A política é realmente coisa do cão.
Não faz muito tempo, mais precisamente sete anos, um alcaide deixou o governo da nossa cidade nas mãos de um meio amalucado das minas gerais, deu no que deu e se prolonga até os dias atuais.
O que aconteceu no período do mineiro e do seu imediato todos os ilheenses estão sentindo na pele, na auto-estima e nos acontecimentos nada condizentes com uma saudável gestão pública.
Eis que de uma hora pra outra, o ex-alcaide retoma o rumo à sua cidade, agora exercendo um importante cargo no seu partido de origem e desponta como um sério e decisivo candidato a alcaide dessa sofrida cidade de São Jorge dos Ilhéus, as pesquisas e a vontade do povo assim o apontam.
Para um político que teve uma ruim administração na sua última gestão, é como tivesse ressuscitado e o povo clamando pela sua volta, mais uma vez vemos como andam os revezes políticos.
Em conversa com inúmeras pessoas e em locais diferentes, sentimos que o nome do ex-alcaide desponta como favorito, sem ninguém sequer se lembrar da sua última passagem pelos corredores do antigo Palácio Paranaguá, principalmente pela estratégica porta dos fundos, especialmente feita para suas entradas e saídas sem contato com eleitores a lhe fazerem pedidos.
Coisas da política e dos políticos.
Também em conversa com um amigo, afirmou-me o seguinte: “fulano está tendo uma grande e única oportunidade e desta feita não pode sequer pensar em errar, muito pelo contrário, terá que fazer muito para compensar a sua escolha, mais uma vez, para governar a cidade de Ilhéus”.
Coisas da política e dos políticos.
Aqui no meu cantinho achei uma pérola o que o meu amigo disse, pois realmente está sendo dada uma extraordinária oportunidade a um político que tem participação nessa embrulhada em que a cidade se meteu.
Gosto de conversar com amigos e mais um saiu com essa máxima que achei o máximo: “Rotina diária de um governo municipal – segunda a sábado – trabalhar, não roubar, não deixar roubar.
No domingo trabalhar até meio dia, descansar, não roubar, não deixar roubar”, segundo ele é o que precisa acontecer em qualquer administração pública, seja federal, estadual e municipal.”

Portanto, a grande e única oportunidade está sendo dada e o que se espera é que o político saiba recebê-la e faça um papel mais digno caso venha a ser sacramentado alcaide desta sofrida cidade de Nacib, pois a Gabriela de tanto sofrer ficou feia demais, nenhuma mulher gosta de abandono, desprezo e falta de atenção.

ZÉCARLOS JUNIOR