Em princípios do ano em curso, fiz por este “Diário” umas despretenciosas linhas, publicadas nas “Notas Sociais” do brilhante vespertino, sugerindo à Câmara de Vereadores uma lei, para que fossem dados a ruas novas desta cidade os nomes dos saudosos Mons. Evaristo Bittencourt, Dr. Cristiano Sellmann e do malogrado jovem Gutemberg Berbert de Castro. O primeiro, meses depois foi por um digno vereador lembrado para uma de nossas artérias, o segundo foi agora também apresentado, já estando em pauta, faltando somente o terceiro, objeto da modesta crônica que se segue:

O Dr. Cristiano Sellmann nasceu nesta cidade de Ilhéus no dia 16 de março de 1873. Era filho do Sr. Cristiano Sellmann, um dos fundadores desta cidade e de D. Maria Benevides Sellmann, ambos já falecidos.

Era irmão da saudosa educadora Guilhermina Sellmann que dirigiu uma escola, nesta cidade, de sua propriedade, denominada “Colégio Dr. Cristiano Sellmann”, situada na atual Praça Castro Alves.

O Dr. Cristiano Sellmann foi diplomado pela Faculdade de Medicina da Bahia em 11 de dezembro de 1897 e faleceu em 12 de janeiro de 1898, nesta cidade.

Na “Crônica da Capitania de São Jorge dos Ilhéus”, de autoria de Silva Campos, à página 329 e 330, se pode ler o seguinte:

Ocorreu em 12 de janeiro de 1898 o falecimento de um dos mais esperançosos filhos da cidade, o Dr. Cristiano Sellmann. Recentemente diplomado pela Faculdade de Medicina da Bahia, onde fizera curso deveras brilhante, fora considerado estudante dos mais distintos da época, gozando invejável nomeada entre os seus condiscípulos. Por ocasião da guerra de Canudos o jovem médico exerceu com dedicação apostolar o cargo de diretor do hospital de variolosos do exército em operações, na vila de Queimadas. A par de cintilantes dotes de inteligência, luziam neste moço formoso, predicados de caráter. Seu prematuro falecimento consternou a cidade, cujo comércio fechou-se totalmente por ocasião do enterro que foi concorridíssimo”.

Os restos mortais deste ilheense ilustre se encontram no cemitério desta cidade, num mausoléu e na lousa do mesmo túmulo se encontram estas palavras:

“A Bahia agradecida – Lembrança do Comitê Patriótico ao Dr. Cristiano Sellmann, pelos relevantes serviços prestados na campanha de Canudos”.

Levado traiçoeiramente pela morte, ainda aos 24 anos de idade, tão jovem ainda, deixou relevantes serviços prestados à Pátria, “com dedicação apostolar”.

Inegavelmente, foi um filho ilustre desta terra de São Jorge dos Ilhéus.

O ilustre vereador Coelho de Albuquerque apresentou um projeto, na Câmara de Vereadores desta cidade, para se denominar uma das principais artérias desta cidade com o nome do grande filho de Ilhéus – Dr. Cristiano Sellmann.

Como estudante foi dos mais brilhantes que já passaram pela velha Faculdade de Medicina da Bahia; como ilheense prestou relevantes serviços na campanha de Canudos, com sacrifício da própria vida.

A homenagem que o distinto médico e vereador Coelho de Albuquerque deseja prestar ao jovem médico ilheense, falecido prematuramente, atestará aos pósteros que Ilhéus não se esqueceu de um de seus mais esperançosos filhos e soube fazer a devida justiça aos seus méritos excepcionais.

Afrânio Amorim

Transcrito de Diário da Tarde de 16 de novembro de 1949 n.º 6374 2ª pg.