A proposta de construção em Ilhéus de uma sede do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) foi selecionada pelo Portal dos Convênios (Siconv), ligado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Com contrapartida de quase R$ 7 mil do Município, deverão ser liberados para a obra recursos de R$ 230 mil, oriundos do Orçamento Geral da União (OGU). Segundo o secretário da Assistência Social e Trabalho, Ari Santos Silva, a unidade do Creas, que oferece serviços especializados a famílias e indivíduos em situação de ameaça ou violação de direitos, deverá ser construída em terreno localizado no bairro do Malhado.
Explica Ari Santos Silva, que atualmente, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) possui duas unidades no município, que funcionam em espaços alugados. Uma encontra-se localizada na avenida Uberlândia, no bairro do Malhado, zona norte da cidade, e a outra encontra-se situada na Baixa Fria, na avenida Canavieiras, na Zona Central de Ilhéus.

De acordo com o projeto aprovado, a nova sede do Creas terá recepção, sala multiuso, duas salas de atendimento individual e duas salas de atendimento familiar, além de copa, banheiros e salas para a coordenação e para o setor administrativo. Com cerca de 216 metros quadrados de área construída, informam os técnicos da Prefeitura de Ilhéus, a unidade será marcada pelos mais rigorosos conceitos de acessibilidade.
Creas – O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) é uma unidade do Sistema Único de Assistência Social (Suas) que oferece serviços especializados e continuados a famílias e indivíduos em situação de ameaça ou violação de direitos (violência física, psicológica, sexual, tráfico de pessoas e cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto, entre outros). A oferta de atenção especializada e continuada deve ter como foco a família e a situação vivenciada. Essa atenção especializada tem ênfase no acesso da família a direitos socioassistenciais, por meio da potencialização de recursos e da capacidade de proteção.
O Creas deve, ainda, buscar a construção de um espaço de acolhida e escuta qualificada, fortalecendo vínculos familiares e comunitários, priorizando, sempre, a reconstrução de suas relações familiares. Dentro de seu contexto social, a unidade deve focar no fortalecimento dos recursos para a superação da situação apresentada. Para o exercício de suas atividades, os serviços disponibilizados pelos Creas devem ser desenvolvidos de modo articulado com a rede de serviços da assistência social, órgãos de defesa de direitos e das demais políticas públicas. A articulação no território é fundamental para fortalecer as possibilidades de inclusão da família em uma organização de proteção que possa contribuir para a reconstrução da situação vivida.