líquido e de excretar substâncias tóxicas ao nosso organismo. Nesta fase, é necessária a utilização da terapia renal substitutiva, ou seja, a diálise. Além disso, quando o diabetes afeta os rins, o controle glicêmico deve ser individualizado e é preciso pesar os riscos devido à maior chance de ocorrência de hipoglicemia”, afirma Dr. Américo.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Usuários de computador estão sujeitos a trombose venosa

O uso de meias de compressão é uma das recomendações para evitar o problema

Você ainda vai ouvir falar de “trombose venosa eletrônica”. Segundo o Dr. Newton de Barros Jr., cirurgião vascular e Professor Associado da Escola Paulista de Medicina, pessoas que trabalham com computador e que permanecem sentadas por várias horas seguidas, estão sujeitas a trombose nas pernas que podem resultar em embolias pulmonares. “Estamos notando a incidência crescente desse tipo de caso, o que é preocupante pois temos hoje um grande contingente de pessoas que trabalha horas seguidas diante de um computador, sem a consciência de que esse tipo de atividade pode acarretar graves problemas de saúde”, explica Barros Jr.

 

Audace -Panturrilha Natura_Ponteira fechada.JPGUma pesquisa da Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, publicada na revista “Medicine & Science in Sports & Exercise”, evidenciou que o sedentarismo, especificamente o tempo em que um indivíduo fica sentado em frente a um computador, televisão ou até mesmo dirigindo um carro, é capaz de elevar em até 64% o risco de morte por doenças cardiovasculares em homens. Para o Dr. Barros Jr, há atividades profissionais hoje em dia que são exercidas diante de computadores por várias horas, como atendentes de call center, operadores de equipamentos e até profissionais da área de administração, que passam as 8 horas de trabalho sem se mover da cadeira:

 

As pesquisas médicas mostram já há alguns anos que ficar sentado muito tempo faz mal. Entre 1980 e 2000, o tempo que os norte-americanos passaram sentados aumentou 8% e isso está relacionado à natureza do trabalho nos dias de hoje, quase todo ele mediado por computadores. Esse modo de trabalhar é totalmente incompatível com a natureza do nosso corpo, que simplesmente não foi projetado para passar Actitud Preta.jpglongas horas sentado”.

 

Na maior parte dos escritórios no país, não há estímulos a atividades físicas. Segundo o Dr. Barros, para profissionais que passam às vezes até 10 horas por dia na frente do computador, alguns cuidados são fundamentais como intercalar exercícios com os pés e caminhadas aos períodos de inatividade e usar meias de compressão que ajudem a manter o fluxo de sangue das pernas para a parte superior do corpo:

 

Já recomendávamos o uso de meias de compressão para aquelas pessoas que tinham que ficar sentadas em voos de longa duração, ou até mesmo em viagens de trem ou de automóvel por períodos superiores a 5 ou 6 horas. Agora, percebemos que as mesmas recomendações precisam ser feitas a pessoas que ficam diante de computadores o dia todo. Interromper o trabalho a cada duas horas, exercitar os pés, fazer caminhadas e usar meias de compressão no dia a dia podem reduzir drasticamente a incidência de trombose venosa decorrente de sedentarismo”, orienta o Dr. Barros.

 

Trombose – A trombose venosa profunda é a formação de coágulos nas veias profundas das pernas e que costuma ocorrer em função da inatividade física. Esse trombo pode se fragmentar e correr pela corrente sanguínea, indo se alocar no pulmão e impedindo a respiração: É a embolia pulmonar. “Os sintomas de uma embolia pulmonar decorrente de trombose venosa são falta de ar aguda, tosse e dor no peito. Podem ser confundidos com outras doenças tais como bronquite ou problemas cardíacos e em poucos casos são causa de morte súbita. Há pacientes com embolias pequenas e podem nem apresentar sintomas, mas se a embolia for causada por êmbolos maiores a chance de óbito é considerável. A trombose venosa do viajante ou a trombose venosa eletrônica pode ser prevenida: caminhar ou fazer exercícios a cada duas horas e utilizar meias de compressão anti trombose ”, alerta o médico.

Mitos e verdades sobre disfunção erétil

Uma doença tão comum quanto desconhecida

A disfunção erétil, popularmente conhecida como impotência sexual, atinge em algum grau cerca de 50% dos brasileiros acima dos 40 anos ou 25 milhões de pessoas. No entanto, essa incidência massiva não quer dizer que existe um amplo conhecimento de homens e mulheres sobre essa doença que cresce anualmente em todo o mundo e possui estreita relação com problemas de saúde epidêmicos como o diabetes e doenças cardiovasculares. No Brasil, o assunto continua negligenciado no ambiente familiar e nas relações íntimas e infelizmente se mantém cercado de muitos tabus.

Para lançar luz sobre o tema, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) concentrou este ano parte de suas atividades educativas para orientar as pessoas sobre a gravidade da disfunção erétil. Lançou no primeiro semestre a campanha nacional DE VOLTA AO CONTROLE – www.devoltaoacontrole.com.br – e vem reforçando cada vez mais o papel do urologista e de sua equipe multidisciplinar no diagnóstico correto da disfunção erétil e na indicação dos tratamentos adequados.

Abaixo, os urologistas da SBU Archimedes Nardozza e Antonio de Moraes, porta-vozes da campanha DE VOLTA AO CONTROLE, esclarecem ao público os principais mitos e verdades sobre a disfunção erétil.

 

1 Ter dificuldade de alcançar e manter uma ereção, esporadicamente ou em raras situações, é um indício de que o homem tem disfunção erétil.

MITO – O fato de o homem eventualmente “falhar na hora H” não significa que tenha disfunção erétil ou impotência sexual. A doença pode estar presente quando há total incapacidade ou inconsistência para se atingir uma ereção ou a tendência de se sustentar ereções curtas é recorrente. A Sociedade Brasileira de Urologista disponibiliza no site www.devoltaaocontrole.com.br/teste um teste preliminar para o homem que está em dúvida se tem a doença. A entidade sempre orienta o homem a se consultar com o urologista, especialista no assunto que poderá atendê-lo com o auxílio de outros profissionais, como psicólogo, cardiologista e endocrinologista.

2 O homem desenvolve a disfunção erétil basicamente por causa do estresse da vida moderna e da ansiedade cada vez mais presente nas pessoas.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Segundo pesquisa, brasileiros subestimam o acidente vascular cerebral

Pesquisa da World Stroke Organization e da Covidien mostra que população possui pouco conhecimento sobre a prevenção contra o acidente vascular cerebra – mulheres são as mais impactadas

São Paulo, Brasil – 22 de outubro de 2014 – Apesar de ser a segunda principal causa de morte no mundo, muitos brasileiros ainda não reconhecem a ameaça que o acidente vascular cerebral (AVC) representa. De acordo com um novo estudo de opinião pública patrocinado pela Covidien e a World Stroke Organization (WSO), é preciso reforçar os sinais de alerta associados a doença com toda a população brasileira.

A pesquisa mediu o conhecimento sobre os acidentes vasculares cerebrais e a prevenção contra os mesmos em adultos com idades entre 18 anos ou mais no Brasil e constatou que, apesar de a maioria dos entrevistados ter dito que estão bem informados sobre o AVC, apenas 18% percebem que cerca de uma em cada seis pessoas sofrerão um acidente vascular cerebral e, apenas 13% entendem que as mulheres são mais propensas que os homens a sofrer um acidente vascular cerebral.

“O acidente vascular cerebral afeta uma em cada seis pessoas em todo o mundo, portanto é fundamental que enfatizemos o risco e as medidas que as pessoas podem tomar para evitar um AVC”, disse o Dr. Rodrigo Meirelles Massaud, neurologista do Hospital Albert Einstein. “O acidente vascular cerebral é a segunda principal causa de morte no mundo e no Brasil. Todos podem ser úteis para salvar uma vida, se souberem o que fazer. Os resultados dessa pesquisa identificam uma lacuna significativa – mas tratável – no conhecimento quando se trata de consciência sobre o acidente vascular cerebral”.

Os resultados adicionais da pesquisa no Brasil incluem:

•| MATÉRIA COMPLETA »

Depilação definitiva continua sendo a melhor opção para se livrar de vez dos pelos indesejados

Atualmente, devido ao constante desenvolvimento de produtos cosméticos e estéticos, existem muitos métodos de combate aos pelos indesejados, como ceras quentes e frias, lâminas, roll-ons, técnicas de depilação definitiva com laser ou luz, e outras que cabem em seu orçamento e melhor se adaptam ao seu dia a dia. Mas qual é a técnica ideal e mais eficaz, para a sua pele? Com o verão se aproximando, é melhor correr.

“Saber escolher a depilação ideal para sua pele é muito importante, pois essa decisão pode evitar problemas futuros. A depilação definitiva é o método mais aconselhável para a maioria das pessoas, pois evita manchas, ressecamento, escurecimento, bolinhas e pelos encravados no local depilado, além de não causar dor, como alguns outros métodos. Em poucas sessões, o cliente pode sentir o resultado e ver a pele livre de incômodos estéticos. Ideal para pessoas com crescimento acelerado dos pelos, a depilação definitiva é indicada também para tratar foliculite, manchas, e outros problemas”, afirma Mayne Chiaparro, especialista e fisioterapeuta da Pró-Corpo Estética, empresa especialista em beleza e estética avançada.

Outros incômodos costumam aparecer em diferentes tipos de depilação. “O ressecamento pode ser causado por alguns motivos, como a falta de hidratação ou até pelas depilações feitas com cera e lâmina que, apesar de serem métodos rápidos, são prejudiciais à pele e podem encravar os pelos, pois eliminam apenas a parte do fio que está para fora da pele”, completa a fisioterapeuta.

Segundo Mayne, muitas pessoas têm receio de optar pela depilação a laser por não conhecerem o método e a duração do resultado. “O maior questionamento é sobre o tempo de eficácia desse tratamento. Muitos falam que dura de 2 a 3 anos. Há quem diga que pode durar mais de 20 anos com manutenções anuais. “Na minha experiência, percebi que não há uma média precisa, mas sim, uma resposta diferente de cada organismo. Fatores hormonais, genéticos e períodos da vida podem influenciar diretamente na duração do resultado”, diz.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Equipamento revolucionário chega ao Brasil para combater o câncer de mama

O tratamento por radioterapia intraoperatória proporciona resultado clínico equivalente ao tratamento convencional em uma única sessão

Primeiro no ranking entre as mulheres e o segundo tipo mais frequente da doença em todo o mundo, o câncer de mama responde por aproximadamente 22% dos novos casos a cada ano (dados do Instituto Nacional do Câncer). Esses números alarmantes têm chamado atenção do setor da saúde que, por sua vez, tem se movimentado para buscar tecnologias e alternativas no combate à doença. O hospital São Rafael, em Salvador, e o Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, são os primeiros a adquirirem o INTRABEAM®, um equipamento revolucionário no tratamento da doença destinado a pacientes em estágio inicial. A técnica, desenvolvida pela multinacional Zeiss, é uma oportunidade eficiente que diminui o tempo de tratamento radioterápico das mulheres.

A grande novidade é que, diferente do procedimento convencional de seis semanas, a radioterapia intraoperatória, realizada por meio do INTRABEAM®, é feita logo após a remoção do tumor, ainda durante a cirurgia. O procedimento é realizado em uma única sessão e o tratamento dura em torno de 30 minutos. “Durante o procedimento, a posição do tumor é calculada e ele é removido. Feito isso, o INTRABEAM® é colocado na cavidade para o tratamento. Em seguida, o aplicador é removido e a incisão fechada”, explica o Dr. Ézio Novais, médico responsável pelo serviço de mastologia do Hospital São Rafael, em Salvador.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

 

Nota da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

sobre o atendimento da Unimed Norte/Nordeste

aos ex- beneficiários da Camed Vida

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) informa que convocou representantes da Unimed Norte/Nordeste para estabelecer que serão adotadas de imediato pela operadora de planos de saúde todas as providências necessárias para facilitar o acesso e a continuidade da assistência aos consumidores. Também deverão ser simplificados os procedimentos de autorização para consultas e exames simples. A reunião ocorreu nesta quinta-feira (16/10) na sede da ANS, no Rio de Janeiro. Cabe destacar que a operadora Unimed Norte/Nordeste informou ter intensificado o atendimento em seus canais de relacionamento para prestar quaisquer esclarecimentos e orientações aos beneficiários.

Canais de atendimento da Unimed Norte/Nordeste: 0800 722 6090 ou www.unimednne.com.br.

INCOR – Instituto do Coração

 

NOTA À IMPRENSA

 

INCOR – Instituto do Coração
Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

 


São Paulo, 14 de outubro de 2014, 11h30.

 

PACIENTE
MILTON NASCIMENTO

 

 

O cantor Milton Nascimento, 71 anos, foi internado no Incor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP), às 19h desta segunda-feira (13), para realização de cateterismo (21h), visando o estudo das artérias coronárias.

 

Esse procedimento diagnóstico faz parte da sequência de exames de avaliação cardiológica e geral a que o cantor tem sido submetido no Incor, desde agosto deste ano, sob coordenação do Dr. Sérgio Timerman.

 

Milton ficará internado no Instituto do Coração por, no mínimo, mais 24 horas, para repouso e observação, conforme preconiza o protocolo de recuperação desse procedimento.

 

Assessoria de Imprensa

Incor-HCFMUSP

Depressão: o mal estar da civilização

Conheça um pouco mais da doença que acomete 350 milhões de pessoas em todo o mundo*

Caracterizada por um prejuízo anormal da tristeza, a depressão, ou transtorno depressivo, é causada por fatores genéticos e neuroquímicos (neurotransmissores cerebrais), somados a fatores ambientais, sociais e psicológicos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão deve se tornar, em 20 anos, a doença mais comum no mundo, afetando mais pessoas do que qualquer outro problema de saúde.

Apesar da alta incidência, a doença é cercada de preconceitos, assim como os demais transtornos mentais; e é muitas vezes confundida como sendo apenas uma tristeza. “A tristeza é causada por acontecimentos desagradáveis da vida, como a perda de um parente, ou o fim de um relacionamento, mas é um sentimento que passa com o tempo, sem a necessidade de recorrer a tratamentos. Já a depressão é uma doença que acomete todo o corpo, e não devemos confundir os dois”, explica Ronaldo Ferreira Ramos e Tatiana Patti, psicólogos clínicos com mais de 30 anos de atuação.

A depressão é um quadro que traz uma sensação de vazio no peito, de que a vida está sem significado. “O indivíduo sente que a perda foi grande demais e que não conseguirá dar conta da dor que o acomete, como se parte dele tivesse se perdido junto, e essa sensação vai muito além de um estado de tristeza”, relata a psicóloga Tatiana Patti. “Clinicamente, a depressão também pode acarretar outros quadros ao indivíduo, como: distúrbio de sono, alteração de peso, sensação de culpa, isolamento, dificuldade de concentração, e, em muitos casos, leva o indivíduo a ter ideias suicidas, uma vez que não vê horizontes e precisa dar um jeito para livrar-se do sofrimento”, acrescenta Ramos.

Causas

•| MATÉRIA COMPLETA »

Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE)

Nova portaria traz avanços para diagnóstico e tratamento de Leucemia Mieolóide Aguda, mas diretrizes não correspondem à atual realidade do SUS

A Secretaria de Atenção à Saúde estabeleceu novas diretrizes nacionais para diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos pacientes com leucemia mielóide aguda (LMA). Segundo o membro da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE), Alejandro Arancibia, a nova portaria nº 840 é um importante passo a favor da oncologia pediátrica porque traz uma sistematização atual do diagnóstico e tratamento das LMAs, mas apesar dos avanços, não contempla as complicações decorrentes do tratamento, que fazem parte da remissão da doença.

A portaria faz referência a vários medicamentos que o Sistema Único de Saúde (SUS) não cobre ou que sequer são liberados no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “As diretrizes discorrem de procedimentos diagnósticos e terapêuticos extremamente onerosos. Namaioria dos centros, o tratamento destes pacientes se tornaria inviável”, conta Arancibia.

De acordo com a presidente da SOBOPE, Carla Macedo, esta patologia é uma das doenças onco-hematológicas que mais requer terapia de suporte de alta complexidade, necessitando de equipe multiprofissional especializada, unidades de terapia intensiva pediátrica, leitos em unidades de ambiente protetor, grande quantidade de hemoderivados, antibióticos de amplo espectro e antifúngicos. “Estes pacientes precisam ser encaminhados para centros de referência especializados que possuem estes recursos para terem real chance de cura. Para que essa diretriz seja colocada em prática, precisaremos identificar estes centros no País, criar uma rede dinâmica de referência e rediscutir com os gestores de todas as instâncias a real remuneração destes procedimentos pacientes com LMA para o SUS”.

Ainda de acordo com o membro da SOBOPE, não se pode deixar de reconhecer os avanços de uma diretriz para LMA em crianças e adolescentes, a qual contempla de maneira clara e atualizada o diagnóstico e sugestões de tratamento baseado em fatores de risco. “Se o diagnóstico e tratamento estão de alguma maneira padronizados, isto permite que todos os pacientes se beneficiem das mesmas possibilidades diagnósticas e terapêuticas e a portaria se apresenta como um excelente guia na rotina da abordagem do paciente com LMA”, conclui Arancibia.

A portaria nº 840 está em vigor desde a data de publicação no Diário Oficial da União (DOU), em 10 de setembro. As diretrizes completas estão disponíveis no site do DOU.  O tema será debatido no XIV Congresso Brasileiro de Oncologia Pediátrica, que acontece entre os dias 27 e 30 de novembro em Brasília (DF).

Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE) Fundada em 1981, a SOBOPE tem como objetivo disseminar o conhecimento referente ao câncer infantojuvenil e seu tratamento para todas as regiões do país e uniformizar métodos de diagnóstico e tratamento. Atua no desenvolvimento e na divulgação de protocolos terapêuticos e na representação dos oncologistas pediátricos brasileiros junto aos órgãos governamentais. Promove o ensino da oncologia pediátrica, visando a divulgação e a troca de conhecimento científico da área em âmbito multiprofissional.

CENTRO DE OLHOS INAUGURA NOVA SEDE COM DAY HOSPITAL EM ILHÉUS

Os serviços de saúde em oftalmologia na cidade de Ilhéus agora contam com um novo endereço. O CENOE – Centro de Olhos Especializado – inaugurou a nova e moderna sede na Avenida Soares Lopes, com serviço Day Hospital, dotada de centro cirúrgico com duas salas, uma delas com visor para a apreciação de acompanhantes dos pacientes durante a cirurgia. Com as novas instalações passa a chamar-se Cenoe – Centro Especializado Day Hospital. Há quase quatro anos em Ilhéus, a clínica trabalha com equipamentos de tecnologia de ponta e atendimento humanizado, sob a direção do oftalmologista ilheense Antônio Nogueira Formiga Filho.

Diretores e funcionários do Cenoe.

Diretores e funcionários do Cenoe.

Instalado num prédio de dois andares – de destacada beleza arquitetônica, na avenida considerada cartão postal da cidade, o Cenoe ampliou o número de consultórios, e agora conta com salas específicas para exames de biometria, campimetria, retinografia, tomografia de coerência óptica e fotocoagulação, salas especiais para lentes de contato e orientação cirúrgica, além de um auditório com capacidade para 70 pessoas. O projeto arquitetônico e a ambientação estão assinados pela arquiteta Lolô Mendonça e a execução da obra tem como responsável o engenheiro civil Marcos Couto.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica

Principal causa de morte em crianças por doença no País, o câncer infantojuvenil precisa com urgência de atenção e investimentos

Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica explica que a taxa de cura do câncer infantojuvenil em países da Europa e nos EUA está entre 80 e 90%, já no Brasil a taxa de mortalidade chega a 50%

O câncer é a principal causa de morte por doença em crianças e adolescentes de zero a 19 anos no Brasil, apesar de ser uma doença rara, pois representa apenas 3% de todos os cânceres diagnosticados no País, cerca de 12 mil novos casos são diagnosticados por ano, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). De acordo com Carla Macedo, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE), a doença deve ser considerada como um problema de saúde pública, pois o tema é pouco discutido no Brasil e esquecido na maioria dos fóruns de discussão sobre o câncer.

Segundo a presidente, que debateu o tema no encerramento do1º Congresso Todos Juntos Contra o Câncer na última quinta-feira, dia 25, a taxa de cura do câncer infantojuvenil em países da Europa e nos Estados Unidos está entre 80 e 90%, já no Brasil a taxa de mortalidade chega a 50% e em alguns lugares os pacientes com leucemia têm expectativa de cura em apenas 30% dos casos por falta terapia de suporte como antibióticos, antifúngicos, hemoderivados, difícil acesso, precariedade de recursos humanos, materiais e infraestrutura.

Carla explica que não se pode mais admitir que um centro oncológico de adulto separe apenas alguns leitos para as crianças e realize o tratamento para esses pacientes, pois as patologias são diferentes e os protocolos terapêuticos das crianças são altamente tóxicos. “É preciso que as crianças sejam tratadas em centros de referência especializados, o prognóstico e todo o planejamento terapêutico depende de exames diagnósticos complexos, não podemos ter como instrumentos apenas raio-x, hemograma e mielograma, precisamos de ressonância, tomografia em tempo hábil, exames complexos como de biologia molecular, que nem possuem cobertura pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Nossos pares precisam se juntar a essa causa e lutar pelo tratamento digno para as nossas crianças”.

“A única maneira que temos de melhorar esse quadro é com diagnóstico precoce, com a criação de uma rede de acesso aos centros de referência, exames de diagnósticos adequados para cada tipo de câncer, protocolos terapêuticos atualizados, terapia de suporte disponível, equipe multidisciplinar treinada em pediatria e incorporação de novas drogas que só será possível com o fortalecimento da pesquisa clínica nessa especialidade”, ressalta a médica.

Mesmo com as adversidades, Carla se mostra otimista e afirma que o tratamento no País evoluiu muito nos últimos anos. “Saímos dos 20% de índice de cura e agora chegamos aos 50%. Para atingirmos 70% temos que agir mais e o Brasil tem total condição de realizar esse feito”, conclui.

O tema também será debatido no XIV Congresso Brasileiro de Oncologia Pediátrica, que acontece entre os dias 27 e 30 de novembro em Brasília (DF).

Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE)Fundada em 1981, a SOBOPE tem como objetivo disseminar o conhecimento referente ao câncer infantojuvenil e seu tratamento para todas as regiões do país e uniformizar métodos de diagnóstico e tratamento. Atua no desenvolvimento e na divulgação de protocolos terapêuticos e na representação dos oncologistas pediátricos brasileiros junto aos órgãos governamentais. Promove o ensino da oncologia pediátrica, visando a divulgação e a troca de conhecimento científico da área em âmbito multiprofissional.

Ministério Público Federal / Bahia (MPF/BA)

Outubro Rosa: MPF/BA adota ações de prevenção à doença e ilumina-se de rosa

A fim de incentivar ações de prevenção e de diagnóstico precoce da doença, o órgão aderiu ao Outubro Rosa por meio de uma série de iniciativas ao longo deste mês.

Neste mês de outubro, pelo terceiro ano consecutivo, a sede do Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) fica iluminada de rosa, em apoio à campanha mundial de combate ao câncer de mama. Este tipo de câncer é o que tem maior incidência na população feminina mundial e brasileira, à exceção dos casos de câncer de pele não melanoma, de acordo com informações do Instituto Nacional de Câncer (Inca). A fim de incentivar ações de prevenção e de diagnóstico precoce da doença entre membros, servidores, estagiários, prestadores de serviço do MPF/BA e cidadãos em geral, o órgão aderiu aoOutubro Rosa por meio de uma série de iniciativas ao longo deste mês.

O prédio ganhou uma iluminação especial por meio da instalação de filtros cor-de-rosa no equipamento que já é usado normalmente na sede. A iluminação pode ser vista durante a noite por quem trafega ou caminha pela Avenida Luiz Viana Filho (Paralela). O site institucional e a intranet do MPF/BA também ganharam tons de rosa, assim como os boletins internos divulgados pela Assessoria de Comunicação do órgão. Até o fim do mês está prevista uma palestra sobre o câncer de mama, promovida pela gerência local do Programa de Saúde e Assistência Social (Plan-Assiste).

Outubro Rosa – movimento iniciado no fim da década de 90 nos Estados Unidos e que foi trazido para o Brasil em 2008. Simbolizado pelo laço rosa, o movimento chama atenção de organizações e a sociedade em geral para a luta contra o câncer de mama, além de ampliar a divulgação das ações de combate à doença.

De acordo com o Inca, o câncer de mama é a causa mais frequente de morte por este tipo de doença em mulheres. No Brasil, para este ano foram estimados 57.120 novos casos, que representam uma taxa de incidência de 56,1 casos por cem mil mulheres.

Ainda segundo o Inca, a prevenção primária da doença está relacionada ao controle dos fatores de risco, já que fatores hereditários e os relacionados ao ciclo reprodutivo da mulher não são, em princípio, passíveis de mudança. Por isso, estima-se que ao investir em um estilo de vida saudável, por meio de uma alimentação equilibrada e prática de atividades físicas, é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver o câncer de mama.

Páginas: Anteriores 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... 21 22 23 Próximas