Mais Médicos: Prefeituras poderão aderir ou ampliar número de profissionais

O governo federal oferece oportunidade de melhoria da saúde pública em municípios de todo o País. As prefeituras poderão, novamente, aderir ao Programa Mais Médicos ou ampliar o número de contratações de médicos cubanos. A resolução foi aprovada durante reunião, nesta quinta-feira (27), da Comissão Intergestores Tripartite, que reúne gestores do governo federal, estados e municípios para a decisão e articulação conjunta de políticas de saúde.

LEIA MAIS

SUS terá fila única em cada estado para cirurgias eletivas

O Ministério da Saúde vai criar uma fila única para cirurgias eletivas em cada estado do País. Os gestores terão 40 dias para integrar as informações estaduais com os dados dos municípios para, então, criar um único banco de espera. A medida oferece transparência e agilidade ao atendimento dos pacientes que, muitas vezes, deixava de concorrer a vagas em diferentes unidades hospitalares da região. A iniciativa otimiza também a alocação de recursos federais.

LEIA MAIS

Mercado de crédito dá sinais de reação

O mercado de crédito brasileiro começou a dar sinais de reaquecimento. Diante da melhora no ambiente econômico, relatório do Banco Central revela que, famílias e empresas estão tomando mais crédito, ao passo em que os juros e o custo de vida continuam a cair. Neste mês, a diretoria do BC voltou a cortar a taxa básica de juros, a Selic, que foi reduzida para 11,25% ao ano. Com essa redução, as principais instituições financeiras também passaram a oferecer juros menores em operações de crédito. Em março, o saldo das operações de crédito cresceu 0,2% para um estoque de R$ 3,077 bilhões, sendo que as operações com pessoas físicas avançaram 0,6%.

LEIA MAIS

Enade 2017 será aplicado em 26 de novembro

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2017 será aplicado no dia 26 de novembro, com início às 13h30, no horário de Brasília. A portaria com a data foi publicada na edição desta quinta-feira (27) do Diário Oficial da União. A cada três anos, o Ministério da Educação aplica a prova para avaliar o desempenho de estudantes do ensino superior e para acompanhar a evolução de um determinado grupo de cursos. O exame é obrigatório.

LEIA MAIS