O traficante José Carlos Souza dos Santos, autor da chacina que deixou quatro mortos, no município de Ilhéus (a 460km de Salvador), foi preso na quinta-feira, 19, após quatro dias foragido.

O acusado, conhecido como Chupado, foi encontrado na casa de parentes, na zona rural do município, após investigação da 7ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), e não ofereceu resistência à prisão.

O crime ocorreu na última segunda, 16, quando José Carlos, atingido no peito por um caco de vidro, alguns dias antes, resolveu se vingar do traficante de prenome Isac, que teria lhe causado o ferimento durante uma briga.

Segundo o titular da 7ª Coorpin, delegado Irineu Alves, Chupado teria chamado alguns criminosos, entre eles o irmão Elinaldo Souza dos Santos (Sebinho), 32 anos, e o primo Alexandro de Souza Menezes (Alex), 24, e invadido o ponto de vendas de drogas de Isac, em uma região conhecida como Iraque, no distrito de Banco da Vitória.

Em um carro preto, que não teve o modelo divulgado, o bando de José Carlos atirou contra as pessoas que estavam no ponto de tráfico. Moisés Souza Santos, 25, Zaqueu Ricardo dos Santos Júnior, 21, Jaziel Santos da Silva, 25, e um adolescente de 17 anos, morreram no local. Segundo a assessoria da Polícia Civil, todos tinham envolvimento com o tráfico de drogas.

O alvo do atentado, Isac, conseguiu escapar e está sendo procurado. Depois da execução, os criminosos ainda atearam fogo na casa onde as drogas eram vendidas.
O irmão e primo de José Carlos, que estão foragidos, mas já têm prisão temporária decretada, estão sendo procurados pela polícia.

Fagner Reis dos Santos, 23 anos, Igor Vinícius Carvalho dos Reis, 19, Mateus da Silva Santos, 19, e Nivaldo de Jesus Silva, 31, suspeitos de terem participado da mesma chacina, também já foram presos. A 7ª Coorpin investiga qual a participação dos acusados no crime.


Da Redação
A TARDE ON LINE