WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa secom bahia embasa


Abril 2021
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  






:: 28/abr/2021 . 21:57

ATENÇÃO LEITORES E COLUNISTAS

TIVEMOS UM PROBLEMA NAS MATÉRIAS POSTADAS SEMANA PASSADA, SUMIRAM TODAS E SÓ HOJE CONSEGUIMOS RECUPERAR.

PEDIMOS DESCULPAS PELO TRANSTORNO, MAS JÁ FORAM TODAS REPOSTADAS.

R2CPRESS

DO FUNDO DO BAÚ DE JOSÉ LEITE ESPECIAL.

1) 61 ANOS DE JOSÉ LEITE EM ILHÉUS.

2) DOIS HOMENS IMPORTANTES NA VIDA DE JOSÉ LEITE.

3) VACINA JÁ!

4) AS FOTOS DESTAQUES DA SEMANA. :: LEIA MAIS »

RÔNDONIA, CACAU OURO. (1971 – 2021)

Luiz Ferreira da Silva, 84

Engenheiro agrônomo, pesquisador aposentado, ex-Diretor da CEPLAC-Amazônia, 1982-85.

Em 1971, Frederico Afonso, depois de retornar de seu mestrado e estruturar a Divisão de Socioeconomia do Centro de Pesquisas do cacau, trocou o conforto do Sul da Bahia e, com a família, e se instalou no interior de Rondônia, no Projeto Ouro Preto (assentamentos rurais), gerenciado pelo INCRA, residindo numa casa de madeira, com o objetivo de iniciar o retorno do cacau às suas origens.

Era preciso se avaliar a qualidade dos solos aptos para cacau e o quantitativo para sua expansão, caso os plantios experimentais fossem aprovados, como o foram. Dessa forma, no ano seguinte, fui convocado pelo Frederico e passei 3 meses investigando os tipos de solos para a implantação futura da cacauicultura sob novo modelo CEPLAC/INCRA, o dos parceleiros. Outras vezes retornei para continuar os estudos pedológicos, com colegas da Divisão de Geociências do CEPEC (Centro de Pesquisas do Cacau).

Ele sempre acompanhava o trabalho de campo, apoiando e incentivando, à medida que os solos eram caracterizados, recebendo nomes locais, como Unidade Ouro Preto; Unidade Paraíso, Unidade Vermelhão, Unidade Rondônia; Unidade Aluvial etc.

Numa área de exploração de ouro, identifiquei um solo diferente e, prontamente, Frederico se antecipou e batizou o solo de Unidade Xibiu, o qual relutei em aceitar. Mas ele insistiu e me explicou que se tratava de uma diminuta pepita de ouro encontrada nas bateias, nominada assim pelos garimpeiros. Acontece, porém, quando fiz uma palestra no auditório do CEPEC, causei um rebuliço, pois o significado era outro na Bahia.

Nos estudos pedológicos, há a necessidade de se descrever as suas propriedades, sobretudo morfológicas, em profundidade, visando definir os padrões dos perfis. Para tanto, são escavadas “trincheiras” de 2x2x2 (largura x longitude x profundidade), requerendo um esforço físico considerável.

Dois operários de campo foram designados para esse trabalho – os irmãos Efraim e Ibrahim – que nos acompanharam por todo mapeamento dos solos. Lá para as tantas, já no final do estudo, precisei uma vez mais de seus serviços para a abertura de adicional trincheira em Jiparanã. Falei com Frederico que, imediatamente, foi ao refeitório e informou ao Ibrahim que pegasse suas ferramentas, quando este gritou, ao seu irmão que ia saindo: – Efraim, tem mais buraco! – de uma maneira triste e desconsolada. Como ríamos quando nos lembrávamos desse episódio!

Após a conclusão do estudo nesta área de 600 km2 concluiu-se pela viabilidade do plantio do cacau em 70% dela, significando, pois, 42 000 hectares, o que norteou a implantação de um polo, anos depois. Os estudos posteriores aumentaram tal quantitativo de solos aptos à lavoura.

Nesta epopeia do retorno da lavoura ao berço amazônico, Frederico Afonso contou com o apoio do INCRA (Capitão Sílvio e Agrônomo Assis Canuto) e do Governo de Rondônia, a exemplo do Teixeirão.

Mais lá na frente, na vigência do PROCACAU (Programa Nacional de Expansão da Cacauicultura), formou uma equipe de jovens, trazendo da Bahia o Nilton Camargo, peça de apoio logístico aos destemidos agrônomos, dentre os

quais me lembro: Fernandinho Carioca, Jonathan, Pedro Paulo, Jay Wallace, Milton Ferreira, Laurentino e Caio Márcio, iniciando um programa vibrante de plantios da lavoura, utilizando os parceleiros assentados pelo INCRA.

Infelizmente, anos depois houve arrefecimento do programa, em razão da carência de mão-de-obra, falta de tradição, declínio da CEPLAC e expansão da pecuária. Urge, pois, a retomada da cacauicultura, considerando o cacaueiro uma planta conservacionista, tanto na proteção do solo, como na sua convivência com a floresta, opção agrícola sem igual para a Amazônia.

Hoje, 2021, do marco zero às roças de cacau implantadas, mesmo com todas as dificuldades, vicejam no chão rondoniano milhares de hectares, graças ao visionário colega, cuja obstinação, força de trabalho e inteligência proativa, o tornam merecedor de uma homenagem, aqui proposta: Estação Experimental Frederico Afonso (ESEFA), em substituição a ESEOP (Estação Experimental Ouro Preto). (Maceió, AL, 21-04-2 021).

TORNEIO SESI DE ROBÓTICA 2021 REÚNE 23 EQUIPES NA ETAPA BAHIA

RePLAY é o tema da temporada e convida estudantes a pensarem soluções para incentivar as atividades físicas e a busca por qualidade de vida

Com um formato inovador e pela primeira vez realizada totalmente on line, a 8ª edição do Torneio SESI de Robótica First Lego League – Challenge (FLL) será realizado na Bahia, nos dias 29 e 30 de abril. A seletiva baiana é uma das 15 competições regionais realizadas pelo país pelo Serviço Social da Indústria (SESI) e segue o mesmo formato do FLL internacional. As equipes, formadas por estudantes de escolas particulares e da rede pública, disputam vagas para o Festival Nacional SESI de Robótica, que se realizará em junho, também pela internet.

A temporada 2020/2021 do Torneio SESI de Robótica FLL reunirá 22 equipes da Bahia, Alagoas, Sergipe e Paraíba. O desafio da competição tem como tema RePLAY e visa estimular os estudantes a buscarem soluções para incentivar a prática de atividades físicas, a busca por qualidade de vida, evitar o sedentarismo e promover a saúde. O tema fica ainda mais relevante no momento que estamos vivendo.

Na prática, os estudantes são desafiados a desenvolver projetos de pesquisa sobre o tema e também a programarem robôs para cumprir missões no tapete de competição. O desafio inclui conhecimentos em programação e montagem de protótipos autônomos, usando peças de kits tecnológicos da Lego.

APOIO ESCOLAS PÚBLICAS

Além das suas próprias equipes, formadas por estudantes da Rede SESI de Educação na capital e interior, o SESI Bahia apadrinhou quatro equipes de escolas públicas e de garagem, nesta temporada. São elas: Robocop, Flash Light, de escolas estaduais; a Autobot, do IFBa; e a Black Gold, equipe de garagem do município de Candeias. O apoio se deu no fornecimento dos equipamentos e consultoria técnica.

De acordo com o superintendente do SESI Bahia, Armando Neto, o investimento do SESI nos projetos de robótica tem o objetivo de estimular o gosto pela ciência, tecnologia e inovação entre estudantes de ensino fundamental e médio. “O Torneio SESI de Robótica FLL busca desenvolver a liderança, autonomia e

atitudes empreendedoras nos participantes e é neste sentido que tomamos a decisão de manter a realização do evento, mesmo diante deste cenário de pandemia”

A gerente executiva de Educação e Cultura do SESI Bahia, Cléssia Lobo, acrescenta que manter a realização do torneio mesmo com os estudantes passando por dificuldades para trabalharem juntos e vivendo lutos e inseguranças foi um desafio, mas está valendo a pena. “Tudo isso torna o evento ainda mais relevante como um suporte de superação e propósito de buscar o aprender contínuo e desenvolver nos estudantes o protagonismo de poderem fazer algo que pode ajudar na melhoria da vida das pessoas”, destaca.

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Coordenador do Torneio SESI de Robótica, Fernando Didier explica que a ideia é que o desafio RePLAY mobilize os estudantes a resolver problemas do mundo real. “O tema não poderia ser mais aderente ao momento que estamos vivendo”, explica, complementando: “Para a competição, os participantes devem se preparar para cumprir quatro provas específicas, que incluem Core Values, que são os valores ligados as capacidades socioemocionais dos estudantes, Design do Robô, Projeto de Inovação e Desafio do Robô”.

Além do formato inovador, Fernando Didier destaca que a temática do torneio é um convite para estimular o espírito inovador. “Sempre ficamos surpreendidos com a qualidade das pesquisas e projetos apresentados pelas equipes”, destaca o coordenador do evento. :: LEIA MAIS »

NOTÍCIAS DA AVEP

EQUIPE DO CAP. RENATINHO GOLEIA NO NOVO RETORNO AVEPIANO

Dia 18 (domingo) pela manhã do corrente mês de abril de 2021 a Associação dos Veteranos de Esporte Praiano –AVEP, entidade de ‘babas de praia’ quase centenária de Ilhéus, retornou suas atividades realizando a 2ª rodada da Temporada 2021 da mencionada modalidade esportiva. Com a bola rolando a equipe do Capitão Renatinho dos Leais goleou a do Capitão Valdimiro Eutimio pelo escore de 7 a 2, com gols de Alex de Moises(3), o próprio Renatinho dos Leais(2) e Eldon do Ofertão (2); para a perdedora marcaram Valdimiro Eutimeo e Nilton do BB. O ‘baba’ aconteceu como de praxe na praia da Avenida Soares Lopes no trecho localizado nas proximidades do espaço cultural Tenda Teatro Popular de Ilhéus e dos campos de tênis da Associação Ilheense de Beach Tennis – AIBT. A peleja foi apitada por Wilson Salviano, membro – e presidente – da Associação de Árbitros de Futebol de Campo de Ilhéus –AAFCI, não havendo comentários contundentes contra sua arbitragem por parte dos observadores-analistas. Nos 90’ do ‘baba’ aplicou Cartão Amarelo em Isaque Neófito 2, Passos de Uruçuca, Claudio Assis, Nilton do BB e Arlinton Neófito 3. O atleta Passos de Uruçuca também levou Cartão Azul. A rodada foi coordenada pelo Diretor de Baba do Dia, Luciano Santana, meia-esquerda de ofício.

Equipes conforme súmulas:

(Cap. Renatinho dos Leais): Goleiro Ricardo do Caminhão, Silvio Reis, Galletti da Rio de Engenho, Gilson do Taxi (Eldon do Ofertão) e Isaque Neófito 2(Pardal); Passos de Uruçuca (Paulo Gois do Bradesco), Arlinton Neófito 3, Claudio Assis e Charles Reis; Renatinho dos Leais e Alex de Moises

(Cap. Valdimiro Eltimio): Goleiro Marcelo da Receita (Goleiro Rosivaldo), Podão, Djalma Peludo (Fabio Alan), Tiuba e Nilton do BB; Adauto Negocinho (Rico), Bira da Polícia e Major do Bahia de Itabuna; Ismar Landgol (Alvinho), Valdimiro Eltímio,  e Garrancho 100 Anos de Praia (Udson da Polícia)

COMENTÁRIOS

Vale observar que a rodada avepiana é composta de dois jogos e realizada em dois campos, todavia, em razão da pandemia, o número de associados presentes não tem sido suficiente para a formação de quatro equipes.

Os observadores-analistas-de-baba entenderam que o primeiro tempo espelhou um certo equilíbrios entre as duas equipes, e que o placar de 2 a 1 mostrou a equivalência das forças. Na análise da 2ª etapa acharam que as substituições no time do Cap. Renatinho dos Leais, ‘encaixaram direitinho’, ou seja, deram mais resultado do que no do perdedor, o que resultou na goleada de 7 a 2. E citaram como exemplo a autoria de dois gols do atacante Eldon do Ofertão. Seguiram dizendo que depois do terceiro gol sofrido os comandados do Cap. Valdimiro Eutimio não tiveram força para esboçar alguma reação e, na base da brincadeira, da sacanagem, completaram com aquele velho –e agora badalado– ditado: “Porteira que passa um boi passa uma boiada”

NOTAS

Pelo WhatsApp o presidente Djalma Peludo fez um apelo aos associados pela necessidade do pagamento das mensalidades e salientou que, embora venha acontecendo somente um baba em razão da Covid 19, as despesas têm acontecido, fazendo-se necessário que as contribuições não sofram solução de continuidade para que a AVEP não entre no vermelho. Pediu também, fazendo cumprir norma estatutária relativa à filantropia, a volta das doações de alimentos,

Em mais umas das suas, o lateral direito defensivo e ‘atacativo’ Everaldo Cabeça de Flande andou comentando que os neófitos Isaque, Arlinton e Ludimar, cujo nomes de guerra provisórios são respectivamente Neófito 2, Neófito 3 e Neófito 1 são retados para receber um Cartão Amarelo.  A respeito disse:  “Pô, esses novatos [se referindo a Isaque, Arlinton e Ludimar] em vez de se espelharem em um disciplinado como eu, não, fica levando Cartão Amarelo em todo baba que entram. Passos de Uruçuca e Eldon do Ofertão não digo mais nada não porque é malhar em ferro frio”

Sobre a manifestação de Everaldo, o lateral-esquerdo de ofício, Eduardo Japonês, lembrou que ele não tem razão para falar dos outros porque, quando Jackson Lima lhe deu a chance de atuar como capitão depois de intensa insistência, em sua estreia o que é que ele fez: Brigou com juiz, tomou Cartão Amarelo, Cartão Azul e foi expulso de campo e o pior, destituído do quadro de capitães.

Quem esteve presente à rodada foi o desportista seu Walter, um entusiasta do  futebol de praia de Ilhéus. Informações do meia-esquerda-de-ofício Luciano Santana, dão conta que seu Walter dirige há três décadas uma já tradicional entidade praiana, chamada ‘Baba do Real’

Texto do associado Heckel Januário. Fotos dos “babas” de Marconi Almeida, fotógrafo oficial e diretor de Divulgação da Avep.  O Prof. Jorge Reis é o fotógrafo de momentos etílicos desta entidade e seu Secretário.

 

 

SENAI Bahia abre inscrições para vagas gratuitas de aprendizagem industrial básica

São mais de 200 vagas destinadas a jovens entre 14 e 21 anos que estejam cursando a partir do 9º ano do ensino fundamental ou tenham concluído o ensino médio.

O SENAI Bahia está com inscrições abertas para processo seletivo com 231 vagas gratuitas de Cursos de Aprendizagem Industrial Básica em 10 municípios baianos. As oportunidades são voltadas para jovens com idades entre 14 e 21 anos. Os candidatos aprovados no processo seletivo poderão ser contratados na condição de jovem aprendiz, de acordo com a demanda das indústrias.

As vagas são para os cursos de Assistente Administrativo e Assistente de Produção nas unidades do SENAI de Barreiras, Camaçari, Salvador (Dendezeiros), Feira de Santana, Ilhéus, Jequié, Juazeiro, Lauro de Freitas, Luís Eduardo Magalhães e Santo Antônio de Jesus.

O edital com todas as informações sobre o processo seletivo está disponível no site do SENAI (www.aprendizagemsenaiba.com.br), onde os candidatos também devem realizar a inscrição, que será apenas pela internet, até o dia 11 de maio.

AULAS

 

As aulas serão ministradas pela internet, por meio da Plataforma MEU SENAI, de forma síncrona (ao vivo).  Por isso, para que o aluno acompanhe as aulas, é preciso dispor de computador com acesso à internet.

Para as turmas do curso de Assistente de Produção, dos municípios de Barreiras e Luís Eduardo Magalhães, as aulas serão realizadas de forma presencial.

SERVIÇO 

 

O QUE: Cursos de Aprendizagem Industrial Básica – SENAI BAHIA

QUANDO: Até 11.05.2021

INSCRIÇÕES: Pela internet, no site www.aprendizagemsenaiba.com.br

Federação das Indústrias do Estado da Bahia – Sistema FIEB
Gerência de Comunicação Institucional

Tel. : 71 3343-1477 / 1267 / 71 3879-1695
www.fieb.org.br
www.flickr.com/photos/sistemafieb
www.facebook.com/SistemaFIEB





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia