Para encerrar nossa cobertura da Folia baiana, reunimos alguns momentos polêmicos que destoaram durante a festa
Lívia Rangel
(livia.rangel@redebahia.com.br)
De acordo com as impressões trazidas para a Redação pelos nossos profissionais que cobriram o Carnaval de Salvador, em todos os circuitos oficiais da folia, de quinta-feira (16) até a Quarta-feira de Cinzas (23), o iBahia elege os momentos mais polêmicos registrados durante a festa.

Sentiu falta de algum momento polêmico? Então, conte pra gente!

Daniela pecou por falar demais

Daniela e a língua ferina: depois de supostamente ter dito ao Terra, que não admitia esperar “6, 7 horas pela passagem dos filhos de Gandhy” e criticar Gilberto Gil e Caetano Veloso, afirmando que “são artistas do passado”, e negar tudo, dizendo que “fofoca é coisa do diabo”, a rainha do axé, se empolgou dando um sermão extenso criticando a imprensa, a polícia e os políticos, no final do seu desfile na sexta-feira (17), no circuito Dodô. Outro momento que deixou foliões – e até participantes do seu Camarote – impacientes foi a ópera carnavalesca, um tanto exagerada e demorada demais para a ocasião, o que acabou atrasando o desfile de todo mundo que vinha atrás na fila. Mas uma coisa ninguém pode negar: lugar-comum Daniela não é.

Nenhum seguidor da missionária Baby do Brasil foi atrás do “trio evangelizador”

Baby e a oração solitária: a cantora Baby Consuelo, a Baby do Brasil, esse ano resolveu voltar ao Carnaval sob a condição de missionária. A voz feminina dos Novos Baianos, desfilou sozinha, sem fieis nem foliões, e causou a famosa vergonha alheia ao puxar sozinha a oração do “Pai Nosso” no trio elétrico, em pleno corredor da folia, no Campo Grande.

Exaltasamba foi vaiado ao suspender apresentação

À espera dos cordeiros: o grupo Exaltasamba acabou tomando uma vaia ao parar sua apresentação no início do desfile, na madrugada de domingo (19), no circuito Dodô. Quando os músicos anunciaram que só continuariam a apresentação com a presença dos cordeiros – que até aquele momento não haviam chegado -, eles foram vaiados pelos foliões. O trio, que já sairia com atraso, emperrou ainda mais o percurso. O grupo chegou a iniciar sua apresentação, mas temendo a violência, suspendeu o desfile para aguardar a chegada dos cordeiros.

Bell e seus filhos Rafa e Pipo cantando no Camaleão

Promoção 2 em 1: Na terça-feira (21), quem pagou caro para seguir o Chiclete com Banana no bloco Camaleão teve que aguentar a banda Oito7Nove4 tocar suas próprias músicas de trabalho. Bell Marques chegou a dedicar este Carnaval aos filhos. A impressão é que o vocalista do Chiclete traz sempre de brinde o grupo dos seus herdeiros. O problema é que nem todos os foliões e fãs do Chiclete gostam da banda de Rafa e Pipo.

Durvalino dá sinais de cansaço na foli

Durval e seu gás sonífero: que a voz de Durval Lelys já vem dando sinais de desgaste não é novidade, mas nesse Carnaval, o rei Durvalino mostrou que também não é mais o mesmo puxador de trio dos tempos das suas dancinhas – da Manivela, da Tartaruga, do Vampiro… Os foliões dos seus blocos foram flagrados em momentos bem desanimados nos desfiles. Será que é o indício de uma aposentadoria? E André Lelys, conseguirá seguir na sombra sem o irmão famoso no auge? Veremos as cenas dos próximos capítulos…

Flagras de sujeira na praia durante o Carnaval, no circuito Dodô

Educação mandou lembrança: um dos destaques negativos da folia baiana, mais uma vez, foi a sujeira deixada pelos foliões e comerciantes ao longo e no entorno dos circuitos oficiais do Carnaval. A boa notícia é que diversos setores da sociedade estão promovendo mutirões de reciclagens e de limpeza das praias do Farol ao Porto, enquanto que a prefeitura não entrou em cena durante os desfiles, deixando o lixo pelas ruas até a manhã do dia seguinte. Outra queixa é a falta de cestas de lixo no circuito.

“Que que é isso?”: Com o intuito de simular as tradicionais pinturas de henna na pele, Alinne Rosa usou uma espécie de colan de corpo inteiro que não ornou. Com figurino assinado pelo estilista Victor Dzenk, durante todo o Carnaval a cantora do Cheiro de Amor fez referências à cultura Indiana, mas o look do sábado (18) ficou, no mínimo, esquisito.

Levi Lima: dancinha esquisita não colou

“Que estranho, hein?”: o cantor Levi Lima, estreante no Carnaval à frente da banda Jammil e Uma Noites, chamou atenção mais pela sua dancinha esquisita – a la breakdance – do que pela sua performance como puxador de trio.

“Panche” prejudicou o desfile das cantoras Manuela Rodrigues, Sandra Simões e Cláudia Cunha e do Ministério Público

Trio deixa artistas na rua: O trio elétrico “Panche”, locado pela Secretaria de Cultura do Estado para atender ao projeto Carnaval Pipoca, causou grande tumulto e prejuízo para os grupos Ministério Público e Três na Folia, devido ao atraso – de até quatro horas – na sua chegada ao circuito, sem contar os problemas de iluminação, som defasado, camarim e banheiros imundos. Segundo denúncias, o caso foi tão grave que além de as atrações desfilaram sem boa parte do seu público, já quase de manhã, muitos artistas ficaram pelas ruas na concentração, sem trio, nem camarim. Atenção, Secult!

*Colaborou Carol Andrade (carolina.andrade@redebahia.com.br).

Veja também:
Equipe do iBahia destaca os melhores do Carnaval 2012
Relembre os melhores momentos de João Henrique neste Carnaval