WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia secom bahia secom bahia secom bahia


Maio 2017
D S T Q Q S S
« abr   jun »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  








Luiz Castro em: DECOLORES

PERSONAGENS FOLCLÓRICAS ILHEENSES

Entre as décadas de 60 a 80 existiram em nossa cidade diversas figuras humanas por demais conhecidas pela comunidade. Todos elas foram respeitadas e receberam tratamento humano  da sociedade.

CADINHO – Vivia a caminhar pelas ruas do centro da cidade, sempre trajando uma calça caque, com a barba a fazer, tinha um tic  tic nos olhos, não era de tomar banho e normalmente fazia suas necessidades fisiológicas nas calças. Costumava estar presente nos enterros e quando lhe diziam “Olha a vela” ele se retirava do recinto. Apesar de viver desta maneira por ser “especial”, sua família procurava  cuidar de sua aparência…

PÓ DE ARROZ – Era um senhor de meia estatura, branco, cabelos grisalhos gostava de portar um bocapiu (bolsa grande), usava bengala para se defender de quem o zombava, freqüentava as ruas do centro da cidade e já tinha sua clientela de pedir ajuda alimentícia e financeira. Certa vez ao passar por uma residência para pegar sua alimentação, a dona da casa pediu para que ele varresse o passeio para   depois  receber a alimentação. Não concordando com o pedido bracejou : “Já está querendo me explorar”…

BURACO

Conhecido também por Seu Antonio, era cego, usava bengala para se guiar, sempre de chapéu e de terno doados pelas viúvas após o falecimento do marido. Ele era sempre informado em primeira mão do falecimento dos fazendeiros de cacau “os coronéis”. Ficava bravo quando lhe chamavam de “Buraco ladrão” atirava pedra no alvo qualquer, pois não enxergava…

SAPA VEIGA – Era um jornaleiro conhecido pela sua maneira de viver. Vestia-se de qualquer modo, cabelos desarrumados, pés descalços. No período de eleições, se dizia  candidato a Prefeito. Seu palanque era um tamborete de madeira colocado em frente da Casa Brasil, em baixo de um pé de figo, onde  tinha sua banca de jornal. Naquele tempo o comércio fechava às 12:00h e abria às 13:30 e nesse intervalo os comerciantes e comerciários aglomeravam-se no local para ouvir seu discurso “cargas d’águas”. A risada era geral, o povo gostava tanto que marcava outro comício para outro dia até chegar às eleições. Chegaram até criar uma musica que era cantada antes do comicio: “Viva Sapa Veiga, Viva o Carnaval, Viva Sapa Veiga no cenário nacional”…

NORONHA – Figura tradicional da época,  circulava pela cidade falando alto e xingando aqueles que o aborreciam : “Noronha está cagado”. Certa vez ao entrar na lancha que ia para o bairro do Pontal, ele avistou o ex-Prefeito Henrique Cardoso e sua esposa. O Prefeito por sua vez ao perceber a situação vexatória que possivelmente iria passar, adiantou-se e murmurou nos ouvidos de Noronha: “Tome aqui um trocado, mais não xingue p…. pois  minha esposa esta na lancha”.  Noronha não pestanejando bradou bem alto: ”Henriquinho é um homem retado, me deu um cruzeiro para eu não xingar p……

VIRÓLE – Foi morador da Rua Fonte da Cruz e gostava de estar sempre preparado para qualquer emergência de salva vida; Nas horas vagas costumava  exercitar-se nadando na praia da Avenida Soares Lopes, onde procedeu  vários salvamentos. Tinha olhos estufados e de estatura baixa, gostava de participar de atividades etílicas nos bairros da cidade…

SETE ESPIRITO –  Segundo  boatos o apelido foi em virtude do mesmo ter sofrido vários acidentes e ter sobrevivido.  Andava pelas ruas parcialmente embriagado e vez em quando dava uma parada brusca e colocava as mãos para cima, dando um forte espirro…

GABI – Era alto, moreno, desdentado, usava chapéu, andava descalço e fazia entrega de marmita. Ficava chateado quando alguém o chamava de “Gabi cadê Buzu”. Segundo  as más línguas, o tal individuo “Buzu” teve um caso amoroso com o entregador de marmita e fora pego em flagrante…

PIRREL – Tratava-se de um homem escuro, com um bigode enorme, que trabalhava com desentupimento de esgoto, porém era muito preguiçoso e  durante o trabalho costumava conversar com todas  as pessoas que passavam. Daí é que os biribanos o chamavam de  “Ê Pirrel vá trabalhar vagabundo”…

MARECHAL MOISÉS E BERILO – Um certo comerciante de Ilhéus costumava invocar as citadas  pessoas iludindo-as  de serem militares por determinação do Ministério da Guerra. Foi assim que surgiram os Marechais Moises e Berilo que desfilavam pelo comércio da cidade vestidos de militar cheios de medalhas…

MACAÚBA – Era um vendedor de tabocas que saia vendendo pelas ruas da cidade. Usava um gorro de meia,  roupas eram  sujas e sebosas. Os moleques ao passar diziam: “Vamos provar?” Era que  que o cidadão  era “gay” e gostava de apreciar a “coisa”. Segundo “Minha Veia” Macaúba ao receber o pagamento da taboca vendida, pedia ao freguês que metesse a mão no bolso para pegar o troco e  o bolso era furado e o freguês era surpreendido com algo “estranho”…

DURANDO KID – Era um cidadão que vendia coco verde na Rua Dom Pedro  em frente onde é hoje a Galeria Itarte. E de tanto ser iludido pelo tal comerciante da Rua Dom Pedro II que parecia com Kirk Douglas do famoso bang bang americano; O  “Durando Kid”  começou a vestir-se de cawboy, portando uma arma de brinquedo “coldre”. As pessoas que passavam gritavam: “Cuidado Kid! “ Ele virava-se repentinamente e sacava o revolver “atirando” no inimigo.

E assim fica registrado as historias dos nossos “heróis” do passado.

 

Colaboração de Luiz Castro

Bacharel Administração de Empresa

4 respostas para “Luiz Castro em: DECOLORES”

  • Marcus Dias says:

    Muito bem lembrado meu amigo Luiz, lembro-me perfeitamente da maioria dessas ilustres figuras citadas rsrsrsrs
    Marcus Vinícius

  • heraldo faskomy says:

    FALTOU JOAO ME DE 100, IRMAO DI ISPRITO DE LUILLA.MESMO FISICO, E ARREMESSA CUSPE CERTEIROS. MELHOR QUE UMA LHAMA ANDINA. ARREMESSAVA== ERRATA

  • heraldo faskomy says:

    CESAR LALAU,( FILHO DE TIVEIO – PONTAL, DAVID- MORAVA DENTRO DO BARCO ), XOXO DORMILANTE, SAPO DO PICOLE, ,JOAO CABELO, ANDAVA SEMPRE NA PORTA DO IOCIL, JOAO BALEIRO, ( CINE SANTA CLARA ),BIRRO ( PESCADOR E JOGADOR ) SHAOLIN == CINE BRASIL, ( HOJE UNIVERSAL ) TINHA MUITO MURCEGUS.

  • heraldo faskomy says:

    NORONHA DE FAMÍLIA TRADICIONAL, IRMÃO DE MILTON LEVITA.

Deixe seu comentário





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia