“VENDAVAIS”

Espetáculo grandioso a luta dos elementos!
Impressionante! Faz-nos meditar um pouco nos mistérios da natureza, dessa natureza que também, como os homens, se digladiam…
Vendavais… Cataclismos… Terremotos perecem, no entanto, menos trágicos que a crueldade humana.
Não têm a consciência do mal. Não cultuam a bravura sanguinária dos povos nem a insensatez das suas pompas sobre a ruína dos vencidos.
Dominam pela sua majestade, mas não provocam a revolta do coração nem desencadeiam tempestades na alma, conturbada pela violência dos atentados.
Se aos nossos olhos fosse dado medir os valores reais na desigualdade dessas lutas, quantos troféus de glória para os que sofrem!
E no meio destes, as vítimas dos sonhos bons, dos que alimentaram a esperança de um lenitivo para cada mágoa…
Mas ninguém vê ninguém sabe a quem vem, às vezes, uma lágrima…
– Quem diria meu Deus, que essa gota cristalina e esse débil sussurro fossem estilhaços de insondáveis batalhas do espírito, marcando no peito invicto as cicatrizes da sua vitória.
Quem diria?