Ocupando parte de uma das fachadas do Edifício Comendador Firmino Alves, situado na confluência entre a Praça Adami e Avenida Cinqüentenário, com quase 60 anos de fixado naquele local, o painel de azulejos do artista Genaro de Carvalho nunca teve uma restauração digna do seu criador, o que está acontecendo agora graças à iniciativa da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), que contratou o artista plástico Richard Wagner para executar a restauração da obra.

No início de 2009, a Ficc encaminhou um projeto de restauração do painel ao Instituto de Patrimônio Artístico e Cultural, que enviou uma equipe de técnicos chefiada pela arquiteta Katia Berbert para fazer uma vistoria na obra e avaliar suas condições para a restauração. Foi feita uma limpeza e impermeabilização do painel, além de um levantamento de custos.

O IPAC disponibilizou meses depois cinco técnicos para o levantamento final com vistas à execução dos trabalhos de recuperação. Isso se tornou inviável para a Fundação de Cultura e Cidadania em razão das despesas com hospedagem e alimentação da equipe do IPAC. Daí ter a Ficc contratado o artista plástico Richard Wagner, que além de itabunense e possuir curso de restauração na Europa, é um artista reconhecido internacionalmente por seus mais de mil trabalhos de escultura espalhados no Brasil e exterior. Com isso a FICC valorizou o artista nascido em Itabuna e reduziu as despesas em 70% dos custos que teria de arcar se a restauração fosse executada pelos técnicos do IPAC, esclareceu o presidente da FICC, Cyro de Mattos.

Os trabalhos de restauração do painel tiveram início no dia 13 deste mês e segundo o restaurador Richard Wagner estarão concluídos dentro de 15 dias. “Essa é uma boa oportunidade que tenho para mostrar à comunidade minha arte de restaurador, além disso estou contribuindo com minha cidade ao fazer a restauração de uma obra de um dos mais renomados artistas plásticos da Bahia”, ressalta Wagner. Inaugurado em 1953, o Painel da Saga de Cacau, de Genaro de Carvalho, retrata a história da civilização cacaueira baiana, e nele estão trabalhadores colhendo o cacau, quebrando, pisando nas barcaças, carregando-o em sacas para o transporte no porto de Ilhéus, entre outras cenas retratadas pelo traço genial de Genaro de carvalho.

Para Cyro de Mattos, a obra de Genaro de Carvalho estava entregue ao sabor do tempo, desfalcada de azulejos e com pouco visibilidade para os as pessoas que passavam no local, uma vez que uma banca de revista e jornais foi montada bem em frente do painel e ali ficou por mais de 40 anos, até que recentemente foi transferida para outro local. “Tenho certeza que com essa restauração o painel de Genaro de Carvalho retratando a saga do cacau no sul da Bahia vai receber o zelo que merece, afinal ele pertence ao patrimônio artístico do município de Itabuna, seu valor é incalculável e sua preservação faz-se necessária pelas autoridades e, em geral, pela própria comunidade”, finalizou Cyro de Mattos .