A ESTRUTURA:

Organização criminosa de abrangência nacional, composta de algumas facções. A facção mais poderosa, então na liderança, sofreu um golpe de traição da sua principal facção aliada, a mais forte na estrutura. Pode-se comparar, em outra escala, ao que se vê em filmes: dois bandidos assaltam um banco e depois um mata o outro pra ficar com todo o dinheiro.

O OBJETIVO:

Passar a ter o controle direto sobre a administração dos ganhos financeiros com a corrupção, aumento do montante de arrecadação, distribuição das cifras arrecadadas, manutenção dos corruptores tradicionais, prospecção de novos corruptores.

OS ERROS:

1) Acreditar que existe crime perfeito

2) Acreditar que corrupção e propinas são práticas de longa data, daí “institucionalizadas”, e que nunca trariam problemas

3) Desacreditar da existência de jovens servidores patriotas e incorruptíveis no sistema investigativo/judiciário

4) Esquecer que a Delação Premiada ajuda uns e complica muitos

O RESULTADO:

Tem bandidão encarcerado por aí que jamais havia se imaginado na cadeia.

Tem bandidão solto, mas dormindo à base de remédios, pois sabe que sua hora vai chegar.

Tem bandidão se queixando que a tornozeleira eletrônica não é de grife.

Corrupção na máquina pública não tem fim, mas a Lava Jato/JBS é um bom começo.

Nilson Pessoa