Nélson Viana


Neste primeiro dia do novo ano resolvi saborear a primeira gelada no conhecidíssimo ARMAZÉM IBIASSÚ, do meu amigo Nélson Viana, o homem lá das terras de Maraú.
O grande Nélson é super conservador e mantém uma antiga tradição que normatiza a freqüência em seu estabelecimento, exige e não abre precedente que alguém adentre a seu armazém sem camisa, a placa é bem visível VISTA A CAMISA.
É uma norma antiga e difícil de quebrar este protocolo, afinal de contas, o armazém é de sua exclusiva propriedade e tem uma longa história de sucesso, inclusive já fez mais de 50 anos ininterrupto de atividade.
Devido ao calor da hora também tomei uma atitude, claro que a título de gozação, e fui ao Armazém Ibiassú receber uma gelada e sem camisa.
Literalmente estava decidido a enfrentar a fera e parti para o confronto.
Lá chegando, do passeio pedi uma cerveja e avisei em alto e bom som: primeiro dia do ano e vou entrar sem camisa.

Pairou um suspense no ar entre as pessoas que ali estavam, o seu genro Sodré e meu preto Bueno, este um gozador de primeira.
Para minha surpresa e dos presentes o senhor Nélson respondeu lá de dentro: para você o precedente está livre, pode entrar sem camisa.
Claro que todos ficaram espantados com o convite feito pelo Nélson e também não entenderam o porquê da liberação tão espontânea.
Quebrado o gelo inicial, agradeci tamanha honraria e em atenção e respeito aos bons costumes que sempre imperou no Armazém Ibiassú, bebi a cerveja do lado de fora.
Acho que esta honraria e prestígio pouquíssimos clientes possuem, hoje faço parte do seleto grupo de apenas três pessoas, juntei-me a Zé Morais e Jackson Adami, que podem entrar no armazém sem camisa, mas a gente não pode e nem deve usar este salvo conduto aleatoriamente, pois pode ser que um dia o grande Nélson não esteja pra brincadeira e então a coisa pode pegar, muita cautela nessa hora.
Depois desse inusitado acontecimento no primeiro dia do ano, muita gente vai ficar com inveja e a discussão vai perdurar por muito tempo.
Luiz Melo, Dagoberto, Ari Morais, Zé Prates, Nilson do sindicato, Borrachinha, Silvinho Tapioca, Piloto, João Vianey, Eduardo, Cabaça, Caboclo, Edinho Tecsat, Vanilton Encantur, entre outros, ficarão com um pedacinho de ciúme por não fazerem parte do grupo dos três privilegiados e devidamente autorizados a entrar no Armazém Ibiassú sem camisa.
ZÉCARLOS JUNIOR