O baiano Tiago Vieira Pinto vai disputar a sua primeira competição de fisiculturismo no sábado (22), em Fortaleza, durante uma feira de nutrição esportiva. Ele tem síndrome de Down e, de acordo com a Confederação Brasileira de Musculação, Fisiculturismo e Fitness (CBMFF), é o primeiro a ser registrado no país.   Aos 36 anos, Tiago se prepara há três meses para a competição. Morador de Ilhéus, o atleta se apaixonou pela modalidade após começar a frequentar a academia. Quem conta é a treinadora do baiano Tamy Gonçalves, que também é fisiculturista.   “Tiago sempre foi muito curioso e observador. Então, ele ficava sempre aqui pela academia e queria fazer todos os aparelhos de uma vez. E a gente foi observando. E uma vez só que a gente corrigia um movimento ou outro ele passava a fazer com perfeição”, disse em entrevista ao site G1. Foto: Reprodução / TV Santa Cruz   Por causa da síndrome de Down, Tiago não desenvolveu bem a fala. Porém, ele não tem limitação nenhuma para ter uma rotina de treinamentos. O atleta bate ponto de domingo a domingo na academia desde que decidiu participar da competição. Além da determinação e prática, ele conseguiu obter bons resultados no corpo devido a facilidade de ganhar massa muscular. Como explica outro treinador do rapaz, Victor Farias.   “Ele tem uma maturidade muscular muito boa. Tiago tem 36 anos, não é um garoto de 15 anos”, falou.   A síndrome de Down não é uma doença, mas uma condição inerente à pessoa, portanto não se deve falar em tratamento ou cura. Ela está associada a algumas questões de saúde que devem ser observadas desde o nascimento da criança.   A síndrome de Down é causada pela presença de três cromossomos 21 em todas ou na maior parte das células de um indivíduo. A pessoa com síndrome tem 47 cromossomos no núcleo das células em vez de 46, como é comum. O Brasil tem uma população de 350 mil pessoas com síndrome de Down.