CULTURA_ BAHIA

CULTURA_ BAHIA

Integrantes do Conselho Estadual de Cultura estiveram reunidos nesta terça-feira, 31, com o secretário de Cultura da Bahia, Jorge Portugal. O encontro faz parte de uma série de mobilizações que integrantes do órgão têm participado por conta dos impactos sofrido pelo setor da Cultura no país. “Como integrantes do Conselho, buscamos sempre meios de ouvir as demandas da sociedade civil para, em seguida, iniciarmos o diálogo com o poder público”, comentou o presidente do órgão, Márcio Ângelo Ribeiro.

Estiveram também presentes no encontro o vice-presidente do Conselho, Emílio Tapioca, a presidente da Câmara de Patrimônio, Ana Vaneska, e o conselheiro Jorge Baptista Carrano. Como representantes da Secretaria Estadual de Cultura (SecultBA), participaram o assessor de planejamento e gestão, Daniel Uchôa, e a assessora de relações institucionais Jeane Costa. “O apoio do Conselho mostra como a sociedade civil está disposta a colaborar”, assinalou o secretário.

O conselheiro Jorge Baptista Carrano, presidente do Colegiado Setorial de Literatura, aproveitou para ressaltar a importância de a SecultBA priorizar demandas dos Colegiados Setoriais. Em março deste ano, o Conselho Estadual de Cultura aprovou os Planos Setoriais elaborados pelos colegiados de Dança, Literatura, Música, Circo, Audiovisual e Teatro. Os documentos estabelecem prioridades, estratégias e objetivos específicos para os próximos 10 anos na gestão pública dos setores, promovendo uma política de Estado para a Cultura.

Carrano assinalou a importância de que até julho deste ano haja condições de os Colegiados se reunirem para elaboração das metas do Planos Setoriais, textos que também serão apreciados no Conselho Estadual de Cultura. “Os Planos Setoriais sem essas metas não funcionam”, completou o conselheiro.

SOCIEDADE CIVIL – A conselheira Ana Vaneska aproveitou para lembrar que agentes culturais estão mobilizados diante do atual cenário político e econômico e, portanto, os órgãos ligados à gestão precisar escutar as demandas da sociedade civil. “Temos ocupação na sede do MinC em Salvador e diversas ações pelo país. Essa é a hora de alinhar o que a prioridade e perceber que o segmento da Cultura tem pulsado de modo positivo em defesa do setor”, completou.

O vice-presidente Emílio Tapioca reforçou a importância da manutenção do canal de debate com a SeculBA. “O Conselho é uma instância de fortalecimento onde pode existir diálogo de forma clara. É preciso unificar esforços e parcerias que levem ao aprimoramento das políticas no âmbito da Cultura”, finalizou. Ao término da reunião, foi definido que novos encontros devem acontecer em breve, e que a SecultBA mediará uma reunião com o governador Rui Costa.