Todas as 14 prefeituras que foram alvo da ação do movimento na última semana já foram desocupadas

As prefeituras das cidades baianas de Barra do Choça, Itamaraju e Riachão das Neves e Iguaí foram ocupadas por militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) nesta segunda-feira (16), como parte das manifestações da Jornada Estadual em Defesa da Educação dentro dos Assentamentos de Reforma Agrária.

Em Barra do Choça, a 537 km de Salvador, dezenas de representantes dos assentamentos Mocambo, Pátria Livre e Canguçu, ocuparam a sede da administração municipal e aguardam o prefeito Oberdan Rocha (PP), que é vice-presidente da União dos Munícipios da Bahia (UPB) para uma reunião.

Também na manhã de hoje, dezenas de militantes do MST ocuparam a sede da prefeitura de Itamaraju, no Extremo Sul da Bahia, para reivindicar melhorias para os assentados da região, oferecendo atendimento médico, melhoria no acesso aos assentamentos e, principalmente, melhoria na educação pública.

As prefeituras de Iguaí, no Sudoeste, e Riachão das Neves, no Extremo Oeste, também foram ocupadas, de acordo com Evanildo Costa, coordenador do MST no sul da Bahia. Com as ações desta segunda, chega a 18 o número de prefeituras ocupadas ao longo do movimento, iniciado no último dia 10.

Ainda segundo Evanildo, todas as 14 prefeituras que foram alvo da ação do MST na última semana já foram desocupadas. “O nosso principal objetivo é apresentar nossas pautas e discutir melhorias para o ensino com os prefeitos. Após a reunião, deixamos as sedes dos municípios, explicou o coordenador do MST.

A Secretaria da Segurança Pública do estado da Bahia disse que acompanha a jornada e que a orientação é atuar somente em caso de incidente grave ou se acionado pela Justiça determinando reintegração de posse nas prefeituras, o que ainda não aconteceu.


Da Redação CORREIO DA BAHIA