WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia secom bahia secom bahia secom bahia


Janeiro 2013
D S T Q Q S S
« dez   fev »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  






:: 6/jan/2013 . 23:38

PONTAL – MAIS UM “IMPOSTO”

rezende pontal impostos

É de enlouquecer qualquer cidadão, o que vem ocorrendo na nossa cidade, mais precisamente na Praia do Cristo.

Há uns 15 dias, o som que adentrava pelos nossos ouvidos, das 11:00 horas, até aproximadamente às 19:00 horas, fora esquecido por alguns dias.

Imaginem que moramos na terceira rua paralela a Av. Lomanto Júnior, e o som, que varia em volume de muito alto para altíssimo, chega deixar os moradores do bairro do Pontal irritados. Ficamos imaginando, como os cidadãos da Av. Dois de Julho, próximo ao local, suportam isto todos os finais de semana e feriados.

:: LEIA MAIS »

PSICOMUNDO – NENHUM GESTO FRATERNAL SUBSTITUI VIVER EM UM PAÍS SEGURO E TRANSPARENTE!!!

Os homens candidatam-se, registram-se e levam ao conhecimento das autoridades judiciais do TER sobre as existências de seus bens exatamente na justiça, por força da “LEI ELEITORAL”, informando o que possuíam ante do pleito eleitoral, mostrando suas declarações patrimoniais com suas rendas e seus bens, no memento dos registros das candaturas ou dos seus anseios de trabalhar na vida pública! Pensando nas coisas que devem condutas de transparência, tenho observado muitos reclamos populares pelas ruas de nossa cidade, muita gente comentando que quando os homens saem querendo alcançar cargos públicos em qualquer esfera das inusitadas instituições públicas, buscando as atividades desejadas por eles, se jogam e vão às aventuras visando a atingir os cargos imagináveis, o importante é o poder, muitas vezes desaparece a lógica da posição social de homens de bem.

No Art. 1º, da Lei 8.730, de 10 de novembro de 1993, diz: “É obrigatória à apresentação de declaração de bens, com indicação das fontes de renda, no momento da posse ou, inexistindo esta, na entrada em exercício de cargo, emprego ou função, bem como no final de cada exercício financeiro, no término da gestão ou mandato e nas hipóteses de exoneração, renúncia ou afastamento definitivo, por parte das autoridades e servidores públicos adiante indicado”. E diz mais: “VII – todos quantos exerçam cargos eletivos e cargos, empregos ou funções de confiança, na administração direta, indireta e fundacional, de qualquer dos Poderes da União”; ”§ 1º A declaração de bens e rendas será transcrita em livro próprio de cada órgão e assinada pelo declarante”; “§ 2º O declarante remeterá, incontinenti, uma cópia da declaração ao Tribunal de Contas da União, para o fim de este”; “I – manter registro próprio dos bens e rendas do patrimônio privado de autoridades públicas”; “II – exercer o controle da legalidade e legitimidade desses bens e rendas, com apoio nos sistemas de controle interno de cada Poder”; “III – adotar as providências inerentes às suas atribuições e, se for o caso, representar ao Poder competente sobre irregularidades ou abusos apurados”; “IV – publicar, periodicamente, no Diário Oficial da União, por extrato, dados e elementos constantes da declaração”; § 1º Os bens serão declarados, discriminadamente, pelos valores de aquisição constantes dos respectivos instrumentos de transferência de propriedade, com indicação concomitante de seus valores venais, etc. Ai está o ditame da Lei! Eis o mistério da fé pública! Afinal quem poderá nos dar essa resposta?

:: LEIA MAIS »

O CORONELISMO NO COMÉRCIO DE ILHÉUS

Não são novidade minhas queixas e críticas ao comércio de produtos e serviços em Ilhéus. A cada dia me surpreendo com atitudes de comerciários e comerciantes (a maioria comerciantes, proprietários mesmo) que me deixam de queixo caído, e isso vai de um condicionador de ar desligado em pleno calorão de janeiro “porque o movimento hoje tá fraco” a um “qualquer lugar onde você for hoje, vai ser assim”, pra justificar demora, péssimo atendimento e falta de produto no cardápio de um restaurante, por exemplo. Entra ano, sai ano e quase ninguém se prepara para a demanda da alta estação, cabeças-duras e inertes no tempo e no espaço.
Não sou sociólogo nem antropólogo, mas admiro as duas ciências. Certamente o assunto já foi levantado no meio acadêmico, nas universidades e faculdades da região. Eu, na minha condição de leigo, porém bom observador, não tenho a menor dúvida de que alguma coisa está fora da ordem, e tem a ver com o cacau. Vou tentar explicar.
O cultivo e comércio do cacau teve sua época áurea, todo mundo sabe. Taí na literatura, que o saudoso Jorge tão bem retratou. Tinha coronel que cada safra era uma megasena. Veio a crise, muitos quebraram, mas nem por isso perderam a pose. Essa “pose de coronel” foi passada de geração a geração, seja ela falida ou não, seja ela cacauicultora ou não. É, tem muita gente por aí de nariz empinado que nunca foi rico nem plantou cacau na vida. Não que ser rico ou cacauicultor justifique a pose, a empáfia ou o nariz empinado.
Aí, essa metidez-de-coronel-do-cacau migrou pra tudo quanto é ramo de atividade, inclusive o comércio. Não são todos, claro, mas hoje eu vejo comerciantes por aí que não conseguem entender ainda que a razão da prosperidade dele é o cliente, que deve ser bem tratado e bem atendido mesmo, e os caras tratam os clientes como inimigos mortais. Tenho incontáveis exemplos ocorridos comigo e com pessoas próximas; fatos que, se contar, ninguém acredita. A sensação é a de que os tais comerciantes estão ali pra passar o tempo, que não dependem daquilo pra viver, que o cliente é um ser insignificante e que vale só a vontade dele, comerciante, porque é o “dono”, tal e qual os antigos coronéis do cacau. É a questão da cultura enraizada, problema difícil de consertar. Tem jeito? Tem. É só ir chegando gente de fora pra esquentar a concorrência, com a visão correta do que é a boa venda, a boa prestação de serviço e o bom atendimento, ao invés dessa mentalidade que, de tão tacanha e retrógrada, beira o ridículo. Quem não se endireitar, vai ficar pra trás. E quem sobreviver, verá.

Nilson Pessoa





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia