§  Primeiro festival de música erudita no País realizado junto às falésias

§  Alguns dos melhores solistas internacionais se apresentarão ao lado de renomada orquestra jovem nacional

§  Músicos darão aulas a alunos de escolas públicas da região e a estudantes de música de todo o País

Música em Trancoso – MeT é muito mais que um grandioso festival de música erudita, em um local paradisíaco da costa brasileira. É um evento cultural com características únicas. Em uma semana de duração, 17 a 24 de março, cumprirá uma programação inteiramente gratuita voltada para difundir a música clássica e contribuir para a formação musical de jovens da comunidade e o aprimoramento técnico de estudantes de música de todo o País.

O MeT tem ainda entre seus objetivos ser uma fonte geradora de negócios e de oportunidades de emprego para a população local, na baixa temporada, contribuindo para o desenvolvimento sustentável em Trancoso e região de Porto Seguro, no Sul da Bahia, por meio da música.

O festival deverá atrair um grande e diversificado público. Um anfiteatro, especialmente projetado para acomodar 800 pessoas, irá proporcionar excelência acústica e uma visão fascinante de um dos maiores patrimônios ambientais do País. Inicialmente projetado para ser montado no canyon de Trancoso, nessa edição foi transferido para o alto das falésias, no Terra Vista Golf Resort, em um cenário igualmente paradisíaco.

A Orquestra Juvenil da Bahia, com regência do maestro e pianista Ricardo Castro, dividirá o palco com dez dos melhores virtuoses internacionais, em repertórios que mesclam o erudito e o popular brasileiro. Os concertos terão início no pôr do sol, um dos momentos do dia mais deslumbrantes da região.

Paralelamente aos concertos, abertos ao público, integrantes da orquestra e solistas ministrarão gratuitamente clínicas de técnica e interpretação (masterclasses) a estudantes de música e ouvintes, e aulas básicas de música, para alunos de escolas públicas da região. As masterclasses compreendem clínicas de violino, viola, violoncelo, flauta, clarinete, trompa, fagote e percussão.

O MeT é a consagração de um sonho compartilhado por quatro amigos e parceiros, que têm em comum a paixão pela música e o amor por Trancoso: Sabine Lovatelli, fundadora do Mozarteum Brasileiro, Carlos Eduardo Bittencourt (Calé), empresário da região e ativo integrante da comunidade local, François Valentiny, arquiteto de renome internacional, e Reinold Geiger, empresário respeitado mundialmente com grande destaque na mídia internacional.

Foram dois anos de intenso trabalho para dar forma e conteúdo a uma idéia ambiciosa: montar um grande e inédito festival de música clássica que fosse, ao mesmo tempo, instrumento de crescimento pessoal e de desenvolvimento e inserção social.

Orquestra e solistas – Raro encontro

Uma das mais importantes orquestras jovens brasileiras e solistas nacionais e internacionais, o erudito e o popular, se apresentarão gratuitamente no MeT em concertos espetaculares, jam sessions e exibições de música de câmara.

Orquestra Juvenil da Bahia – Ricardo Castro, regente

Principal formação do NEOJIBA – Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia, programa da Secretaria de Cultura do Governo da Bahia. Criado pelo pianista e maestro Ricardo Castro, tem como objetivo promover a excelência e a integração social por meio da prática orquestral. Inspirado no Sistema Nacional das Orquestras e Coros Juvenis e Infantis da Venezuela (FESNOJIV), o programa oferece uma rotina contínua e diária de estudos. É composta por 110 instrumentistas na faixa de 12 a 25 anos de idade, sendo referência mundial para jovens formações.

Maestro Ricardo Castro

Fundador e diretor do NEOJIBA, leciona na Haute École de Musique de Lausanne, na Suíça, e é, desde 2007, o Gestor Artístico da Orquestra Sinfônica Juvenil da Bahia. Começou a tocar piano aos três anos de idade e a estudar a partir dos cinco.

Estudou piano e regência no Conservatório de Genebra. Em 1993, recebeu o primeiro lugar no Leeds International Piano Competition na Inglaterra, sendo o primeiro vencedor latino-americano da competição.

Já se apresentou nas mais importantes salas de concerto e com renomadas orquestras, como BBC Symphony, Orchestre de la Suisse Romande, Tonhalle de Zurique, English Chamber Orchestra e Tokyo Phillarmonic. Trabalhou com alguns dos mais renomados maestros da atualidade, como Sir Simon Rattle, Yakov Kreizberg e Leif Segerstam.

Desde a fundação do NEOJIBA, Ricardo Castro tem colocado todos os seus esforços para inserir a prática coletiva da música no cotidiano dos jovens e crianças brasileiros.

Andreas Grünkorn, Violoncelo – Berlin German Symphony Orchestra, Alemanha

Solista principal da Berlin German Symphony Orchestra nasceu em 1962 em Bonn e aos 17 anos tornou-se aluno de David Geringas, na Lübeck Musikhochschule. Mesmo antes de terminar os estudos, foi solista principal da Dortmund Philharmonic Orchestra e, desde 1996, tem a mesma posição na Berlin German Symphony Orchestra.

Participa frequentemente de formações de música de câmara, notadamente com o Hartog Quartet e o Trio Atrium. Fez o seu début como solista em 1999, com Shostakovich’s Cello Concerto No. 1, sob regência de Zdenek Macal.

Benoit Fromanger, Flauta – Bavarian Radio Symphony Orchestra

Nascido em Paris, estudou flauta no Conservatório Versailles e no Conservatoire National Supérieur de Musique de Paris, com professores como Roger Bourdin, Jean-Pierre Rampal e Alain Marion. Ganhou diversos prêmios internacionais, como o Prêmio da Paribas Foundation, The Grand Prix de l´Académie du Disque Français, e Diapason d´or.

Fromanger é membro da Bavarian Radio Symphony Orchestra e já se apresentou com diversas orquestras de renome, como a Bavarian Radio Symphony e a Berlin Philharmonic, e regentes como Claudio Abbado, Carlo Maria Giulini, Bernard Haitink, Daniel Barenboim, Riccardo Muti, Pierre Boulez, Zubin Mehta, Wolfgang Sawallisch e Lorin Maazel. Apresenta-se também em shows e concertos de música de câmaras, com Jessye Norman, Carolyn Carlson, Patrick Dupont, Claude Bolling, Katia e Marielle Labèque, Maxim Vengerov, Mischa Maisky, Viktoria Mullova, Gary Karr e Milan Turkovic, entre outros.

Cesar Camargo Mariano, compositor, arranjador, maestro e pianista

Desenvolveu uma carreira brilhante como pianista, arranjador, produtor e compositor. Hoje é um dos músicos brasileiros mais admirados em todo o mundo.

Autodidata, no início dos anos 60 o jovem pianista já impressionava com seu swing e formou dois dos mais importantes trios da época: “Sambalanço Trio” e “Som Três”. Lançou mais de 30 discos em 50 anos de carreira. Entre suas mais de 200 composições, figuram as clássicas “Samambaia”, “Cristal” e “Curumim”, gravadas também por consagrados artistas, como Yo-Yo Ma, Paquito D’Rivera e Clare Fisher. É também frequentemente convidado como solista de grandes orquestras, como The London Royal Philharmonic e Tokyo Symphony Chamber.

Atualmente morando nos Estados Unidos, continua a desenvolver seus trabalhos autorais e colabora com grandes nomes internacionais, além de compor trilhas sonoras para cinema e televisão. Entre vários prêmios nacionais e internacionais, Cesar Camargo Mariano recebeu em 2006 o Grammy especial a excelência musical, Lifetime Achievement Latin Grammy Award.

Jonathan Williams, Trompa – Chamber Orchestra of Europe e BBC Symphony Orchestra

Natural da Inglaterra, estudou com Sydney Coulston no Royal Northern College of Music de Manchester. Em 1982, juntou-se ao COE como trompetista principal, onde trabalhou como solista com vários regentes, como Claudio Abbado, Paavo Berglund, John Eliot Gardiner, Nikolaus Harnoncourt, Yehudi Menuhin, Roger Norrington, Alexander Schneider e Sandor Vegh.

É um dos membros fundadores do Wind Soloists of the Chamber Orchestra of Europe e do Gaudier Ensemble, o segundo solista (co-principal) da BBC Symphony Orchestra e um entusiasmado incentivador do ensino de jovens músicos além de ativo colaborador de jovens orquestras na Itália e na Inglaterra.

Katia & Marielle Labèque, Duo de Piano

As duas irmãs nasceram na costa sudoeste da França, próximo à Espanha, e formam uma dupla de piano muito comunicativa. Seu repertório inclui de um vasto material de Bach, interpretado em instrumentos de época, até compositores contemporâneos do século XXI. Logo após a graduação, na adolescência, faziam apresentações de música contemporânea. A gravação de duo de piano da Rhapsody in Blue, de George Gershwin, vendeu mais de meio milhão de cópias.

Tocaram sob a direção de regentes mundialmente reconhecidos, dentre eles, Giovanni Antonini, Semyon Bychkov, Gustavo Dudamel, Charles Dutoit, Sir John Eliot Gardiner, Zubin Mehta, Antonio Pappano, Georges Prêtre, Sir Simon Rattle, Esa-Pekka Salonen, Leonard Slatkin e Michael Tilson Thomas.

Participaram de apresentações com as orquestras mais prestigiadas do mundo: a Royal Concertgebouw, de Amsterdã, as Filarmônicas de Berlim, Viena, Los Angeles e a do Teatro Alla Scala di Milano; as Sinfônicas de Boston, Chicago e Londres, as orquestras de Cleveland e Filadélfia, a Leipzig Gewandhaus Orchestra, a Bayerischer Rundfunk e a Dresden Staatskapelle Orchestra.

Richard Galler, Fagonista – Ensemble Wien-Berlin

Nascido em Graz, na Áustria, iniciou seus estudos de fagote com Johann Benesch no Conservatório de Graz e se aprofundou com Milan Turkovic na Faculdade de Música “Mozarteum”, em Salzburgo/ Áustria.

Recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais, como Jugend Musiziert, C.M.v.Weber Wettbewerb e Concurso da IDRS, em Manchester, Inglaterra. Em 1987, passou a fagotista solo da Orquestra Sinfônica de Viena.

Tocou em festivais de música de câmara em Lockenhaus (Áustria), Mondsee (Áustria), Risör (Noruega), Uusikaupunki (Finlândia), St. Gallen (Suiça), Festival Pablo Casals em Prades (Espanha) e Pacific Music Festival em Sapporo (Japão), etc.

É Professor Titular na Universidade de Música e Artes Plásticas de Viena, membro do Grupo de Câmara de Viena e também sucessor de Milan Turkovic no Quinteto de Sopro “Ensemble Wien-Berlin“.

Rüdiger Liebermann, Violino – Berlin Philharmonic Orchestra

De uma família de músicos, começou tocando piano aos cinco anos de idade e aos oito iniciou aulas de violino com Jacob Weinsheimer. Prestou a prova final no Folkwang Hochschule, em Essen, antes de ir aos EUA, onde recebeu seu diploma artístico na Escola de Música da Universidade de Indiana, em Bloomington.

Antes de se juntar à Filarmônica de Berlim, Liebermann foi assistente de Saschko Gawriloff na Berlin’s Hochschule der Künste (agora Universität der Künste). Atualmente, é membro do Berlin Philharmonic String Sextet, Berlin Baroque Soloists e Philharmonic Piano Trio.

Walter Küssner, Viola – Berlin Philharmonic Orchestra

Recebeu treinamento profissional de música de Jürgen Kussmaul, em Düsseldorf, Kim Kashkashian, em Nova Iorque, e Michael Tree, em St. Louis. Em 1987, tornou-se membro do Bavarian Radio Symphony Orchestra em Munique. Dois anos mais tarde, foi para a Filarmônica de Berlim, da qual participou de inúmeras formações de música de câmara, com o Philharmonic String Octet e o Athenaeum Quartet.

Walter Seyfarth, Clarinete – Berlin Philharmonic Wind Quintet

Natural de Düsseldorf, foi vencedor da competição Deutscher Tonkünstlerverband aos dezesseis anos. Após seus estudos na Escola Superior de Música de Freiburg com Peter Rieckhoff e com Karl Leister, na academia da Berlin Philharmonic Orchestra, foi nomeado para a Radio Simphony Orchestra de Saarbrücken. Em 1985, juntou-se à Berlin Philharmonic como solo Eb-Clarinet.

Seyfahrt fundou a Berlin Philharmonic Wind Quintet, em 1988. Também é membro do grupo de câmara The Winds of the Berlin Philharmonic. Entre suas responsabilidades de ensino e tutoria estão a Academia da Orquestra Filarmônica de Berlim, a Jeunesses Musicales World Orchestra e a Orquestra Jovem da Venezuela.