O dono da empresa CL Transporte Marítimo, Lívio Garcia Galvão Júnior, e o comandante da lancha Cavalo Marinho I, Osvaldo Coelho Barreto, viraram réus pelo acidente com a embarcação, ocorrido em 24 de agosto do ano passado, em Mar Grande. Na tragédia, 19 pessoas morreram e 54 passageiros ficaram feridos.   Segundo o jornal Correio, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) no caso do acidente. Os dois foram denunciados por homicídio culposo e lesão corporal culposa.     A acusação formal do MP foi baseada nos resultados do inquérito policial da Delegacia de Polícia Técnica de Vera Cruz, que acusou comandante e proprietário de agirem com “imprudência e imperícia”. De acordo com as investigações, Lívio, dono da lancha, também autorizou e fez a reforma da embarcação sem as habilidades necessárias.    A Cavalo Marinho I teria sofrido uma alteração no lastro, sem que a intervenção tivesse sido comunicada à Capitania dos Portos e ao engenheiro naval que aprovou a lancha. Esta é apontada como uma das principais razões para o acidente.   Já o marinheiro Osvaldo Barreto foi por não ter suspendido a travessia diante das más condições climáticas do dia em que tudo aconteceu.