por Hans  Schaeppi

Hans Schaeppi

CRUZEIROS MARÍTIMOS

         Mais dois transatlânticos movimentaram a cidade nesta semana: o luxuoso MSC Preziosa, já nosso conhecido, que chegou pela quarta vez. O Club Med 2, que nos visita neste sábado, 25, pela primeira vez nesta temporada, é um veleiro construído em 1992 e reformado em 2006, trazendo o conceito de cinco tridentes da rede francesa, tendo capacidade para 400 passageiros e 200 tripul antes, sendo 60 GOs. Suas 184 cabio nes externas com escotilha, são divididas em três classes: “Club”, com 168 unidades, “De Luxe” com 5 apartamentos, e 11 suites. Apesar de veleiro com 5 mastros e sete velas, é movido a motor. Tem 2 restaurantes, 3 bares, 2 piscinas de água salgada, loja, salão de beleza e fitness Center. Utiliza o sistema “all inclusive”, servindo 3 refeições e bebidas à vontade. O grupo possui mais de 80 villages em todo o mundo, sempre nas praias. O veleiro está com chegada prevista para as 7 hras e partida às 17 horas.

NOVO SECRETÁRIO DE TURISMO

       Pedro Galvão ex- vice presidente da ABAV-BA é o secretário Estadual de Turismo da Bahia, em substituição a Domingos Leonelli, que deixou o cargo para se candidatar a deputado. Galvão é nosso antigo companheiro de luta pelo turismo baiano, tendo sido presidente e vice da ABAV-Ba e do CBTUR (Conselho Baiano de Turismo). Em suas primeiras declarações, falou em seguir o caminho de Minas, tendo como metas a Estrada Real da Bahia e o desenvolvimento de turismo de negócios, juntamente com o Convention Bureau. Vamos lembrar ao novo secretário,  o roteiro Estrada do Chocolate e do Cacau e o Pavilhão de Feiras e Exposições de Ilhéus.

QUEDA

    O ano de 2013 não foi dos melhores para a capital baiana. Caiu o número de passageiros desembarcados no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães e a ocupação dos hotéis. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-Ba), a rede hoteleira de Slavador fechou o ano de 2013 com uma ocupação média de 56,27%, inferior 2,5 % inferior à de 2012, que foi de 58,76%.. O número de passageiros desembarcados, segundo a Infraero, caiu de 8.105.936, para 7.683389, representando uma perda de  5,2%. A maioria das demais capitais nordestinas teve aumento de desembarques e na ocupação hoteleira. O maior invcremento teve Maceió, com 10,8%. O presidente da ABIH-Ba, Manuel Garrido atribuiu a queda de Salvador, à deterioração da cidade e de seus atrativos turísticos como a orla, pontos históricos, parques, mobilidade e falta de segurança.