WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa secom bahia embasa


junho 2021
D S T Q Q S S
« maio    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  






:: ‘Economia’

ACIIlhéus empossa Antonio Marcos Campos na presidência

A gestão da nova diretoria será para o biênio2015-2017

Eleita para o biênio 2015/2017, a nova Diretoria da Associação Comercial de Ilhéus  (ACIIlhéus) será empossada na noite de hoje (30/04), às 18 horas,  em sua sede, na praça J.J. Seabra, 39. O empresário Antonio Marcos Ferreira Campos eleito por seus pares para presidir a casa nos próximos dois anos, vai suceder  Nilton Cardoso da  Cruz que presidiu a instituição nos últimos dois anos.

A diretoria executiva da  ACIIlhéus tem como vice-presidente Comércio E Serviço, Clovis Gomes De Oliveira Junior;  vice-presidente Industria Agric. Pesca, Libério Menezes Filho; vice-presidente Comércio Exterior Porto e Aeroporto, Guilherme Coelho Menezes; vice-presidente Mineração E Logistica-Aildo Fonseca; vice-presidente Turismo, Alfredo Dantas Landim; primeiro secretário, Givaldo Alves Sobrinho;  segundo secretário, Angelia Pinheiro Magalhães, primeiro tesoureiro, Marco Antonio Pinheiro Fonseca; segundo tesoureiro, Mario Kiyoyuki Yamamoto e suplentes Jaime Alonso Martins,Gileno Alves Araujo, Rodrigo Hoisel Paiva, Maria Regina dos Santos e Marcelo Araujo Oliveira.

Na presidência da Assembleia Geral está o empresário Jose Leite De Souza  tendo como secretários – Julio Adolpho Argolo e Rodolpho Chicourel Albagli. Os membros do Conselho Fiscal são Nilton Cardoso da Cruz, Orlando Souza Oliveira, e Alberto Chicourel Albagli, efetivos.  Josué Marcelino De Souza , Antonio Augusto Costa e  Paulo Cézar Sanjuan Ganen, suplentes.

“Com as bênçãos de Deus eu e meus companheiros de chapa estamos sendo empossados na honrosa missão de comandar a entidade no biênio 2015/2017. Volto, com muita satisfação agradecer a todos os amigos que me incentivaram. Iniciaremos esta gestão à frente da ACIIlhéus em um momento singular para o Brasil. Precisamos estar atentos a estes novos tempos que se anunciam e confiantes na capacidade produtiva do segmento empresarial,” disse o presente Antonio Marcos Ferreira Campos.

J.G.

ILHÉUS / Semana Empreendedor

PARA LER EM TELA CHEIA CLIQUE NAS DUAS SETINHAS.

Projeto de lei, apresentado pela senadora Lídice da Mata, exige pelo menos 35% de cacau no chocolate.

Brasil Post | De Grasielle Castro

 Publicado: 25/03/2015 21h47min BRT Atualizado: 25/03/2015 21h47min BRT

CACAU_LÍDICE DA MATA

CACAU_LÍDICE DA MATA

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) fez um apelo inusitado nesta quarta-feira (25). Na véspera de comemorar o Dia Nacional do Cacau, ela defendeu a aprovação do projeto de sua autoria que exige a fixação de um percentual mínimo de 35% de cacau puro nos chocolates vendidos no País, sejam produtos nacionais ou importados.

“Podemos produzir um chocolate original, fino, gourmet e premium com alto teor de cacau e elevado valor agregado. Assim, nosso projeto pretende estimular ainda mais a cacauicultura, beneficiar as 70 mil famílias que vivem da cultura do cacau ou dos serviços ambientais que esse cultivo propicia.”

A senadora destacou que, após um período de dificuldade por causa da praga da vassoura-de-bruxa, nos anos 1990, a cacauicultura vem se recuperando e explicou que aumentar a quantidade de cacau no chocolate é uma medida importante para que o produto brasileiro tenha mais espaço no mercado mundial.

Segundo Lídice da Mata, a cadeia produtiva do chocolate movimenta R$ 12 bilhões por ano, sendo o Brasil o terceiro maior consumidor e quinto maior produtor de cacau no mundo. Ela também fez uma advertência: para consolidar sua posição nesse mercado, o Brasil precisa superar alguns gargalos, como a falta de uma política setorial que garanta a viabilidade econômica da cacauicultura.

(Com Agência Senado)

Prefeitos apresentaram demandas locais durante audiência com a Sedur

Durante uma reunião na tarde desta terça-feira, 31, com o Secretário de Desenvolvimento Urbano do Estado, Carlos Martins, os prefeitos associados a Amurc apresentaram as demandas de infraestrutura dos municípios na região, na tentativa de solucionar os entraves da região. Ao mesmo tempo, o Presidente Lenildo Santana solicitou o envolvimento da Secretaria na luta pela implantação da Região Metropolitana do Sul da Bahia (RMSB).

Foto DIVULGAÇÃO


A audiência foi uma solicitação da Amurc, que junto ao Governo do Estado da Bahia tem realizado reuniões constantes. Com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), por exemplo, a entidade mantém uma agenda mensal para o alinhamento de serviços que estão sendo prestados a população de Itabuna e região. A regularização desses procedimentos foi possível através de uma parceria firmada entre a Amurc, Sesab e Prefeitura de Itabuna, que conseguiu o aporte de R$ 1 milhão.

A construção de uma agenda positiva com as Secretarias do Estado é o objetivo da entidade municipalista, que busca fortalecer a parceria entre os entes estadual e municipal. Nesse sentido, a audiência com a Sedur foi uma oportunidade para que o secretário pudesse conhecer as obras em andamento nos municípios, em convênio com o Estado e as solicitações de cada gestor para a sua localidade. O secretário Carlos Martins revelou que o Governo continuará investindo nos projetos que já estavam sendo executados.

Sobre a implantação da Região Metropolitana do Sul da Bahia, o representante do Estado revelou que estará estudando o projeto junto à equipe técnica, além de compartilhar o documento com as demais secretarias estaduais e o governador Rui Costa. A proposta, segundo Lenildo, visa desenvolver ações estruturantes em comuns, de forma organizada e planejada, entre os municípios limítrofes da região.

Para a prefeita de Floresta Azul, Sandra Cardoso, a reunião solicitada pela Amurc foi bastante positiva, principalmente porque reuniu prefeitos e o secretário da Sedur, na tentativa de atendimento aos pleitos municipais. “Espero que iniciativas como essa possam ser repetidas em reuniões com outras secretarias”, declarou a prefeita.

Além dos gestores de Ibicaraí e Floresta Azul, a reunião contou ainda com a presença de prefeitos (as) e representantes dos municípios de Camacan, Coaraci, Canavieiras, Pau Brasil, Uruçuca, Aurelino Leal, Itarantim, Barra do Rocha, Una, Almadina, Ibicuí, Santa Luzia e Itabuna.

Achocolatados e mistura de mingau de milho da Coofasulba vão ganhar o mercado nacional

Cooperativa fecha parceria com empresa que atua no mercado institucional público e atende a mais de 500 prefeituras do Brasil

Coofasulba

Os achocolatados e a mistura de mingau de milho produzidos pela Cooperativa da Agricultura Familiar do Sul da Bahia (Coofasulba), de Ilhéus, ganharão o mercado nacional ainda este ano. Uma parceria foi firmada esta semana entre a instituição e a empresa ATV, com sede no Rio de Janeiro, que atende a mais de 500 prefeituras no Brasil na promoção e divulgação de produtos verticalizados, originários da agricultura familiar brasileira.

Dirigentes da ATV estiveram em Ilhéus e conheceram a indústria da Ceplac, parceira da Coofasulba na produção. “Estamos impressionados com a estrutura e os produtos oferecidos”, destacou o empresário Antônio Detoie. Ele explica que a ASTV não é uma empresa distribuidora de alimentos. A função dela é divulgar e promover mais de mil itens de alimentos no mercado institucional público. Dentre os estados atendidos pelo grupo está São Paulo, cuja capital possui 2 milhões de estudantes/consumidores. Além da capital paulista, mais 50 cidades do interior contam com os produtos da ATV. Rio de Janeiro, Paraná, Pernambuco, Ceará e Pará, são outros estados onde o grupo atua fortemente.

Entre os parceiros da ATV, que atua no mesmo modelo acordado com a Coofasulba, está a Cooperativa Central Gaúcha de Laticínios, uma das mais importantes do País, cujo sistema conta com 18 cooperativas da região sul do País.

Expansão

:: LEIA MAIS »

Imposto de Renda – Declarar mesmo sem ser obrigado pode garantir renda extra

Desde o começo de março, a preocupação de boa parte da população se volta à entrega da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF). Contudo, o que poucos sabem, é que pode ser interessante declarar mesmo não estando enquadrado nos casos de obrigatoriedade, isso quando ocorrem retenções que podem ser restituídas.

Assim, apesar da grande maioria dos contribuintes detestarem a ideia de ter que elaborar a DIRPF 2015 (ano base 2014), a entrega poderá garantir uma renda extra. “Muitas vezes os contribuintes tiveram valores tributados, com isso se torna interessante a apresentação da declaração, pois pegarão esses valores de volta como restituição, reajustados pela Taxa de Juros Selic”, explica Richard Domingos, diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil.

Entenda melhor

O contribuinte que recebeu rendimentos tributáveis cuja soma ficou abaixo de a R$ 26.816,55 deve levar em conta se teve Imposto de Renda Retido na Fonte por algum motivo, um exemplo de como isto pode ocorrer é quando a pessoa recebe um valor mais alto em função de férias, outro caso pode ser o recebimento de valores relativos à rescisão trabalhista, ele pode observar isto em seu informe de rendimento.

Outro caso é o contribuinte que trabalhou por três meses em uma empresa com retenção na fonte, esse não atingiu o valor mínimo para declarar, entretanto, terá valores à restituir.

“Caso o contribuinte não declare, estará perdendo um valor que é dele por direito, sendo que o governo não lhe repassará mais este dinheiro. O caso mais comum são pessoas que perderam emprego ou iniciaram em um novo no meio do período e que tiveram retenção na fonte no período”, explica o diretor da Confirp.

Também é interessante o contribuinte apresentar a contribuição, mesmo não sendo obrigado, quando guardou dinheiro para realizar uma compra relevante, como a de um imóvel. Isso faz com que ele tenha uma grande variação patrimonial, o que pode fazer com que o Governo coloque em suspeita o fato de não haver declaração, colocando o contribuinte na malha fina.

Como declarar?

:: LEIA MAIS »

SINDTAXI

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

 

O SINDICATO DOS CONDUTÔRES AUTÔNOMOS DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS DE ILHÉUS – SINDTAXI, convoca os seus associados, em pleno gozo dos seus direitos estatutários, para a ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, a ser realizada no Posto de Combustível, situado na Rua Siridião Durval, Nº. 53, Cidade Nova, nesta cidade, no próximo dia 04 de março (quarta feira), às 18:00h, em primeira convocação, com a presença de 2/3 dos associados em condições legais, ou, às 18:30h, em segunda convocação, com qualquer número de associados, com a seguinte Ordem do Dia:

 1 – APRESENTAR E DISCUTIR REAJUSTE DA TARIFA DE TAXI.

 ____________________________

Nelson Henrique Oliveira Cardoso

Presidente

“Sul da Bahia em Ação” propõe união das entidades

Com o objetivo de criar uma rede empresarial em Itabuna e região, empresários e representantes de várias entidades estiveram reunidos nesta segunda-feira, 17, na sede da Associação Comercial e Empresarial de Itabuna – ACI. Segundo o empresário Ronaldo Abude, o encontro foi o primeiro passo para esclarecer a proposta do Grupo “Sul da Bahia em Ação”, que visa a unificação dos grupos representantes na sociedade em torno da resolução de problemas em comuns.

Empresários representantes de Entidades em Itabuna e Região.

Empresários representantes de Entidades em Itabuna e Região.

Em fase de criação, o projeto é inspirado no modelo desenvolvido no estado do Espírito Santo, que objetiva a elaboração de projetos de melhoria nas áreas de infraestrutura, logística, segurança, mobilidade urbana, educação, saúde, dentre outros. A iniciativa tende ainda, ajudar as associações a se organizarem como instituições, propor a elaboração de um planejamento estratégico, com visão, missão e valores, e, a partir disso, buscar um alinhamento articulado através dos princípios e valores em comuns.

Segundo Abude, a ideia parte de uma inquietação de um grupo de empresários itabunenses diante da falta de estratégias para atrair investimentos e solucionar os grandes entraves que impedem o crescimento de Itabuna e de demais cidades circunvizinhas. “Não adianta querer promover mudanças em nossa sociedade sem estratégias bem definidas e delineadas. Por isso, precisamos ajudar as associações a estruturar seus códigos de ética, princípios e valores, para, a partir daí, desenvolver projetos que venham beneficiar a comunidade em geral”, explicou.

Os empresários aprovaram a iniciativa do Sul da Bahia em Ação, tendo em vista a grande necessidade de organização das entidades para fomentar o desenvolvimento na região. O presidente do Sindicato do Comércio Atacadista e Varejista do Comércio de Itabuna – Sindicom, Eduardo Carqueija, que também é diretor da ACI revela que “é o único caminho para que venhamos ser respeitado como cidadão e sociedade civil. Por isso, a importância de consolidar os laços entre as instituições e os sentimentos em comuns”, avaliou.

Representantes

O encontro contou com a presença de representantes de vários segmentos econômicos. Entre eles, a Associação dos Produtores de Cacau – APC, Câmara de Dirigentes Lojistas de Itabuna e Ilhéus, Associação dos Agropecuaristas do Sul da Bahia, Associação das Micro e Pequenas Empresas do Estado da Bahia – Ampesba, Associação das Micro e Pequenas Empresas de Itabuna – Apemi, Associação Brasileira de Indústrias e Hotéis (ABIH), Sindicato Rural de Ilhéus, Sindicato das Indústrias de Informática de Ilhéus, Sindicato do Comércio de Ilhéus e Associação do Turismo de Ilhéus.

Servidor público em situação de risco possui direito à aposentadoria especial

Os servidores públicos que desempenham atividades em situações de risco à saúde ou à integridade física tem direito a concessão de Aposentadoria Especial. Essa é uma luta que cada vez se torna mais constante nos tribunais com resultados bastante positivos.

O direito à concessão de aposentaria especial ao servidor público é um direito constitucional, contudo, não se tem ainda uma regulamentação sobre o tema. Assim, o Supremo Tribunal Federal ordenou a aplicação aos servidores públicos da Lei que regula os benefícios para segurados do regime geral (INSS).

“Isso faz com que seja concedido tempo especial para o servidor que trabalha em exposição a agentes nocivos sejam químicos, físicos ou biológicos, bem como para servidores que exerçam atividades de risco ou, ainda, que sejam portadores de deficiência”, explica o presidente da G Carvalho Sociedade de Advogados, Guilherme de Carvalho.

O representante da G Carvalho conta que já existe no Supremo Tribunal Federal decisão que dá jurisprudência para que os servidores públicos que trabalham em atividade de risco tenham direito à aposentadoria especial de acordo com os critérios estabelecidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Com isso, o funcionário público que trabalha em atividade insalubre pode se aposentar com 15, 20 ou 25 anos de contribuição, dependendo da atividade exercida.

Entenda melhor

A aposentadoria consiste em direito social constitucionalmente garantido a todos os trabalhadores indistintamente. Contudo, os servidores públicos apresentam regime jurídico diferenciado e em relação à concessão de aposentadoria também possui regras próprias.

Contudo, apesar da regra geral de aposentadoria dos servidores públicos, com critérios constitucionalmente definidos, existem casos excepcionais, com requisitos diferenciados de aposentação, que é a aposentadoria especial. Desta maneira, toda vez que o servidor desempenhar suas atividades em circunstâncias danosas à saúde ou integridade física, a concessão de sua aposentadoria obedecerá requisitos e critérios diferenciados, ao que chamamos de Aposentadoria Especial.

O direito à concessão de aposentaria especial ao servidor público está previsto no art. 40, §4º, da Constituição Federal, e diante da omissão legal de sua regulamentação, o Supremo Tribunal Federal com base no disposto no art. 40, §12 da Constituição Federal, ordenou a aplicação da Lei 8213/91, que regula os benefícios para segurados do regime geral, também aos servidores públicos, no que couber.

Desta forma, a aposentadoria especial do servidor na hipótese de exposição conforme determinação da EC 47/2005 é direito assegurado constitucionalmente.

Política industrial brasileira completa dez anos

A ABDI, também criada em 2004, debate o futuro da indústria em seminário internacional

Brasília, 13/11/14 – Mais de 300 pessoas participaram, nesta terça-feira (11), da abertura do Seminário Internacional – Indústria Para quê?, realizado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) nos dias 11 e 12 de novembro, em Brasília. O evento, que marca os dez anos de criação da agência e de retomada da política industrial no Brasil, reuniu empresários, acadêmicos, convidados estrangeiros e autoridades de governo. O anfitrião da abertura foi o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e presidente da ABDI, Mauro Borges Lemos, que discursou ao lado do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clelio Campolina, e do ex-ministro do Desenvolvimento Luiz Fernando Furlan.

“Antes de tudo é preciso lembrar que uma política industrial não se constrói em dez anos. Sabemos que outros países que tiveram sucesso em sua política industrial, como Estados Unidos, Japão, Coreia do Sul, China e Alemanha, vivem esse processo desde o século passado. Com apenas dez anos de trabalho, ainda não é possível dar à indústria brasileira a competitividade necessária para superar com facilidade a forte concorrência internacional, mas acreditamos muito no sucesso desse caminho”, declarou Borges Lemos.

Ele lembrou que, por mais de 20 anos, durante os períodos de crise, o Brasil “desaprendeu” a fazer política industrial e investimentos estratégicos em grandes infraestruturas, como as de transporte e logística. “Estamos vivendo, desde 2004, um processo de reaprendizado. E a ABDI encara esse processo, junto com o setor produtivo e outras entidades envolvidas”, acrescentou o ministro.

:: LEIA MAIS »

FIEB promove curso gratuito em Ilhéus

Os impactos das tarifas de energia elétrica na competitividade da indústria e as oportunidades para redução de custos serão discutidos no curso “Como reduzir sua tarifa de energia elétrica?”, que será promovido pela Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), no dia 03 de dezembro, em Ilhéus.

Empresários e representantes de empresas industriais da região Sul podem participar da capacitação, que será ministrada pelo engenheiro eletricista Fábio Sales Dias. O curso é gratuito, mas as vagas são limitadas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (71) 3343-1479 ou pelo e-mail capacitacaosindical@fieb.org.br.

A capacitação integra as ações do Programa de Desenvolvimento Associativo, uma parceria da FIEB com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o SEBRAE que visa fortalecer a representação empresarial e estimular o associativismo.

Sobre o facilitador – Fábio Sales Dias

Engenheiro eletricista, graduado pela Universidade de Brasília (UnB) e pós-graduado em gestão de projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). É sócio-gerente da Vario Engenharia, Consultoria e Projetos, e ocupou cargos como Diretor Executivo da Associação Brasileira dos Pequenos e Médios Produtores de Energia Elétrica (APMPE) e Diretor Técnico da Energética-Tech Consultoria.

Serviço:

O que: Curso – Como reduzir sua tarifa de energia elétrica?
Quando: Dia 03 de dezembro, das 8h às 18h
Onde: SEBRAE (Praça José Marcelino, nº 100, São Sebastião, Centro, Ilhéus)

Quais os cuidados necessários na hora de alugar um imóvel?

Por Germano Leardi Neto

Famílias, solteiros e estudantes que ainda não possuem recursos suficientes para comprar a casa própria enxergam a locação como uma boa alternativa. Na prática, esse modelo de negociação envolve uma série de direitos e deveres, tanto de locatário quanto de locadores, a Lei do Inquilinato (Lei 8.245/91). É preciso estar muito bem informado para que nenhuma parte saia prejudicada com a locação.

Conhecer a Lei 8.245/91, encontrar um fiador ou fechar um seguro-fiança, saber como funciona os reajustes do valor do aluguel e de quem é a responsabilidade pelo pagamento do IPTU, por exemplo, são medidas básicas e necessárias na hora de alugar um imóvel.

Abaixo, explico de forma detalhada quais são os cuidados necessários na hora de alugar um imóvel e os deveres e direitos de cada um (locador e inquilino) nessa relação. Confira:

Contrato de locação – O contrato de locação tem, em média, duração de três anos e sempre com possibilidade de renovação. Nele, além de informações do imóvel, devem estar presentes todos os direitos e deveres das duas partes, isto é, locador e inquilino. Vale ressaltar que o custo da elaboração do contrato (taxas e fichas cadastrais) deve ser pago pelo locador.

Valor do aluguel

:: LEIA MAIS »





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia