WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia sufotur secom bahia secom bahia secom bahia sufotur secom bahia


agosto 2013
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031






:: 28/ago/2013 . 19:58

PSICOMUNDO – PAZ PELA COMPREENSÃO – 40ª PARTE

Foto0033 eduardo afonso computadorA demonstração da igualdade entre as pessoas surge quando são apanhadas em conflitos e nada as deixam participar da plena tranquilidade, pois tem gente que só valorizada a alegria da vida, quando extrapolam seus limites de dificuldades. Os homens entre si vivem momentos de tensões e suas mentes estão cheias de desencontros, tudo isso fazem parte da existência humana que recebe gratuitamente essas dádivas da natureza. São as chamadas citações atribuídas pelas vias das qualidades individuais que demonstra bem alguns entraves encontrados pela mistura dos sistemas emanados da política e do direito, que são, em última instância, os motivos de muitos entraves dentro do inusitado estado social em que se encontra o Brasil.

Analisando ainda para idealizar atos e fatos sobre a igualdade material, abrimos um espaço para outras fusões, e podemos verificar que somente como exemplo, pode-se citar o sistema econômico que possui grande influência, atualmente, na esfera jurídica. A multiplicação dos bens materiais, notadamente, na busca chamada multiplicação dos pães, inevitavelmente demonstra uma grande ausência dessa conquista não alcançando a solidariedade e o respeito pela mútua confiança entre as pessoas. Falta à compreensão robusta e sincera nos lares, falta o amor em sua essência maior, falta à amizade franca, falta à imensidão da esperança de que tudo mudará para melhor, mesmo em alguma parte do mundo.

:: LEIA MAIS »

Jovens assistidos pelo Creas-MSE de Ilhéus concluem oficina de produção de pufes

A promoção de cursos é uma das medidas socioeducativas de crianças e adolescentes encaminhados pela Vara da Infânciaao Centro de Referência Especializado de Assistência Social. Estão previstas novas oficinas de panificação e pizzaiolo.

Oficina de confeção de pufes, realizada pelo Creas-MSE de Ilhéus Foto - Luciane Silva 28.08.13.

Oficina de confeção de pufes, realizada pelo Creas-MSE de Ilhéus Foto – Luciane Silva 28.08.13.

Doze adolescentes em cumprimento de medidas educativas no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas-MSE)de Ilhéusreceberam nesta segunda-feira, dia 26, os certificados de conclusão da oficina de confecção de pufes, realizada durante todo o mês de agosto. A promoção de atividades profissionalizantes faz parte das ações de reintegração social desenvolvidas pelo centro. As próximas oficinas previstas são de panificação e pizzaiolo.

:: LEIA MAIS »

Estudante de Direito da Faculdade de Ilhéus retornou de curso em Haia

O bacharelando do curso de Direito da Faculdade de Ilhéus, Vivaldo Pereira da Silva Neto, retornou a Ilhéus após conclusão dos cursos de Direito Internacional Público e de Direito Internacional Privado, realizado em Haia (“capital jurídica do mundo”), na Holanda, onde permaneceu durante 45 dias.   Ele foi aprovado para o curso de verão na Academie International de La Haye, tendo concorrido com a apresentação do artigo sobre o Direito Internacional no Mercosul, sob orientação do  professor Artur Andrade Moreira.

James Crawford, professor principal de Direito Internacional Público, de Cambridge, e o estudante Vivaldo Pereira da Silva Neto

James Crawford, professor principal de Direito Internacional Público, de Cambridge, e o estudante Vivaldo Pereira da Silva Neto

No curso de Direito Internacional Público, o grupo de brasileiros era formado por 33 pessoas, sendo o segundo maior grupo, integrado por estudantes, diplomatas, professores e procuradores federais de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas gerais e Rio Grande do Sul. No curso de Direito Internacional Privado, o grupo brasileiro contava com 35 pessoas.   Os cursos foram realizados com tradução simultânea para inglês e francês.

 

O Prof. Yves Daudet, coordenador dos cursos de Direito Internacional Público e Privado, e o estudante Vivaldo Pereira da Silva Neto

O Prof. Yves Daudet, coordenador dos cursos de Direito Internacional Público e Privado, e o estudante Vivaldo Pereira da Silva Neto

“Os cursos foram muitos bons, mas, na minha avaliação, o curso de Direito Público Internacional foi mais abrangente, com um leque de opções de aula bem maior –  com aulas de arbitragem internacional, diplomacia, o funcionamento da carta da ONU, etc.  Tivemos apenas um professor brasileiro, que é ministro da Corte Internacional de Justiça, Antonio Augusto Cançado Trindade. Ele explicou o funcionamento e os trâmites da Corte Internacional, como ocorrem os julgamentos, o tempo de duração, como fazem para redigir as decisões, qual a função de cada juiz dentro da corte, além de ter feito um debate com os alunos sobre o cenário internacional atual, discutindo assuntos como a Primavera Árabe e os Blocos Comerciais”, declarou Vivaldo Neto.

:: LEIA MAIS »

Alfredo Amorim da Silveira em “10TAQUES”

Albino Álvarez Pereira

Albino Álvarez Pereira

Nasceu na Espanha, na província de Pontevedra, em Lá Cañiza, em 6 de junho de 1917. Era agricultor, trabalhava numa finca (Fazenda) junto com seu pai e seus irmãos. Quando resolveu ir embora, na sua parte da finca plantou eucaliptos.

Por causa da crise da guerra na Espanha resolveu, ele e seus dois irmãos, irem para a Argentina, em 1932, Albino também tinha uma irmã que ficou na Espanha, na passagem  por Salvador foi visitar o amigo e conterrâneo Daniel Ventim, que já morava lá, resolveu então ficar, morou 16 anos em Salvador, seus irmãos seguiram a viajem. Trabalhou muitos anos com Daniel em sua padaria, juntando seus lucros. Daniel trabalhava também com o fornecimento de farinha de trigo, um de seus compradores queria vender a padaria, e com a ajuda de Daniel, Albino, comprou  de Mendonça & Irmãos a padaria Luso-Brasileira, aqui em Ilhéus, para onde se mudou em 1º de agosto de 1948.

Albino e Daniel tornaram-se sócios na construção, a empresa prosperou acima do esperado construíram o edifício Daniel Ventin, o edifício Paranaguá e o edifício Pereira Ventin, onde funcionava a padaria Luso Brasileira e hoje está o Banco Santander. Tempos depois desfizeram a sociedade. Albino também era cacauicultor e seringalista.

Casou-se com Socorro Lourido Gregório com quem teve três filhos: Maria Vitória casada com João Moura Costa, Albino (Bino), que nasceram em Salvador e Maria Teresa, que nasceu em Ilhéus. Sua maior tristeza foi perder seu filho Albino, que morreu em um acidente automobilístico em Salvador, na Avenida Paralela, em  janeiro de 1979.

Acordava de madrugada e logo abria a padaria, sua roupa era uma calça simples, e uma camisa regata cor branca com uma camisa social de manga curta e calçava sapato vulcabrás, sempre sujo de farinha de trigo.  Simples e modesto, trabalhava de balconista, era caixa, carregava e descarregava a lenha do seu caminhão, um Ford F-350. Atendia os fornecedores e os clientes do mesmo jeito que trabalhava. Aplicava suas economias na cidade.Voltou a Espanha somente uma vez, nunca teve carro de passeio.

Era amigo particular de Amadeu Aguiar, dono do Banco Bradesco.

Em 22 de março de 1964 a Câmara Municipal de Ilhéus concedeu-lhe o titulo de Cidadão Ilheense.

Faleceu em 24 de julho de 2005, seu corpo foi sepultado no Cemitério de Nossa Senhora da Vitória, no mesmo tumulo onde foi sepultado o seu filho.

REFORMA POLÍTICA OU DO ESTADO?

por Luiz Ferreira

Luiz Ferreira

Luiz Ferreira

Ultimamente, em razão das passeatas, só se fala numa tal reforma política, mas sem a preocupação de atacar o cerne do problema- a desordem, o caos.

O problema não está só na questão política e, tampouco, no sistema em si. O atual, o distrital, o misto, ou o que for não tem a mínima importância, pois o buraco é mais embaixo: corrupção, nepotismo, malandragem, sinecuras, assessores de porra nenhuma, má administração, ignorância na aplicação dos recursos públicos e gerência incompetente. Enfim; custo estratosférico para a sociedade. Isso abrange não só a Câmara Federal, o Senado e as Assembleias Legislativas, mas os demais poderes. Uma reforma global, pois, a ser enfrentada.

Imaginemos 5.570 municípios com Prefeitos, Vereadores, parentes, aderentes, sugando o dinheiro público, ou com má fé ou por incompetência administrativa, incluindo obras desnecessárias e a falta de planejamento!

Mas isso não acontece no Legislativo. No Executivo e, com aspectos diferencias, no Judiciário, também. É um pool de Instituições pesadas, caras e pouco produtivas. São ralos que já não podem ficar mais abertos, razão fundamental das injustiças e da miséria de milhões de brasileiros, tapeados pelas bolsas e pelas cotas.

Que pontos deveriam ser atacados?

I. Com respeito à estrutura política, o mote é economizar, evitar desperdícios, alijar os corruptos e selecionar pessoas competentes. Algumas ideias:

:: LEIA MAIS »

Heckel Januário em: UMAS E OUTRAS INUSITADAS DA CIDADE (V)

(NOTAS DE BELMONTE – ‘BEBEL’ PARA OS MAIS CHEGADOS)

Se o professor Alberto Rocha, de Bebel chegou a perder um minutinho de seu tempo e leu a Umas e Outras… passado, que lhe enviei daqui da Capitania dos Ilhéus por e-mail, naturalmente terá dito: Não, companheiro, Tupã Cavalo não casou com a Iara do Jequitinhonha, ele a violentara!

Assim sendo, não foi a simples união matrimonial entre esses seres mitológicos que gerara a Iararana de Sosígenes Costa, como o escorrego grafado no escrito anterior, e sim a relação forçada, além disso, por ter sido do referido lente, tempo atrás, a primeira vez que eu ouvira falar do indianista poema, respalda o preâmbulo deste.

Nesse excerto me prendia aos viajantes do Jequitinhonha e ao ‘olhar’ de cada um. Como apontava também o desenfreado desmatamento ribeirinho e a construção da Hidroelétrica de Itapebi como respectivos, protagonista e coadjuvante do assoreamento do rio, e o afetar, reclamo dos pescadores, de sua piscosidade (anteriormente o Robalo, Cangoá, Carapeba, Bicudo, Tainha, Caçari e outros tipos de peixes abundavam), aposto que, o amigo professor acrescentaria às causas desse cenário, a implantação da floresta de eucaliptos empreendida pela Veracel em suas terras adjacentes.

:: LEIA MAIS »

Ilhéus inicia construção de novos postos de saúde

Com a demolição do posto de saúde Almiro Vinhais, na Avenida Princesa Isabel, a Prefeitura de Ilhéus inicia a construção de novas unidades básicas de saúde nas zonas urbana e rural do Município.

Demolição do antigo posto para a const de nova unid de saúde (Av P Isabel) foto Gidelzo Silva Secom-Ilhéus 28-08-13.

Demolição do antigo posto para a const de nova unid de saúde (Av P Isabel) foto Gidelzo Silva Secom-Ilhéus 28-08-13.

A Prefeitura de Ilhéus iniciou hoje, 28, a obra de construção do novo posto de saúde Almiro Vinhais, localizado na Avenida Princesa Isabel, na zona central da cidade. A demolição do antigo imóvel onde funcionava a unidade foi acompanhada pela secretária municipal de Saúde, Ledívia Espinheira, e pelo superintendente de Obras e Serviços Públicos da Secretaria de Serviços Urbanos, Ednaldo Azevedo. Já na próxima segunda-feira serão iniciados trabalhos de construção da nova unidade da Princesa Isabel.

A secretária Ledívia Espinheira informou que a Prefeitura vai construir nove postos médicos, além de obras de ampliação de três unidades de saúde, na zona urbana e na zona rural, através de convênio com o Ministério da Saúde. “As unidades básicas de saúde incluídas nesse projeto de ampliação vão ser modernizadas, a fim de possibilitar a oferta de postos qualificados de acordo com as novas exigências do Ministério da Saúde”, afirmou a secretária.

Além do Almiro Vinhais, na Avenida Princesa Isabel, as comunidades contempladas com a construção de novas unidades de saúde são a Vila São José, Teotônio Vilela, Avenida Roberto Santos (Esperança), Olivença, Conquista, Banco da Vitória, São Miguel e Iguape. As obras de ampliação vão beneficiar o Centro de Saúde Avançado da Zona Sul, no bairro Hernani Sá, e as unidades de saúde da família de Banco Central e Couto-Santo Antonio.


Secretaria de Comunicação Social (Secom)
Ilhéus – 28.08.2013

Radialistas promovem seminário neste final de semana em Ilhéus

Com o tema central ‘Liberdade de expressão e democratização na radiodifusão’, o encontropromoverá discussões sobre o desenvolvimento da atividade e sua importância para a democracia nas comunidades.

O Sindicato dos Radialistas de Ilhéus (Stert/BA) e o Sindicato dos trabalhadores em Rádio, TV e Publicidade do Estado daBahia (Sinterp/BA)promovem o 1º Encontro Regional Sul de Radialistas e Comunicadores de vários segmentos sociais, destinado a profissionais de rádios comunitárias, estudantes de comunicação e assessores de comunicação. O evento tem início nesta quinta-feira, dia 29, a partir das 18 horas, no plenário da Câmara de Vereadores, e ocorre até o próximo sábado (31), com o apoio da Fitert/BA, Faculdade de Ilhéus, Câmara Municipal de Ilhéus, Prefeitura Municipal e a Secretaria de Comunicação do Governo da Bahia.

Com o tema central ‘Liberdade de expressão e democratização na radiodifusão’, o seminário tem como objetivo envolver radialistas e comunicadores comunitários em discussões sobre o desenvolvimento da atividade e sua importância para a promoção da democracia. Apesar da internet, o Rádio e TV continuam sendo as mídias mais acessadas pelos brasileiros, porém a legislação do setor já completou 50 anos sem passar por atualização que reflita as mudanças no País.

O Sindicato dos Radialistas de Ilhéus e o Sinterp/BA compreendem que a reforma da legislação permitirá ampliar a diversidade e a pluralidade cultural na mídia, e consequentemente mais oportunidades e autonomia aos radialistas e comunicadores frente aos poderes político, econômico e religioso.

Outro tema a ser debatido é a violência aos profissionais do setor. No ano de 2012, foram registrados sete assassinatos no país, o dobro do ano anterior. Assim, se faz necessário conhecer quem e quais são as principais vias de intimidação, como ter auxílio da Justiça, bem como os direitos dos comunicadores, em especial aqueles assegurados pela nova Lei de Acesso à Informação Pública.

Para o coordenador do Sinterp/BA, Everaldo Monteiro, em relação à responsabilidade dos sindicatos em acompanhar a atividade laboral, será realizada uma mesa voltada à regulamentação da profissão por meio do registro e também os impactos na saúde do trabalhador com doenças ocupacionais contraídas no exercício de suas atividades. “O empregador precisa se enquadrar às normas constituídas”, adverte.

Programação:

:: LEIA MAIS »

Ceplac debate Plano ABC-Bahia na perspectiva da Conservação Produtiva

Começou a ser debatido, na manhã dessa terça-feira (27), na sede regional da Ceplac, a versão estadual do Programa Agricultura de Baixo Carbono, o ABC – Bahia (oficialmente, Plano Estadual de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas para uma Economia de Baixa Emissão de carbono na Agricultura). A oficina, que vai até a próxima quinta-feira (29), envolve técnicos da Ceplac e Seagri (EBDA e Adab), além de representantes do Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Inema, SFA, Abaf e Embrapa.

 

O Programa ABC – Bahia prevê, no Plano Safra 2013-14, linha de crédito de R$ 205 milhões, disponibilizada pelo BNDES, que será operada pelo BB e BN e garantirá o financiamento de diversas atividades que garantam uma agricultura sustentável no estado. “No sul da Bahia, o cacau cabruca ou o cultivado em sistema agroflorestal com seringa, se encaixam perfeitamente nos requisitos do Plano ABC, o que nos permite almejar que o principal projeto da Ceplac-Bahia, hoje, o Conservação Produtiva, já poderá contar em breve com seu braço financeiro”, afirma o superintendente regional da Ceplac, Juvenal Maynart.

O assessor da Secretaria Estadual da Agricultura, Henrique Heitor de Paula, coordenador do programa ABC-Bahia, afirma que a região cacaueira do sul da Bahia foi escolhida para o lançamento desse programa justamente porque já pratica, historicamente, uma agricultura sustentável, de baixíssima emissão de carbono. “O cacau cabruca é o maior exemplo dessa produção com baixa emissão de carbono. É uma tecnologia que não agride a natureza e produz em harmonia total com o meio ambiente”.

As tecnologias preconizadas pelo Programa ABC se caracterizam pela baixa emissão de carbono na atmosfera, mas os objetivos se estendem também ao aumento de renda do produtor e à adequação ou regularização das áreas de reserva legal das propriedades.

Na Bahia, o programa vai financiar ações de recuperação de pastagens degradadas, de plantio direto na palha (aproveitando palha da cultura anterior-grãos), tratamento de dejetos animais, fixação biolágica de nitrogênio no solo, incentivo a florestas plantadas (produção de madeira, celulose, papel, carvão vegetal e borracha), integração lavoura, pecuária, floresta (IPL) e sistemas agroflorestais (cacau-cabruca ou cacau em consórcio com seringa etc).

Acesso

De acordo com as metas estabelecidas para o programa, até 2020 devem recuperadas um milhão de hectares de pastagens degradadas; estímulo ao plantio direto na palha em 400 mil hectares; ampliação e regionalização das ações de intgração lavoura, pecuária e foresta, considerando os diferentes biomas da Bahia; introdução de espécies fixadoras de nitrogênio em sistemas agrícolas e agroflorestais em diversos biomas do estado; estímulo à formação de florestas produtivas e de preservação em 600 mil hectares; e amplação do uso de tecnologias para tratamento de 10 mil metros cúbicos de dejetos animais.

As linhas tecnológicas demandarão capacitação de de técnicos e produtores, transferência de tecnologia, pesquisa, implantação de áreas demonstrativas, linhas de crédito específicas para fomento à produção sustentável e produção de mudas florestais.

O produtor que quiser acessar o programa deverá apresentar um projeto ao banco, elaborado por técnico habilitado. “Não é um projeto burocrático, requer cinco ou seis planilhas. O financiamento também é facilitado, com juros de 5% ao ano, menor, portanto, que a previsão de inflação para esse ano, com carência de oito anos e prazo de 15 anos para quitação”, afirma o coordenador Henrique Heitor de Paula.

Jornalista da Sueba – Superintendência da Ceplac na Bahia

Domingos Matos

Fotos: Águido Ferreira

Assessoria de Comunicação da Ceplac

68ª COMPANHIA DE POLÍCIA MILITAR

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA
COMANDO DE POLICIAMENTO REGIONAL SUL
68ª COMPANHIA DE POLÍCIA MILITAR

68ª CIPM RECUPERA NO CENTRO DE ILHÉUS, MOTO ROUBADA EM ITABUNA

No dia 27/08/2013, por volta das 10h52min, a guarnição da viatura PETO 6810, após alerta de roubo da motocicleta Honda CG125 Titan, cor vermelha, placa HAS 1504, fato ocorrido no município de Itabuna no dia 26/08/2013, através de informações, realizou diligências nas proximidades da Avenida Belmonte – Centro, local onde encontrou em estado de abandono o citado veículo. A motocicleta foi guinchada para o pátio da 7ª COORPIN, onde após o registro da ocorrência e periciada, o veículo foi devolvido ao proprietário pelo Delegado plantonista.

68ª CIPM

68ª CIPM

As denúncias também podem ser feitas pelo e-mail: denuncia68pm@hotmail.com.

A DEMARCAÇÃO DE TERRAS INDIGENAS EM ILHEUS , UNA E BUERAREMA, PODE MACULAR HISTORICAMENTE OS ATUAIS GOVERNANTES.

A morte de negros, brancos e supostos Índios, todos, Pequenos Agricultores no sul da Bahia, já não é mais uma tragédia anunciada,  e, sim, uma responsabilidade do Governo e das autoridades locais, só não vê quem não quer.

Em decorrência das sucessivas invasões de pequenas propriedades que vêm sendo  deflagradas em nossa região, nós, Pequenos  Agricultores e demais vítimas desse crime até agora, impune, encurralados e sem chance de reação, vimo-nos obrigados a permanecer em nossas terras montando guarda. Impedidos, por conseguinte, de exercermos nosso direito maior; escoar as nossas produções que se destinam ao nosso sustento.

Tal é a ausência do Estado diante do nosso clamor por justiça, que as invasões já acontecem como tragédias anunciadas, mesmo com os devidos Boletins      de ocorrência registrados em tempo flagrante. A PF alega as mais diversas dificuldades de recursos para agir em tempo hábil, e, assim, engessada por ordens superiores não cumpre seu papel constitucional.

Danam-se o direito de propriedade, o direito de ir e vir para trabalhar em sua própria terra, e dela retirar seu sustento. Já não contamos mais nem com o direito à vida.

A morte de Índios e Agricultores, decerto, é uma tragédia anunciada, uma questão de tempo, todavia, esperamos em Deus, que algo seja feito para que, enfim, a paz volte a reinar.

Com efeito, temos convivido constantemente com a falta de segurança jurídica e de paz social. O procedimento de demarcação de supostas terras indígenas na região, protagonizado, principalmente, pela FUNAI, ameaça desalojar mais de 12.000 pessoas, que moram e trabalham nesse espaço. Dentre os possíveis prejudicados estão negros, brancos, caboclos e mestiços que dependem direta ou indiretamente do trabalho rural. Acrescente-se a essa conta, ainda, mais de 4.000 moradores de pequenas áreas residenciais, que participam da agricultura familiar.

Não é novidade que muitos desses brasileiros já estão instalados na região há mais de uma centena de anos, bem como que possuem registro de suas propriedades em cartório, exatamente, como obrigam os ditames legais. Falta, dessa forma, segurança jurídica às famílias que, durante gerações de muito suor e sacrifício, conseguiram amealhar algum patrimônio no lugar.

:: LEIA MAIS »





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia