Diante dos comentários do Dr.José Lourenço ,sôbre o “inferno na Santa Casa”,podemos tirar as seguintes conclusões:
Enquanto o juramento feito na cerimônia de formatura de qualquer profissional em potencial ,não for colocado em prática no exercício da profissão;
Enquanto as individualidades não cederem lugar às generalidades.
Enquanto o egoismo prevalecer à solidariedade;
A partir da mentalização de que o “ganho” de cada um deva ser exclusivo para a respectiva sobrevivência e qualidade de vida;
A partir do princípio de que a ganância deva ceder lugar à ética;
Com base na lógica de que o exercício de qualquer profissão não tenha o significado de enriquecimento ilícito;
Com base em que o profissionalismo deva ser sinônimo de sinceridade e honestidade;
Considerando-se que o dinheiro nunca deva ser instrumento de esperteza;
Analizando-se que o nome de santo(a) em certas instituições,constitui-se uma blasfêmia inspirada nos sete pecados capitais;
Sugere-se que todas as instituições legalmente constituidas sejam geridas por pessoas isentas ,formadas em Administração de Empresas;cujas tesourarias,devam ser auditadas rotineiramente por um eficaz Conselho de Administração,composto por pessoas capazes e isentas de clientelismo.
Ou então
Salve-se quem puder….

 

Clelio Paixao