WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa secom bahia embasa


Abril 2021
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  






:: 3/abr/2021 . 11:49

DO FUNDO DO BAÚ DE JOSÉ LEITE

1) 61 ANOS DE JOSÉ LEITE EM ILHÉUS.

2) VACINA JÁ! OS AMIGOS VACINADOS DA SEMANA.

3) AS FOTOS DESTAQUES DA SEMANA. :: LEIA MAIS »

Semana Santa da Catedral de São Sebastião será transmitida por live, em Ilhéus

POR SECOM

Com início na tarde de hoje, 1º, o Tríduo Pascal da Catedral de São Sebastião será transmitido por meio de uma live nas redes sociais da @paroquiasaojorgeilheus, nas plataformas do Youtube, Facebook e Instagram. A programação começa nesta quinta-feira, com missa da Ceia do Senhor, às 16h, segue com celebração da sexta-feira santa da Paixão, 02, às 15h, e, no sábado de aleluia, 03, com celebração eucarística às 16h. No domingo da ressureição, terá missa pascal às 9h e às 16h. A lotação máxima é de até 80 fiéis na Catedral para cada celebração, adequada a todos os protocolos de higiene e prevenção contra a Covid-19, como distanciamento físico com marcação nos assentos, disponibilização de álcool em gel e obrigatoriedade do uso da máscara de proteção.

“A semana santa faz memória e celebra os últimos passos de Nosso Senhor Jesus Cristo rumo ao cumprimento de sua missão que é salvar a humanidade. Diante dessa situação de pandemia, estamos atravessando um ‘vale tenebroso da morte’. Porém, para aquele que crê, não atravessamos sozinhos, o Senhor está conosco. E como ele venceu a morte, com ele também nós venceremos esse momento difícil. Uma feliz, santa e abençoada Páscoa a todos!”, exortou o padre Paulo Brandão, cura da Catedral e pároco da Paróquia São Jorge.

As missas na Catedral serão presididas pelo bispo da Diocese de Ilhéus, Dom Mauro Dom Mauro Montagnoli.

Paróquia São Paulo Apóstolo – Confirma também a programação da Paróquia São Paulo Apóstolo, da Avenida Princesa Isabel, do Pároco Padre Cristo:

Quinta-Feira Santa, 1º: 15h missa da instituição da Eucaristia;

Sexta-feira Santa da Paixão, 2: Celebração às 15h na Matriz de São Paulo Apóstolo;

Sábado Santo, 3: Celebração às 15h na Matriz de São Paulo Apóstolo;

Domingo de Páscoa, 4: Missa na Matriz de São Paulo Apóstolo às 7h; na capela de São Lucas às 8h30 e às 10h na Capela de São Frei Galvão.

* Seguindo as determinações da diocese e das autoridades sanitárias, somente será permitida a participação de 30 diéis nas celebrações por ordem de chegada. Para companhar de forma online, acesse as rede sociais da Paróquia São Paulo Apóstolo no facebook @pauloapostolo ou pelo Youtube padre cristo oficial.

AUTISMO E ALIMENTAÇÃO!

No dia 02 de abril, celebra-se o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de conscientizar e chamar a atenção da sociedade para a questão do Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Um dos assuntos mais importantes para debater nesta data é a alimentação de crianças autistas. Uma pesquisa realizada pela University of Massachusetts Medical School, de 2010, mostrou que 67% das crianças autistas têm seletividade alimentar. Dessa forma, um dos maiores problemas na seletividade alimentar identificados pelos pais de crianças autistas é a relutância dessas crianças em experimentar novos alimentos.

O que leva à seletividade alimentar?

A sensibilidade sensorial é uma reação exagerada da criança ao toque. Normalmente, quando em contato com novos gostos, cheiros e texturas, a criança autista tende a apresentar uma resposta comportamental negativa. A pesquisa da Universidade de Massachusetts mostrou que entre os fatores de seletividade alimentar mais relatados estão a textura, a aparência, o sabor, o cheiro e a temperatura dos alimentos, fazendo que as crianças rejeitem alguns alimentos durante a alimentação.

Neste sentindo, o acompanhamento com profissionais especializados é fundamental para o bom desenvolvimento dessas crianças, e os Nutricionistas são profissionais habilitados para ajudar nessa jornada.

É hora de discutirmos com a população sobre esse assunto, os profissionais nutricionistas que representam o colegiado do Conselho Regional de Nutricionistas da 5ª Região (CRN-5) – Bahia e Sergipe – e demais profissionais da jurisdição, estão à disposição para realização de entrevistas sobre o assunto.

Entre em contato com a gente!

ASCOM: (71) 99675-7879

ASCOM/CRN-5
Jornalista Responsável: Cleia Seles (MTE 6120 SRTE-BA)

Bolsonaristas insuflam tensão na PM da Bahia após morte de soldado que atirou contra colegas

FONTE DA FOTO E DA MATÉRIA: EL PAÍS

Parlamentares, entre eles filho de presidente, politizam caso de Wesley Soares Góes, que teve surto segundo comando. Ação causa consternação e temor de motins em uma categoria sob pressão na pandemia

A morte do policial militar Wesley Soares Góes, baleado por equipes de sua corporação após passar horas gritando palavras de ordem e atirando para o alto e contra agentes em Salvador, provocou consternação na PM baiana e uma reação política imediata. Logo após o soldado, que segundo a PM estava em surto psicótico, ser atingido pelos tiros que o mataram, o deputado estadual Soldado Prisco (PSC), que liderou motins policiais no passado, conclamava, em vídeo publicado nas redes sociais, os militares a paralisarem as atividades, em solidariedade ao colega de farda. Na frente do hospital para onde Wesley foi levado ainda com vida, policiais gritavam “a PM parou”. Nas redes sociais, parlamentares bolsonaristas incitavam os agentes a descumprirem ordens do governador Rui Costa (PT), parte da campanha dos apoiadores do presidente contra as medidas de isolamento social determinadas pelo Governo estadual para conter a pandemia. As ações coordenadas acenderam o temor de que a Bahia revisite as cenas vistas em fevereiro do ano passado, no Ceará, quando um motim da Polícia Militar deixou, em 13 dias, um rastro de 312 mortes, entre homicídios e latrocínios.

 

Nesta segunda, perfis bolsonaristas seguiram politizando a morte de Wesley, que tinha 38 anos. Em postagens que tentam dar conotação de heroísmo à atitude do policial, políticos ligados ao presidente compartilharam um vídeo no qual o soldado aparece gritando palavras de ordem como “Eu não vou permitir que violem a dignidade humana de um trabalhador” ou “Venha ver a desmoralização da Polícia Militar da Bahia”. O trecho, no entanto, omite os tiros dados por ele para o alto ou que o soldado, que tinha o rosto pintado de verde e amarelo, jogou uma bicicleta e material de trabalho de ambulantes do mar. “Soldado da PM da Bahia abatido por seus companheiros. Morreu porque se recusou a prender trabalhadores. Disse não às ordens ilegais do governador Rui Costa da Bahia. Esse soldado é um herói. Agora a PM da Bahia parou. Chega de cumprir ordem ilegal!”, escreveu a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputada Bia Kicis (PSL-DF) no Twitter. Criticada por colegas de Casa, a parlamentar apagou a postagem, para “aguardar as investigações”.

Ao postar o mesmo vídeo, a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) escreveu: “Sinto muito a morte do PM-BA. É muito difícil aguentar tanta pressão”. O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou que, “aos vocacionados em combater o crime, prender trabalhador é a maior punição”. “Esse sistema ditatorial vai mudar. Protestos pipocam pelo mundo e a imprensa já não consegue abafar. Estão brincando de democracia achando que o povo é otário. Que Deus conforte os familiares do PM-BA”, disse o filho do presidente Jair Bolsonaro.

Presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo afirmou em uma rede social que pretende incluir Wesley na lista de Personalidades Negras da instituição. “As palavras dele, antes de ser baleado, expressam a indignação dos trabalhadores brasileiros ante a truculência e o autoritarismo”, escreveu. Ao EL PAÍS o deputado estadual bolsonarista Capitão Alden (PSL) relatou que Camargo ligou para ele e confirmou que faria a inclusão.

Um policial até então pacato

O comandante-geral da PM da Bahia, coronel Paulo Coutinho, afirmou que os tiros dados contra Wesley foram para revidar disparos feitos pelo soldado contra as equipes. Vídeo feito por cinegrafista da TV Band Bahia mostra que o policial é quem dá o primeiro tiro. Em resposta, PMs efetuam disparos em Wesley, que cai. No chão, segundo Coutinho, o policial continuou com as rajadas e foi novamente atingido.

Conforme o comandante, na ação foi usado armamento não letal, como balas de borracha (munição de elastômero) e granadas, mas isso não foi suficiente para conter o policial. “Infelizmente tínhamos um provocador de evento crítico, transtornado mentalmente, utilizando arma de grande letalidade e que, em determinado momento, não obstante todos os recursos que nós utilizamos de isolamento e contenção, ele direcionou essa arma para a tropa e efetuou disparos que poderiam ter atingido mortalmente não só policiais militares, mas também a comunidade naquele local que reside”, defendeu-se Coutinho. Ainda segundo o comandante, não há relatos de que Wesley tenha demonstrado que estava passando por problemas de saúde mental ou que tenha procurado suporte psicológico da PM.

A ação do policial surpreendeu a corporação. Lotado em uma companhia na cidade de Itacaré, sul baiano, o soldado foi trabalhar normalmente no domingo pela manhã. Então pegou três armas do trabalho, entrou no próprio carro e fez uma viagem de quase cinco horas até a capital baiana, onde tudo aconteceu. Policiais que tiveram contato com colegas de Wesley afirmam que o soldado vinha se queixando de perseguição por parte do comandante da companhia, o que pode ter desencadeado o surto. Questionado sobre o assunto, Paulo Coutinho disse desconhecer qualquer tipo de conflito.

O presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, afirmou que o caso de Wesley é “complexo” e não pode ser transformado em uma “batalha de narrativas entre bem e mal”. “Muito perigoso politizar um episódio tão complexo como o que envolve alguém em surto psicótico, sempre uma operação complexa. Ainda mais quando envolve alguém armado. Podemos criticar os protocolos. Não podemos transformar o caso em uma batalha de narrativas entre bem e mal”, avaliou Lima, no Twitter.

Um dia após a morte de Wesley, o governador petista Rui Costa se pronunciou sobre o caso. Em vídeo publicado nas redes sociais, o petista prestou solidariedade à família do PM e criticou os ataques que recebeu. “O final de semana foi de ataque a mim e a governadores e prefeitos do Brasil inteiro, mas não iremos nos intimidar com mentiras, ameaças, calúnia e difamação”, disse Costa, que assinou nesta segunda-feira uma carta com colegas de 16 Estados pedindo ação conjunta dos poderes contra a disseminação de fake news por agentes políticos. Os governadores, que tentam impor medidas de restrição social por causa da pandemia, temem que os bolsonaristas insuflem a insubordinação dos soldados em várias partes do país.

Tensão na PM da Bahia

O clima geral na PM baiana com o desfecho do caso Wesley é de consternação e o alto comando da corporação monitora possíveis reações mais enérgicas por parte de alguns setores. A avaliação é de que os praças estão com os ânimos mais inflamados, enquanto os oficiais pregam cautela. Nesta manhã, enquanto bolsonaristas deixavam a hashtag #RuiCostaGenocida entre os assuntos mais comentados no Twitter e aumentavam a temperatura da situação, os discursos se modulavam.

Para uma massa inflamada durante ato com PMs nesta manhã no Farol da Barra, mesmo lugar onde Wesley foi morto, Prisco deixou de falar em greve, mas sugeriu que os militares adotassem uma “operação padrão”: deixariam de prender ou entrar em confronto para apenas fazer patrulhamento preventivo e ostensivo. Apesar da inflexão no discurso, incitou os manifestantes contra o comando da corporação. Perguntou aos presentes quem queria a saída do comandante-geral, coronel Paulo Coutinho, a quem chama de “ditador”. Recebeu como resposta gritos de “Fora, Coutinho”.

Mas as reivindicações extrapolaram também o caso Wesley. Os policiais pedem melhores condições de trabalho na pandemia. Se dizem sobrecarregados, com medo da exposição ao coronavírus. Segundo a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares (Aspra), 70 policiais militares morreram por covid-19 desde o início da crise sanitária. A situação tem levado a saúde mental dos agentes ao limite. “O que Wesley fez foi um grito de socorro que muito policial não consegue fazer e, no auge do sofrimento, se trancam em seu quarto, colocam uma arma na boca e se matam”, lamentou um manifestante.

Também presidente da Aspra, Prisco é um conhecido agitador e articulador de greves da PM-BA, sendo o principal responsável pelos motins mais recentes, em 2012 e 2014 ―foi preso nas duas ocasiões. No movimento de 2012, foi flagrado em interceptações telefônicas nas quais combinava a realização de atos de vandalismo na capital baiana. Com a visibilidade que ganhou, lançou-se na vida pública e está atualmente no segundo mandato na Assembleia Legislativa da Bahia, onde faz oposição a Rui Costa.

Questionado pela reportagem sobre se estaria incitando motim na Polícia Militar, o parlamentar negou e disse que o objetivo do movimento é esclarecer “quem matou e quem mandou matar” o soldado Wesley Góes. “Toda sociedade que estava ali viu que ele foi assassinado, executado de forma brutal pelo Governo do estado. O que nós queremos, além da saída do comandante, é uma investigação independente, pois não acreditamos na investigação do Estado. Vamos pagar uma perícia particular. Vamos pegar essas reivindicações, colocar numa pauta e entregar ao governador Rui Costa”, disse.

Capitão Alden também negou a possibilidade de motim porque a ação é inconstitucional. “Não existe possibilidade jurídica de motim. No ordenamento jurídico, prevê responsabilidade direta de quem deixa de cumprir com suas obrigações. Para nós, não cabe. A gente não quer se negar a cumprir ordens, mas queremos cumprir apenas com as nossas obrigações.” Alden ainda afirmou ter pedido ajuda a Eduardo Bolsonaro para que articule junto ao STF um entendimento jurídico que limitasse as reais atribuições da PM no cumprimento de medidas restritivas adotadas por Estados e municípios na pandemia. Presidente da Associação dos Oficiais Militares Estaduais da Bahia (Força Invicta), o tenente coronel Copérnico não vê possibilidade de greve, mas prega cautela nos ânimos para evitar uma conflagração. “A gente não vê nenhuma sinalização de efetividade disso e esperamos que entidades e Governo tenham equilíbrio para lidar com a situação. Esperamos que a evolução dessa manifestação não chegue a esse ponto [de greve].”

Wesley Soares Góes foi enterrado em Itabuna, no sul do Estado, nesta segunda-feira. Amigos, familiares e centenas de policiais participaram do sepultamento. Policiais carregaram o caixão.

Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

 

Ilhéus: Cerca de 15% da população já recebeu primeira dose contra a Covid-19

POR SECOM

Com 96,3% de cobertura vacinal para a primeira dose contra a Covid-19, Ilhéus já aplicou 23.358 das 24.267 unidades da vacina recebidas até o momento. Isso significa dizer que aproximadamente 15% da população já está imunizada contra a doença. Os dados são divulgados diariamente no painel de acompanhamento da cobertura vacinal Covid-19 da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), atualizado às 16h de sexta-feira (2).

Balanço – Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), dos dias 29 de março a 1º de abril, foram aplicadas 2.444 unidades da vacina referentes à primeira dose (D1) e 155 doses de reforço (D2), relativas ao segundo ciclo do esquema vacinal dos grupos prioritários. No total, foram imunizadas 2.599 pessoas, entre profissionais da saúde, idosos, indígenas, pacientes renais e policiais militares acima de 50 anos.

A Sesau reitera que mesmo com o início da vacinação de parcela da população, é necessário que a população em geral tenha consciência e mantenha as medidas de prevenção à Covid-19, com uso de máscara de proteção, higienização das mãos e distanciamento físico (social).

Reforço da imunização – As pessoas com segunda dose agendada precisam ficar atentas ao cartão de vacinação para não perder o prazo. O grupo que já recebeu a primeira dose do imunizante deve comparecer ao CMAE, no antigo Colégio Fênix, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 15h30, para completar o esquema vacinal. É importante a apresentação do RG e do cartão de vacinação. O CMAE está localizado na Avenida Canavieiras, 275 – Cidade Nova.

Balanço semanal da vacinação contra a Covid-19 em Ilhéus

Data 29/03 30/03 31/03 01/04
Dose D1 D2 D1 D2 D1 D2 D1 D2 Total
Indígenas 14 30 8 6 8 66
Idosos 952 12 632 1 612 13 29 5 2.256
Trabalhadores da Saúde 29 3 33 15 3 17 77 45 222
Pacientes renais 1 5 1 7
Policiais militares +50 48 48
Total 982 15 684 46 623 36 155 58 2.599
Fonte: Secretaria Municipal de Saúde (Sesau)

 





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia